Notícias Adventistas

Alunos trocam cigarros por frutas

A ação aconteceu nesta terça-feira (29), quando é comemorado o Dia Nacional de Combate ao Fumo

29 de agosto de 2017

Aposentada jogou o cigarro fora e levou uma maçã

Vitória, ES… [ASN] Você sabe quanto custa um maço de cigarro? Em média, R$ 7. E uma maçã? Provavelmente, menos de R$ 1. Será que um

fumante toparia trocar seus cigarros por uma fruta?  Essa é a proposta da Escola Adventista da Serra, através do projeto “Troque a nicotina por uma vitamina”. A ação aconteceu nesta terça-feira (29), no Dia Nacional de Combate ao Fumo, em Serra Sede, região da Grande Vitória.

 

Cerca de 20 alunos, com idades entre 9 e 10 anos, abordaram as pessoas explicando sobre os malefícios do cigarro para a saúde, que vão muito além do mal causado ao bolso (estima-se que o fumante brasileiro gaste R$ 10 mil por ano). Aqueles que estavam fumando ou eram fumantes foram convidados a trocar o cigarro por uma maçã. Faixas e cartazes ajudaram na conscientização.

A aposentada Vânia Santos foi uma que jogou o cigarro fora e ganhou a fruta. “ Muda tudo uma ação como essa. Eu joguei meu cigarro fora porque quero ter saúde na minha vida. Esse projeto pode me dar um apoio a mais”, disse.

Segundo a professora e idealizadora do projeto, Ketiner Souza Andrade, o tema foi abordado em sala de aula e, agora, eles colocaram em prática o aprendizado. “ Falamos, nas últimas semanas, sobre o sistema respiratório e também os efeitos da nicotina para o coração”, disse.

O site G1 destacou na capa de notícias a ação da escola

A ação foi destaca pelo site G1/ES  e Portal Tempo Novo.

Dados

O número de mortes provocadas pelo consumo de cigarro aumentou de 4 milhões, no início do século, para mais de 7 milhões, alertou a Organização Mundial de Saúde (OMS). Metade das pessoas que consomem tabaco morre de doenças associadas ao fumo, principal causa evitável de doenças não-transmissíveis.

Por ano, o Brasil tem prejuízo anual de R$ 56,9 bilhões com o tabagismo, entre gastos com despesas médicas e custos indiretos ligados à perda de produtividade, causa por incapacitação de trabalhadores ou morte prematura. Os dados são do estudo Tabagismo no Brasil: Morte, Doença e Política de Preços e Esforços, feito com base em dados de 2015 e divulgado em maio deste ano.

[Equipe ASN, Ayanne Karoline]

 

 

Veja Também


Comentários

WordPress Image Lightbox