Notícias Adventistas

Estudantes paranaenses auxiliam famílias carentes com a própria mesada

Alunos do Instituto Adventista Paranaense doam mesadas para comprar cestas básicas e natalinas para famílias carentes de Ivatuba-PR

23 de novembro de 2015
A iniciativa solidária foi contagiosa. Essa experiência vivida pelos alunos deu início a uma campanha com o objetivo de comprar uma cadeira de rodas e um colchão ortopédico para jovem portador de hidrocefalia

A iniciativa solidária foi contagiosa. Essa experiência vivida pelos alunos deu início a uma campanha com o objetivo de comprar uma cadeira de rodas e um colchão ortopédico para jovem portador de hidrocefalia

A palavra solidariedade ganhou vida no coração dos alunos do Ensino Fundamental II, do Instituto Adventista Paranaense (IAP). Após estudarem o conceito de forma ampla durante o segundo semestre de 2015, surgiu a ideia de fechar os cadernos, arregaçar as mangas e colocar a mão no bolso.

Motivados pela campanha de doação de alimentos, Mutirão de Natal, que acontece até o dia 27 de Novembro, os alunos decidiram montar algumas cestas básicas e de natal e entregar a famílias carentes na cidade de Ivatuba-PR. O projeto intermediado pelo professor Natanael Silva começou tímido, mas tomou proporções maiores. Ele conta que inicialmente seria uma única família escolhida pela assistente social da cidade, mas logo o grupo sentiu a necessidade presentear outras famílias. “O trabalho ficou mais complexo e com isso, buscamos apoio de outras pessoas”, conta, se referindo ao pastor distrital, Giliard Ferreira e a Orientadora Pedagógica do IAP Colégio, Evelyn Queiroz.

 Força tarefa

A equipe fez ligações, buscou informações com pessoas conhecidas até chegar a diarista Nézia Koch, voluntária no IAP. Alguns meses antes, a filha da voluntária estava em um ponto de ônibus e se comoveu ao ver uma senhora tentando silenciar o choro que insistia em continuar. Ao ser questionada, Lourdes Maria revelou que não sabia o que fazer para alimentar os netos naquele dia, que sustentava sozinha com o salário de diarista, em apenas uma casa. O neto mais velho sofre de hidrocefalia e sua dependência impede a mulher de se ausentar por período integral.  Na ocasião, Nézia ajudou Lourdes com aquilo que podia, mas sentiu que precisava fazer mais por aquela família. Para ela, seria uma grande oportunidade aproveitar a iniciativa dos alunos e comtemplar a amiga com uma cesta de natal.  E foi exatamente o que aconteceu. Os alunos doaram suas mesadas, pediram dinheiro para os pais e colegas e montaram as cestas de alimentos. “Eu sabia que uma cesta não mudaria a realidade desta família, mas não imaginava o quanto aprenderíamos com esta ação”, revela o professor.

O dia da entrega foi uma festa só. A ação foi acompanhada de perto por emissoras de TVs de Maringá -PR, afiliadas do SBT e Record e rendeu até uma matéria para portal de notícias do G1, globo.com. Quando o ônibus do IAP foi estacionado em frente à casa da diarista, o grupo foi recepcionado com carinho e muita emoção de quem, há pouco tempo, havia passado 30 dias sem gás e não tinha perspectiva de oferecer um Natal especial aos netos, o mais novo com 8 anos e o mais velho com 20 anos.

Para o estudante Jones Mendes Garcia Soares, de 15 anos, o impacto da ação foi tão significativo que o fez refletir sobre o quanto ainda pode fazer pelo próximo. “Ver o sorriso de uma pessoa é muito legal. Uma das pessoas que nós ajudamos disse que há vários dias estava dormindo com fome porque não tinha dinheiro para comprar comida para toda a família”, recorda, se referindo a Lourdes Maria.

A estudante, Heloisa de Oliveira Kuiaski, afirma que os mais beneficiados foram eles mesmos. “Fazer a cesta foi algo muito simples para nós, mas para ela, muito importante. Saímos emocionados daquele lugar”, relembra.

 Amor na prática

Os alunos não saíram do local de mãos abanando, carregaram com eles o amor desta família. Para o pastor Giliard Ferreira, esta é a melhor maneira de ensinar o amor, praticando. “Quando a gente ensina sobre o amor, sobre solidariedade, não existe outra forma de essa mensagem ficar impressa no coração desses jovens, se não pela prática. O amor não é teoria, o amor é prática. O jovem que se envolve em ações semelhantes, enxerga a vida de maneira altruísta, empática” reforça.

A segunda família escolhida, mora bem em frente à casa da Lourdes. A família de Cristina Cardoso Costa, passa por grandes dificuldade financeiras. Há quase um ano o esposo está desempregado devido a uma deficiência adquirida em um dos braços. Atualmente eles sobrevivem com o dinheiro de algumas faxinas realizadas pela diarista, que se desdobra para atender as necessidades do filho de oito anos, do esposo e da casa. “Estamos muitos felizes com esta cesta. Vai deixar o nosso natal muito melhor”, relata a diarista, emocionada ao receber a surpresa.

Veja Também


Comentários

WordPress Image Lightbox