Notícias Adventistas

Educação

Aluno do Colégio Adventista ganha medalha em Olimpíada Brasileira de Astronomia e Astronáutica

Giuliu Alves ficou classificado entre 800 mil estudantes brasileiros da Olimpíada Brasileira de Astronomia e Astronáutica.


  • Share:
11056641_904692619611912_7049584779225100488_o

Giuliu Alves diz que ficou impressionado quando soube do resultado. "Agora é encarar as próximas fases", destaca. (Fotos: Mairon Hothon).

São José dos Campos, SP [ASN] O estudante do Colégio Adventista de São José dos Campos Giuliu Alves ficou entre os três primeiros colocados na 1ª Fase da 18ª Olimpíada Brasileira de Astronomia e Astronáutica (OBA). O aluno do 3º ano do Ensino Médio conquistou a medalha de bronze em uma competição que envolveu 838.156 alunos distribuídos por 9.552 escolas de todo Brasil.

Giuliu conta que esta foi a primeira vez que participou de uma competição nacional e ficou até espantado quando ficou sabendo do resultado.

“Estava muito tranquilo para essa prova, apesar de cair assuntos que nem sempre a gente vê com tantos detalhes em sala de aula, estudei por alguns materiais extras que o professor me passou e encarei as questões para testar meus conhecimentos. E para minha surpresa, quando recebi o resultado, quase não acreditei de tanta felicidade. Minha mãe agora está dizendo que é mãe de filho famoso”, destaca.

O aluno Giuliu Alves que pretende prestar vestibular para Engenharia Aeroespacial agora se prepara para outras etapas do OBA e outras competições na área das Ciências Exatas. "A motivação do meu professor, estudar os assuntos e acreditar no meu potencial fizeram a diferença", afirma.

Prova detalhada

12240273_904692626278578_7753605062215177987_o

Motivação por parte do profº Murilo Martins fez estudante Giuliu Alves conquistar medalha em competição nacional.

A prova que consistiu de 15 questões interpretativas de Física, Astronomia e Astronáutica foi aplicada em maio deste ano e representa apenas a 1ª fase de uma competição que classifica os alunos para a etapa internacional. O professor de Física da instituição, Murilo Martins, ressalta que apresar da prova ter poucas questões, elas são bem difíceis e exigem uma linha de raciocínio bem centrada e interpretativa para resolver os problemas.

“Nosso objetivo agora é envolver mais alunos para que eles participem de olimpíadas como essas para testar seus conhecimentos e explorar o potencial acadêmico de cada um. Para o próximo ano queremos integrar também o Ensino Fundamental e envolver os do Ensino Médio na Jornada de Foguetes”, ressalta.

OBA Nacional

A OBA é organizada pela Sociedade Astronômica Brasileira (SAB) em parceria com a Agência Espacial Brasileira (AEB), sendo um evento aberto à participação de escolas públicas ou privadas, urbanas ou rurais, sem exigência de número mínimo ou máximo de alunos. Podem participar estudantes do primeiro ano do ensino fundamental até o último ano do ensino médio, os quais devem participar voluntariamente. [Equipe ASN, Mairon Hothon]