Notícias Adventistas

Ações sociais e exercício da prática são destaque do curso de Pedagogia da Faama

Disciplina do curso de Pedagogia busca alinhar teorias apresentadas em sala de aula em atividade prática.

Por Carolina Nogueira 7 de junho de 2019

Os alunos do curso de Pedagogia da Faculdade Adventista da Amazônia apresentaram nesta semana uma série de projetos que transformam conceitos teóricos discutidos em sala de aula em atividades práticas, análises de técnicas e experimentações fora do ambiente acadêmico.

Método de ensino lúdico, a importância das brincadeiras, da leitura, do contato com a natureza, a formação de profissionais na área da educação especial e a arte de contar histórias são alguns dos temas apresentados pelos estudantes do primeiro e segundo ano do curso.

A disciplina que desafia os alunos neste sentido chama-se Projeto Integrador, como explica a professora desta matéria, Débora Oliveira. “O principal objetivo é fazermos um link entre todas as outras as disciplinas. Nós dividimos a turma em seis equipes e eles buscaram um tema que fosse abrangente. Tivemos até mesmo ações sociais.”


Para a estudante do primeiro ano, Clarisse Tenório, a atividade teve um grande impacto na sua percepção do dia a dia de um professor. “A gente recebeu muito conteúdo ao longo desses meses, só que quando chega no final do semestre, por meio do projeto integrador, a gente consegue perceber e relembrar tudo que a gente aprendeu. Isso é muito importante para a carreira do pedagogo. A gente tá vivenciando aqui uma prática em menor escala e isso é essencial para nossa formação”.


Entre os projetos que envolviam ações sociais estava o projeto “Atos de Bondade” que estudou o impacto da generosidade na rotina de venezuelanos imigrantes na cidade de Belém. Além disso, durante todo o primeiro semestre letivo, um dos grupos estudou poesias com adolescentes em conflito com a lei que vivem em um Núcleo de Atendimento Socioeducativo em Benevides.

Para Débora a iniciativa é bastante válida.”Eles saíram da instituição e se deslocaram até os  adolescentes para poder fazer um projeto eficaz. Esses grupos fizeram diferença por terem trabalhado com a comunidade, fora da sala de aula”.

Na ocasião, estiveram presentes o Juiz da Vara Infância e da Juventude de Belém, Vanderlei Oliveira, o presidente da Fundação de Atendimento Socioeducativo do Pará, Miguel Fortunato, o estudante de Direito e ex-socioeducando, Marcelo Pantoja e o coordenador do ministério prisional da União Norte Brasileira, Danilo Martins.

Veja Também


Comentários

WordPress Image Lightbox