Notícias Adventistas

Voluntários oferecem ceia de Natal em frente a hospital

Ação é realizada pelo terceiro ano consecutivo.

25 de dezembro de 2015
voluntarios-realizam-grande-ceia-de-natal-em-frete-a-hospital

O objetivo da ceia de Natal em frente ao hospital é levar um pouco de esperança e alegria aos pacientes, acompanhantes e moradores de rua que não tiveram a oportunidade de ceiar em família

Imperatriz, MA… [ASN] “Para uma grande festa, temos que convidar as pessoas necessitadas, como diz a Bíblia. Eu acho isso muito bacana. Meu coração se abriu e eu quis logo ajudar nesse projeto.” Essas foram as palavras do empresário do ramo de hortifruti Silas Mendes, que, assim como cerca de 40 voluntários, se dispuseram na noite da véspera de Natal para a realização do III Natal da Esperança. A ceia serviu a 600 pessoas, dentre elas, pacientes, acompanhantes e moradores de rua.

O ato é uma extensão do projeto Sopão Solidário Adventista, que é servido todas às terças-feiras há dois anos, em frente ao Hospital Municipal de Imperatriz (HMI, também conhecido como Socorrão). A iniciativa é mantida por doadores e voluntários que se dispõem para o preparo e a distribuição dos alimentos.

A aposentada Leude Gomes mora em Açailândia, a 70 Km de Imperatriz. Ela está com o filho de 32 anos internado no HMI, diagnosticado com cirrose. Apesar da notícia, Leude ficou feliz ao deparar-se com uma ceia em frente à unidade de tratamento. “Achei a comida gostosa demais. Essas pessoas são boas e Jesus é ainda mais!”, exclama a senhora que, como muitas outras pessoas, é de outra cidade e na maioria das vezes não têm dinheiro para se alimentar adequadamente no período em que precisam acompanhar um doente.

Cerca de 600 pessoas participaram da ceia, após servir-se cada pessoa dirigia-se à tenda de oração e fazia seus pedidos

Aproximadamente 600 pessoas foram beneficiadas. Após servir-se, cada uma dirigia-se à tenda, fazia seu pedido de oração e recebia uma literatura de presente

Quem também serviu-se da ceia foi o autônomo Ramon Henrique. Ele e a cunhada, Antônia, estão acompanhando o pequeno Artur, no Hospital Municipal Infantil. Até o momento, a criança não teve sua doença diagnosticada, o que tem trazido muita aflição a toda a família. No entanto, Antônia tem muita confiança em Deus. Por isso, dirigiu-se até a tenda de oração – também montada no local -, e se emocionou ao orar com os voluntários.

Oportunidade missionária

Os condutores que por ali passavam eram abordados e recebiam uma sacola especial contendo um exemplar do livro Viva com Esperança, que trata de saúde e ensina os oito remédios naturais para se viver bem e saudável. Alguns grupos musicais da região fizeram apresentações alusivas ao Natal.

Para ser um voluntário nesse projeto não há restrição de idade. Adultos, idosos, jovens e crianças dedicaram um pouco do seu tempo para ajudar ao próximo nessa época do ano. João Victor tem apenas 12 anos, mas não se acha novo para ajudar. Acompanhado pelos pais, ele auxiliou em várias atividades, como o preparo da ceia, arrumação das tendas e até a distribuição dos alimentos. “Eu ajudo porque gosto muito. Jesus fica feliz”, completa o garoto.

A coordenadora do projeto, Aline Castilho, entende que essa ideia foi enviada por Deus porque a seu ver, essas iniciativas são incapazes de brotar do coração humano. “A gente já acompanha o sofrimento dessas pessoas às terças, então decidimos dividir nossa ceia com eles e trazer um pouco de alegria nesse dia tão especial e que deve ser festivo”, explica ela.

Cerca de 40 voluntários trocaram o conforto de seus lares para servir com amor a quem necessita

Cerca de 40 voluntários trocaram o conforto de seus lares para servir a quem necessita

O presidente da Igreja Adventista para os Estados do Pará, Maranhão e Amapá, Leonino Santiago, esteve no evento e louvou a atitude dos voluntários, ressaltando que o espírito natalino deve motivar as pessoas a ajudar ao próximo em gratidão ao que Jesus faz por todos, diariamente.

Todo o trabalho é realizado por voluntários, com recursos provenientes de doações. Nenhum colaborador recebe pagamento, porém, apesar de algumas dificuldades, como por exemplo, a falta de recursos e de mão de obra fixa, todos trabalham com dedicação. No entanto, Aline explica que o que os move é entender que Deus está a frente de tudo e realiza milagres, e que eles são apenas instrumentos em Suas mãos. [Equipe ASN, Simone Joe]

Veja Também


Comentários

WordPress Image Lightbox