Notícias Adventistas

Projeto em Mato Grosso resgata história e importância da Escola Sabatina

“Rebobinando” conscientiza sobre o verdadeiro papel das classes de estudo: enviar missionários para a comunidade.

Por Dayane Nascimento 10 de outubro de 2019

Milhares de pessoas em todo o mundo estudam a Bíblia através de um guia que detalha os temas (Foto: Marciélen Campos)

Neste sábado (12.10), a Escola Sabatina completa 166 anos. Milhares de pessoas em todo o mundo se dedicam ao estudo diário da Bíblia com base em um guia sistemático que detalha os temas. E, aos sábados, se reúnem em grupos na igreja para recapitular o que aprenderam durante a semana. O Rebobinando, iniciativa colocada em prática no Estado de Mato Grosso, procura resgatar a história e a importância desta área que há décadas colabora para fortalecer a fé na Palavra de Deus, aprofundar a comunhão e testemunhar do amor do Senhor.

O Rebobinando consiste em uma série de palestras que buscam conscientizar as pessoas do propósito original da Escola Sabatina: enviar missionários para agirem na comunidade. “A ideia é que as pessoas vejam o bairro onde vivem, a escola e faculdade que frequentam ou o local de trabalho como campos de ações sociais e evangelísticas”, destaca o pastor Maiquel Nunes, responsável pelo departamento da Escola Sabatina para todas as Igrejas Adventistas do Estado.

O Rebobinando consiste em uma série de palestras que buscam conscientizar as pessoas do propósito original da Escola Sabatina: enviar missionários para agirem na comunidade (Imagem: Divulgação)

Segundo pastor Maiquel, o Rebobinando surgiu a partir da leitura de três livros Conselhos Sobre Escola Sabatina, Manual da Escola Sabatina e Manual da Igreja. “Estes materiais mostram claramente que a Escola Sabatina não deve ser um ambiente de discussão filosófica, que não leva a lugar algum. Mas, sim um lugar que promova a prática do evangelho baseada no conhecimento obtido através do estudo da Bíblia”, explica.

E os resultados do trabalho são concretos. No último trimestre deste ano, a Igreja Adventista localizada no bairro Morada do Ouro, em Cuiabá, acompanhou cinco famílias, que foram beneficiadas com a reforma de suas casas e com atendimento médico, além de proporcionarem a elas desenvolvimento social e econômico. “Esta igreja também contribuiu na melhoria da estrutura de um centro de reabilitação de dependentes químicos. Tudo isso a partir do planejamento missionário que ocorria durante a Escola Sabatina. Algumas dessas atividades, inclusive, foram desenvolvidas no horário da Escola Sabatina. Ao invés de apenas recapitular a lição, o assunto estudado durante a semana foi praticado”, detalha o pastor.

O começo
As primeiras Lições da Escola Sabatina surgiram com o objetivo de fortalecer a fé de jovens e crianças. Em 1852, Tiago White escreveu os primeiros esboços de uma série de estudos bíblicos, enquanto viajava da cidade de Rochester (Nova Iorque) para Bangor (Maine), nos Estados Unidos. Foi neste mesmo ano que surgiu a revista mensal Younth’s Instructor trazendo os estudos para os jovens.

Em 1861, as crianças ganharam suas lições, publicadas pela mesma revista, com o título: “Perguntas para os Pequenos Estudantes da Bíblia”. Já os adultos receberam os primeiros materiais em 1888, em forma de folhetos, precursores da atual Lição da Escola Sabatina trimestral. As primeiras reuniões de Escolas Sabatinas aconteceram em Rochester e Buck’s Bridge (Nova Iorque), em 1853 e 1854.

Atualmente, estima-se que as Escolas Sabatinas espalhadas por todo o mundo contem com mais de 21 milhões de alunos, em 209 países, que estudam a mesma lição a cada trimestre. Em Mato Grosso, 2.240 classes se reúnem todos os sábados para recapitular o assunto estudado durante a semana.

Confira no vídeo mais detalhes e curiosidades sobre a história da Escola Sabatina.

Veja Também


Comentários

WordPress Image Lightbox