Notícias Adventistas

O cristão e o cuidado com os animais

Em comemoração ao dia dos animais, 14 de março, segue um texto para refletirmos sobre o assunto.

14 de março de 2016
Os animais não vivem ansiosos, pois Deus garante seu sustento.

Os animais não vivem ansiosos, pois Deus garante seu sustento.

São José do Rio Preto, SP… [ASN] Você sabia que a Bíblia afirma que na Nova Terra existirão animais, não é? “O lobo viverá com o cordeiro, o leopardo se deitará com o bode, o bezerro, o leão e o novilho gordo pastarão juntos; e uma criança os guiará. A vaca se alimentará com o urso, seus filhotes se deitarão juntos, e o leão comerá palha como o boi. (Isaías 11:6,7). E não é de se espantar, já que Deus deixa claro seu amor pelas diferentes espécies em toda a história. Lá no Éden, no princípio de tudo, Adão e Eva foram incumbidos de cuidar dos animais e até de dar nomes a eles. No dilúvio, “Deus lembrou-se de Noé e de todos os animais selvagens e rebanhos domésticos que estavam com ele na arca, e enviou então um vento sobre a terra, e as águas começaram a baixar” (Gênesis 8:1). Sim, Ele pensou no bem-estar de todos. Quando finalmente saíram da arca, Deus abençoou a raça humana e também os animais, ordenando: “sejam férteis e se multipliquem” (Gênesis 8:17).

A Bíblia é cheia de conselhos de amor e respeito aos animais. Vamos ver alguns? “Se você vir o jumento de alguém que o odeia caído sob o peso de sua carga, não o abandone, procure ajudá-lo” (Êxodo 23:5). Até a guarda do sábado deve servir de descanso para os animais. “Nesse dia não farás trabalho algum, nem tu, nem teus filhos ou filhas, nem teus servos ou servas, nem teus animais” (Êxodo 20:10). Os animais não vivem ansiosos, pois Deus garante seu sustento. “Observem os corvos: não semeiam nem colhem, não têm armazéns nem celeiros; contudo, Deus os alimenta” (Lucas 12:24) e “os leõezinhos rugem pela presa e buscam de Deus o sustento” (Salmo 104:21).

 

Veja os nossos colegas de trabalho com seus animais de estimação (galeria – Suellen Timm):

Este slideshow necessita de JavaScript.

A Bíblia é clara quanto ao dever do justo de respeitar todas as criaturas. “O justo atenta para a vida dos seus animais, mas o coração dos perversos é cruel” (Provérbios 12:10). O assunto é tão sério que Deus faz um alerta de castigo aos que não cumprirem o dever de cuidar da natureza: “Chegou o tempo de (…) destruir os que destroem a terra” (Apocalipse 11:18).

A escritora cristã Ellen White enfatiza que “o homem deve procurar aliviar o peso do sofrimento que sua transgressão acarretou sobre as criaturas de Deus, em vez de aumentá-lo. Aquele que maltrata os animais porque os tem em seu poder, é tão covarde quanto tirano. A disposição para causar dor, quer seja ao nosso semelhante quer aos seres irracionais, é satânica. Um relatório sobe ao Céu, e aproxima-se o dia em que se pronunciará juízo contra os que maltratam as criaturas de Deus” (Patriarcas e Profetas, pág. 443).

Muitas pessoas pensam que o fato de alguém amar e fazer o bem aos animais o isenta de ser um auxílio aos seres humanos, mas isto não é verdade. O lema do justo é: Que o mais forte ajude o mais fraco (seja gente ou seja bicho). O amor não seleciona a quem amparar. Inclinar os olhos às pequenas criaturas revela um coração disposto à amar sem restrições toda obra do Criador. [Equipe ASN, Emanuelle Sales]

Veja Também


Comentários

WordPress Image Lightbox