Notícias Adventistas

Mãe atribui a clube de aventureiros conhecimento bíblico da filha de nove anos

No Dia do Aventureiro a pequena Isabela Carvalho foi batizada após um ano fazendo parte do clube Turminha do Pantanal.

21 de maio de 2017

Campo Grande, MS … [ASN] Neste sábado (20) foi celebrado o Dia da Criança Adventista e também o Dia do Aventureiro e, como de costume, as igrejas adventistas organizam uma programação especial envolvendo os pequenos. Na manhã de ontem na igreja adventista Central de Campo Grande, todavia, uma história especial chamou a atenção de líderes e pais. “A Isabela é aluna no Colégio Adventista Jardim dos Estados – o CAJE – e faz parte do clube de aventureiros Turminha do Pantanal há mais ou menos um ano e, desde que começou a fazer parte do clube, ela pede para ser batizada”, conta o pastor José Lino Neto, responsável pelo batismo da pequena Isabela Carvalho, de nove anos.

O pastor José Lino Neto ao lado da pequena Isabela. Do alto de seus nove anos, já é determinada quando aos seus valores e princípios.

Segundo conta, a Isabela é uma história bem sucedida entre o acolhimento feito pela igreja em parceria com a Educação Adventista e principalmente o Clube de Aventureiros. “Vejo a história dela como algo que deu certo entre a união dessas três frentes de atuação”, salienta.

A mãe de Isabela, Fabricia Carvalho, conta que mesmo já tendo uma base cristã bem solidificada, se surpreendeu com o quanto a Isabela aprendeu sobre a Bíblia dentro do clube. “Ela é uma menina muito decidida, inteligente e fã de leitura. Entre Natal e Ano Novo ela ganhou cinco livros e leu quatro em aproximadamente uma semana. Percebo que ela é muito dedicada a Deus e ama ler a Bíblia. Algo que me chama muito a atenção para a Igreja Adventista é que quando ainda pertencíamos a outra denominação, a professora da escola bíblica da Isabela veio me conhecer e estava curiosa para saber de onde a Isabela trazia tanto conhecimento das histórias da Bíblia e percebia que não vinha dali, que ela apresentava mais noção e interesse pelas escrituras que as demais crianças e a professora disse que essa bagagem só poderia vir de casa. Mas eu atribuo esse conhecimento profundo que ela tem da Bíblia ao clube de aventureiros”, conta.

No último sábado, apenas na igreja Central de Campo Grande cinco aventureiros foram batizados durante programação especial.

No último acampamento de aventureiros Isabela insistiu, mais uma vez, que gostaria de se batizar e orou a Deus pedindo Sua direção. “Certa vez fui buscá-la no colégio e ela me disse que naquele dia, no culto da escola, ela orou perguntando a Deus se Ele queria que ela se batizasse e me indagou se eu achava que Ele iria respondê-la. Respondi que acreditava que sim, Ele a responderia. E naquele dia mais tarde a Márcia, diretora do clube que ela participa me ligou dizendo que quatro aventureiros tinham decidido se batizar e me perguntou se eu não achava que poderiam ser cinco”, emociona-se.

Aquele, segundo Fabricia, foi o momento em que ela viu que a oração de sua pequena filha havia sido respondida e que o desejo de se batizar iria se concretizar. Foi quando a mãe procurou o pastor responsável pelo acolhimento dela e da filha para contar a novidade. “Conversei com ela sobre pontos básicos doutrinários e vimos que ela estava pronta para o batismo, principalmente porque nesse ano em que frequenta a Turminha do Pantanal ela já havia feito os estudos bíblicos oferecidos lá e várias classes bíblicas do clube”, enfatiza Lino.

E no sábado (20) Isabela foi batizada junto com outros quatro amigos do clube de aventureiros que tomaram a mesma decisão que ela. “Ela tem uma compreensão muito boa da vida e, apesar de já ter passado por momentos bem difíceis, ela sabe ver o lado bom das coisas e passa isso às pessoas. Não sei colocar em palavras a emoção de vê-la se batizando, mas sei que foi algo tão maravilhoso que mexeu com tudo o que sinto e acredito”, ressalta Fabricia, orgulhosa pela decisão da filha.

O pequeno aventureiro Rafael Aguiar, admitido em lenço ao lado do pai, durante cerimônia.

Para a diretora do clube que Isabela frequenta, desde o princípio a menina trouxe questionamentos sobre qual estilo de vida ela precisava adotar para se tornar uma adventista. “Ela sempre foi muito interessada nos estudos bíblicos que o clube oferecia e é uma criança muito dinâmica, inteligente, que teve alguns contratempos em sua vida, mas sempre mostrou que quer tornar os pontos negativos em positivos não somente para a vida dela, mas também para as pessoas com quem ela convive”, lembra Márcia Knapik, diretora do clube Turminha do Pantanal.

Para a família, o pastor e a liderança do clube o que Isabela do alto de seus nove anos mais deseja é compartilhar o amor de Deus com o mundo, esse amor que ela vê e vive bem de perto. “Ela quer testemunhar do amor de Cristo a outras pessoas para que elas saibam que Jesus é, de fato, o nosso melhor amigo”, conclui Márcia.

O coral dos aventureiros ficou responsável por uma apresentação especial durante a celebração.

Dados

De acordo com o líder de aventureiros para todo o Mato Grosso do Sul, pastor Rafael Candelório, atualmente o Estado tem 1.700 aventureiros divididos entre 68 clubes em todo o campo. No último sábado também foram investidos líderes de aventureiros e admitidos em lenço pastores e auxiliares de clubes durante cerimônia de celebração ao Dia do Aventureiro. [Equipe ASN, Rebeca Silvestrin/Fotos: Márcia Knapik]

 

 

Veja Também


Comentários

WordPress Image Lightbox