Notícias Adventistas

Garota de programa recebe rosa e reencontra igreja

A ação foi feita por um grupo de jovens de Ipatinga em comemoração ao Dia Internacional da Mulher

9 de março de 2017

O grupo saiu às ruas, carregando 20 rosas para levar às garotas de programa da região

Ipatinga, MG…[ASN] Na última quarta-feira, 8, Dia Internacional da Mulher, um grupo de membros da Igreja Adventista do bairro Jardim Panorama, em Ipatinga, resolveu comemorar a data homenageando garotas de programa. A ação foi organizada pelo departamento da igreja responsável pelos jovens em parceria com as mulheres. Cerca de 15 pessoas saíram pela região, munidos de rosas e com um sorriso no rosto.

O objetivo era “dizer não” ao preconceito, por meio de uma demonstração de afeto para com pessoas excluídas da sociedade. Gabriela Oliveira, uma das organizadores do evento, ressaltou a importância social de ações como essa. “Muitas dessas mulheres possuem diferentes e sofridas histórias de vida e nós precisamos olhar para elas com mais atenção e amor. O mesmo pensamento serve para todos aqueles que são esquecidos pela sociedade. Essa foi a primeira de muitas ações em prol dessas pessoas”, garante.

Reencontro

Durante a ação, uma das histórias impactou os participantes. D. S. foi uma das moças a receber uma rosa. Logo que viu a movimentação, perguntou: “–De qual igreja vocês são?”. Ao receber a resposta dos adventistas, se emocionou dizendo que já havia sido desbravadora na infância. “Estou nessa vida há cinco meses. Fui traída pelo meu marido e caí em depressão. Esse foi o modo que encontrei para sobreviver, mas eu quero muito sair daqui”, fala esperançosa. Ainda emocionada, a moça cantou um hino que costumava ouvir quando ia à outra denominação com seu esposo. Ela desabafou, afirmando que seu maior sonho é reatar o casamento.

O grupo se reuniu em volta da moça e depois de muitas palavras de encorajamento, oraram com ela. O momento foi marcante para Thafnys Gomes, 18, uma estudante que acompanhava o grupo na ação. “Quando começamos a caminhar até o local, eu pensei que seria mais uma atividade normal promovida pelo grupo jovem. Porém, assim que encontramos a D.S. eu já pude perceber o propósito de Deus para aquele momento”, conta. A garota também ressaltou sua satisfação em ter feito parte do projeto, alegando que experiências como a que viveram ali, moldam o caráter de todos os envolvidos. [Equipe ASN, Jenny Vieira, com informações de Gabriela Oliveira]

Veja Também


Comentários

WordPress Image Lightbox