Notícias Adventistas

Após oração do filho, professora é contratada depois de três anos desempregada

No início da jornada dos 10 Dias de Oração o pequeno Jonathan Emanuel pediu a Deus que sua mãe conseguisse um emprego. No dia seguinte o telefone dela tocou. A notícia tão esperada havia chegado depois de três anos fora do mercado de trabalho

Por Rebeca Silvestrin 1 de março de 2019

Quanta fé há no coração de uma criança? Difícil mensurar, mas, há uma história sobre a fé que te fará refletir. Marivânia Mattos é pedagoga e mora em Campo Grande, Mato Grosso do Sul. Ela estava desempregada há três anos, desde que deixou sua cidade natal e emprego, para cuidar de sua mãe que passava por problemas sérios de saúde. “Me mudei para cá e me dedicava integralmente aos cuidados com minha mãe  e, por conta disso, me afastei do mercado de trabalho”, conta.

Marivânia e o pequeno Jonathan Emanuel. Foi depois de uma oração do filho que a notícia que ela tanto esperava chegou.

No fim de 2018 com o falecimento de sua mãe, além da dor da perda, as dificuldades financeiras chegaram e Marivânia iniciou a busca por emprego, infelizmente, sem sucesso. “Eu deixava currículos em vários lugares e pedia às pessoas que caso soubessem de alguma vaga em minha área de atuação, me dissessem, mas o mercado está realmente difícil. Então, comecei a fazer pães para vender para ajudar com as contas de casa”, explica.

Mesmo com a produção caseira de pães, o sustento ainda era complicado e as contas se acumulavam. Mas, foi depois de uma programação especial da jornada dos 10 dias de oração no Colégio Adventista Campo-Grandense (CAC), onde seu filho estuda, que a esperança voltou ao coração da professora. “Quando fui buscá-lo na escola e nós entramos no carro, meu filho me disse ‘mãe, hoje a gente fez um círculo em volta da escola para fazer uma oração e eu orei a Deus pedindo que Ele te ajudasse a encontrar um emprego’. Para uma mãe ouvir isso é emocionante demais’”,  lembra.

O momento a que Marivânia se refere foi o início da jornada dos 10 Dias de Oração realizada pelo Colégio Adventista Campo-Grandense no último dia 14 de fevereiro. Nesse dia, uma ação organizada pela instituição levou mais de 800 alunos para a parte externa do colégio em um grande abraço coletivo ao redor do prédio. Ali, por alguns minutos de mãos dadas os alunos oraram pela escola e também fizeram pedidos individuais. Jonathan Emanuell Mattos, filho único da professora Marivânia foi um desses 800 alunos e seu pedido diferente teve resposta quase imediata.

A jornada dos 10 Dias de Oração teve ação diferente no Colégio Adventista Campo-Grandense (CAC). Nesse dia, Jonathan e outros 800 alunos se reuniram ao redor do colégio em um momento especial de oração. No dia seguinte, sua mãe foi contratada pela instituição.

É o que conta o diretor da instituição, Giovani Butarelli. “Tivemos contato com a história da Marivânia através das redes sociais, pois uma de nossas professoras a conhece e nos mostrou uma postagem em que ela relatava emocionada o pedido que o Emanuel, seu filho, havia feito para que ela conseguisse um emprego. Nós precisávamos de uma professora para fazer um projeto de nivelamento conosco, a princípio por 30 dias e, conversando com a administração, lembramos que há uma professora que está grávida e terá o seu bebê em breve. Com isso, ela se ausentará do trabalho por um tempo. Nesse momento, tive a ideia de encaixar a Marivânia nessa função em definitivo, ao invés de apenas em uma função temporária.  Em seguida, telefonamos para ela e contamos que Deus já havia respondido a oração do seu filho”, emociona-se Giovani.

Ao telefone, Marivânia parecia não acreditar na resposta tão rápida de Deus e a resposta veio em forma de lágrimas. “Ele me telefonou e disse assim: O seu filho orou, não é? Você aceita trabalhar com a gente aqui no Colégio Adventista? Eu aceitei e nem consegui terminar de falar com ele, pois comecei a chorar de gratidão a Deus”, relata.

Para o pequeno Jonathan, apesar de parecer grandioso aos olhos das pessoas, o gesto para ele foi algo natural, mas também repleto de felicidade. “Minha mãe estava precisando de um emprego e eu orei. Estou feliz, pois ela vai trabalhar e poder dar aula”, diz, com sorriso tímido de criança.

Hoje, Marivânia tem motivos a mais para agradecer a Deus. Começará 2019 empregada e vê nitidamente os resultados dos princípios e valores bíblicos que tem inserido na mente e no coração do seu pequeno filho. “É incrível como o poder de Deus age. Ele respondeu a oração sincera de uma criança e hoje, aquilo que eu mais desejava é realidade em minha vida: tenho um emprego e sou grata a Deus pela fé que o meu filho carrega em seu coração”, finaliza.

 

 

 

Veja Também


Comentários

WordPress Image Lightbox