Notícias Adventistas

Adoração em quatro rodas

Culto drive-in reúne mais de 200 carros na região de Porto Alegre.

Por Emanuele Fonseca 1 de setembro de 2020

 

Foto: Matheus Miranda

Já ouviu falar de Drive-in? Sabe o que esse termo significa? Drive-in é uma palavra inglesa que define um serviço no qual a pessoa não precisa sair de seu carro para consumir. Normalmente utilizado em cinemas e restaurantes. Mas quando isso começou?

História do Drive-in

Algumas experiências ocorreram na década de 20, mas foi em 1933 que a invenção foi oficialmente patenteada, quando, após muitos testes, Richard Hollingshead Jr. abriu o seu cinema, na cidade de Nova Jersey, nos Estados Unidos.

Aos poucos a prática foi se popularizando, atingindo o seu auge entre as décadas de 50 e 60. No Brasil, a ideia só chegou em 1968. Os cinemas drive-in tiveram o seu pico de sucesso, mas também entraram em declínio, não sendo mais tão populares. O único que ainda funciona foi inaugurado em 25 de agosto de 1973, em Brasília.

Agora esse modelo retorna como uma nova alternativa de entretenimento neste período de distanciamento social. E com a pandemia o sistema drive-in não voltou apenas em formato de cinematográfico, empresas alugam para eventos, cantores fazem suas apresentações e igrejas adotaram a ideia para a realização de cultos.

Drive-in Região de Porto Alegre

E uma dessas igrejas a tomarem a iniciativa do culto drive-in, foi a Igreja Adventista Central de Porto Alegre, que estendeu o convite para toda a região metropolitana. Esses ingressos foram entregues uma semana antes, o membro ia até a igreja e trocava uma cesta básica pela entrada do carro no evento.

Um dos primeiros participantes a chegar, Robson Rodrigues, viu no evento uma grande oportunidade para reviver momentos de culto ao lado dos irmãos: “Quando a gente vive no isolamento a gente não consegue ver as pessoas que a nós amamos. Então esse momento está sendo muito incrível, estamos sentindo a presença de Deus aqui dentro do carro”.

O espaço ficou repleto, foram mais de 200 carros. O cantor Sérgio Saas marcou presença, juntamente com a banda que apresentaram as músicas ao vivo. Teve admissão em lenço do clube de aventureiros e o Pr. Aryel Marques concluiu com uma festa batismal.

Para a cabeleireira, Marilene da Cunha, mesmo sendo um momento difícil a pandemia, essa serviu como um incentivo para sua decisão ao lado de Cristo. “Eu entrei em contato pela TV Novo Tempo, fui vendo a programação agora na pandemia. E hoje estou aqui me batizando, muito feliz, para a honra e glória do Senhor”.

 “Um evento como esse acaba reforçando o senso de pertencimento na família de Deus, as pessoas podem se ver, estão mais próximas. Outro aspecto, é que fortalece o nosso senso de missão, somos um povo em movimento, que tem uma tarefa, que tem uma obra, que podem fazer a diferença para aqueles que estão a sua volta”, conclui o Pr. Charlles Britis, presidente da Associação Sul-rio-grandense.

O evento foi rápido, ninguém saiu do carro, cumprimentar? só usando a buzina. Mas esse senso de pertencimento que o Pastor Charlles comentou, fez da programação um encontro único, e deixou um gostinho de quero mais. Em época de distanciamento social, poder se reunir com o mesmo propósito, deixa marcas visíveis no comportamento das pessoas.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Veja Também


Comentários

WordPress Image Lightbox