Notícias Adventistas

Igreja Adventista promove ações de amor durante os 10 Dias de Oração

Por Fabio Heverton 25 de fevereiro de 2021

O estado do Amazonas atualmente é um dos mais afetados pela segunda onda da pandemia causada pela COVID-19. O número de infecções continua elevado, acarretando aumento expressivo de óbitos, agravado pelo colapso do sistema de saúde público na capital e cidades do interior.

Entretanto, os impactos não têm afetado apenas o segmento da saúde, mas diretamente a economia da região, trazendo consigo o desemprego, dívidas e fome. Familiares de pacientes internados e profissionais de saúde vivem um drama indescritível para a manutenção da vida, em uma luta diária permeada de muitos desafios.

Edna Teixeira é uma protagonista deste triste momento. Com parentes hospitalizados, chegou a ficar dias sem ter notícias. Provisória e desconfortavelmente acampada em frente à unidade de saúde. “Muitas vezes venho ao local apenas com o valor da passagem de ônibus, então não tenho dinheiro sequer para um simples lanche”, revela.

Tudo isso aumenta o drama enfrentado e reflete a realidade de outras centenas de cidadãos. Como forma de enfrentamento, a Igreja Adventista nas zonas norte e leste de Manaus, Am, e em Roraima mobilizou pastores, membros e escolas para proporcionar ações integradas de solidariedade que possam atenuar o sofrimento de pessoas como a Edna. Provendo a essas pessoas, além do acolhimento e conforto espiritual, uma mensagem de esperança.

 

Ações em hospitais

 

Algumas estratégias foram adotadas, dentre as quais podem ser destacadas as Tendas de Oração, montadas em hospitais referências no tratamento da COVID-19 na grande Manaus e a implementação do projeto Geladeira Solidária. Em ambas as frentes, diversos serviços são oferecidos, como distribuição de água, lanches, literatura religiosa, amparo psicológico, louvores, orações, dentre outros. Este conjunto de atividades beneficia centenas de pessoas diariamente, envolvendo familiares de pacientes e profissionais de saúde.

Devidamente paramentados e com a autorização da direção dos hospitais, seguindo os protocolos de segurança, membros das Igrejas Adventistas na capital e interior se revezam em turnos e equipes de forma que o atendimento alcance todo o dia.

Meire Vasconcelos, voluntária do projeto e que também é profissional de saúde, narra emocionada como é viver esta experiência. “É gratificante atuar em um projeto como este. Amenizar a dor do próximo é algo que nos traz paz em meio à luta. Vivo de perto o drama dos profissionais de saúde, pois atuo na área e vale muito a pena participar”, afirma.

Euciany Saraiva, que atua como líder do Ministério das Mulheres no leste do Amazonas e em Roraima, descreve as atitudes como um gesto de amor e carinho, que vai muito além de uma simples doação. “Quando dedicamos tempo e amor, percebemos que as pessoas não precisam apenas de comida, mas acima de tudo, de esperança. A igreja está ativa, nas ruas, nos hospitais, nos cemitérios, ao lado de quem chora, transmitindo uma palavra de ânimo e pregando o evangelho”, explica.

Cristiane Caxeta, coordenadora dessas ações em toda região noroeste, fala sobre a relevância das tendas de oração. “A ideia nasceu diante do fato de que os templos estão fechados. Habitualmente estas tendas são armadas em frente às igrejas. Com esta impossibilidade, trouxemos as tendas aos hospitais, para que as pessoas pudessem receber o mesmo carinho, amor e atenção neste momento tão delicado”, completa.

Segundo o pastor Wiglife Saraiva, presidente da Igreja Adventista para o leste do Amazonas e para Roraima, estas ações também têm se repetido em municípios como Itacoatiara, Parintins, Borba, Barreirinha, Barcelos, Autazes. “As pessoas têm sido amparadas. Os profissionais de saúde, tratados com carinho, pois são verdadeiros heróis. A juventude adventista está unida nesta frente solidária e acima de tudo a igreja tem exercido seu papel social, expandindo suas ações para além das paredes de seus templos”, finaliza.

Veja Também


Comentários

WordPress Image Lightbox