Notícias Adventistas

Rádio Mundial Adventista projeta primeiro centro de evangelismo digital

Evangelismo digital proposto pela RMA tem como meta capacitar missionários para dar atendimento a pessoas que escutam programas e querem se relacionar.

Por Felipe Lemos 8 de março de 2019

Programas da RMA são gerados em rádios FM, AM, ondas curtas e nos podcasts em centenas de países. (Foto: Reprodução / Youtube)

O processo de discipulado, descrito pela Bíblia, não se resume a atrair pessoas ao evangelho. Tem a ver com o acompanhamento, aprendizado constante e relacionamento entre as pessoas. Um dos maiores desafios de qualquer organização, especialmente as igrejas, é, portanto, fazer com que seus membros continuem entusiasmados na fé depois de uma vez tomada a decisão de seguir a Cristo e os ensinos.

A Rádio Mundial Adventista (Adventist World Radio ou RMA) dá um passo neste processo. Em março, vai inaugurar o primeiro centro de evangelismo digital, em Manilla, capital de Filipinas. Na prática, é uma estrutura criada para atender a pessoas e estabelecer relacionamentos com quem entra em contato com conteúdos produzidos pela RMA das mais diferentes formas. A previsão é ter, em um prazo de dois anos, 50 missionários dedicados exclusivamente para oferecer atenção diária a quem busca respostas bíblicas, aconselhamento ou orientação para seguir a fé cristã. Em maio deste ano, 12 deverão se unir aos cinco existentes e serão os primeiros a realizar o diferenciado trabalho.

Leia também:

Rádio Mundial Adventista registra mais de 170 milhões de downloads em um mês

O vice-presidente da RMA, Kyle Allen, ressalta que o centro de Filipinas é o primeiro de um projeto maior. Sistema semelhante, de atendimento a interessados que assistem a conteúdos e se comunicam por redes sociais,  já é adotado, há alguns anos, pela Rede Novo Tempo de Comunicação e a sede sul-americana adventista.

A ideia da Rádio Mundial Adventista é estabelecer, até o final de 2020, outros quatro novos centros na Europa, América Central, Estados Unidos e África do Sul. Os missionários responsáveis pelo atendimento passam por uma capacitação que envolve contextualização cultural. Isso porque a abordagem com pessoas de diferentes países exige um entendimento sobre qual a melhor forma de dialogar com pessoas de diferentes etnias, matrizes religiosas e contextos geopolíticos.

Conexões virtuais e com a igreja

Veja reportagem sobre o crescimento da Rádio Mundial Adventista:

A diretora do projeto, Karen Glassford, ressalta que a demanda por atenção é crescente. Grande parte dos programas e do conteúdo gerado pela Rádio Mundial Adventista sugere que as pessoas façam contato via WhatsApp, Facebook e Instagram, caso tenham dúvidas. Além de conversarem com os atendentes, os interessados nos conteúdos gerados pelos adventistas poderão ser encaminhados e orientados a procurar uma congregação local sempre que possível. “Nossa ideia não é apenas batizar, mas fazer discípulos”, comenta Karen.

Para se ter uma ideia do movimento gerado pelos conteúdos, basta constatar o que ocorre após duas horas de um programa veiculado por uma rádio adventista em uma pequena ilha de Filipinas. O impacto geralmente cria interesse em pelo menos duas mil pessoas, que desejam o diálogo a respeito da Bíblia e de ensinamentos cristãos. E muitas delas, segundo se sabe, são de diferentes religiões.

De acordo com dados oficiais, a RMA produz diariamente em torno de 175 programas transmitidos por meio de rádios com frequência de ondas curtas. Diariamente, são baixados entre 2.500 e 3 mil programas nos podcasts oferecidos em vários países e em aproximadamente 100 idiomas diferentes.

Quanto ao alcance, a Rádio Mundial não consegue precisar qual o número total de ouvintes. Estatísticas da BBC fornecidas à RMA, no entanto, dizem que, para cada pessoa alcançada pela Rádio Mundial Adventista, há pelo menos outros mil ouvintes. Com base nisso, eles estimam entre 120 e 150 milhões de ouvintes em todo o planeta.

E os planos de expansão desta gigantesca escola bíblica com acompanhamento em tempo real são audaciosos. Kyle Allen projeta, até o ano de 2025, chegar a uma meta de produzir programas em áudio em mil idiomas distintos. Ou seja, pelo menos 900 a mais do que hoje. A motivação, segundo ele, vem dos resultados vistos até agora.

Veja Também


Comentários

WordPress Image Lightbox