Notícias Adventistas

Nos anos 60, pastor viu na comunicação oportunidade para potencializar crenças adventistas

Conheça a trajetória de Assad Bechara e a sua importância para as conquistas alcançadas na comunicação adventista nos dias de hoje.

Por Mauren Fernandes 7 de dezembro de 2020

Assad Bechara e sua esposa, Nájla. (Foto: Arquivo pessoal)

Houve um tempo em que a maioria da população não tinha um envolvimento ativo com a comunicação. Assistia-se TV, ouvia-se rádio, mas a relação das pessoas com a área se dava de forma bem distante. Hoje, em uma era em que qualquer pessoa pode comunicar em massa e ser um influenciador, talvez seja difícil pensar numa realidade como essa.

Mas o jovem Assad Bechara sentiu-se impulsionado a estar perto disso tudo. Depois de concluir o curso de Teologia nos anos 50, embarcou no mundo da comunicação ao estudar Jornalismo. Segundo ele, sua vontade inicial ao decidir compreender mais sobre a comunicação era aprimorar sua retórica para que a sua mensagem, como pregador, se tornasse mais interessante a quem assistia. Porém, um mundo de possibilidades se abriu.

Leia também:

Bechara também graduou-se em Publicidade e Propaganda e Relações Públicas, tornando-se o único adventista a possuir as três habilitações da área. Não satisfeito, concluiu um mestrado em Comunicação e um doutorado em Ministério na área de Comunicação pela Universidade Andrews, nos Estados Unidos.

Desafios iniciais

Segundo ele, o valor da comunicação nem sempre foi claramente reconhecido, o que tornava o trabalho desafiador. “Antes da Igreja provar as bênçãos que nos empolgam hoje, o reconhecimento e os investimentos nessa área eram bastante limitados. Mas o nosso grande Deus proveu verdadeiros milagres naquele período de transição”, pontua.

Nos anos 90, a Igreja conquistou um espaço gratuito nas manhãs de domingo da TV Bandeirantes, rede com abrangência nacional. Na mesma época, outdoors  foram expostos sem custo algum em todo o território nacional, com mensagens relacionadas ao livro do Apocalipse, volta de Jesus e também sobre datas especiais, o que trouxe notoriedade para a denominação.

Novos passos

Com o tempo, a liderança da Igreja foi percebendo o papel importante que a comunicação exercia no trabalho de evangelização. A partir daí, novos passos foram dados nesta direção, como a criação do curso de Comunicação Social –  com habilitações em Jornalismo e Publicidade Propaganda – no Centro Universitário Adventista de São Paulo (Unasp), e a estruturação da Rede Novo Tempo de Comunicação. Ambas as iniciativas contaram com a contribuição de Bechara.

“Elas foram fundamentais, ajudando no aprimoramento da mentalidade do nosso público interno com relação à comunicação, bem como reafirmaram a imagem da Igreja perante o público externo”, reconhece o pioneiro.

Assad Bechara ao lado do jornalista e professor Ruben Holdorf, e os professores Joubert Perez e Valdecir Lima na aula inaugural do curso de Jornalismo do Unasp, em 2000. (Foto: Luiz Alexandre dos Reis)

Mudanças

Nos últimos 20 anos, o investimento feito na área comunicacional adventista deu resultados. No início de 2020, a Igreja já possuía iniciativas digitais, que acabaram se multiplicando com a chegada da Covid-19. Durante o isolamento social, a TV Novo Tempo e os canais oficiais da denominação nas redes sociais fizeram companhia para milhões de pessoas. Para Bechara, esse foi um momento de busca por algo superior. “As pessoas estão ávidas por segurança e paz”, sublinha.

Aos 87 anos, ele conta que, durante a pandemia, fez inúmeras lives e destacou uma delas em especial, quando falou para um pequeno grupo de adventistas brasileiros de Nova Iorque. Em curto período de tempo, a transmissão, que ficou disponível posteriormente, foi vista por mais de 110 mil pessoas. “O inimigo gostaria de ter fechado as nossas igrejas indefinidamente, mas Deus mostrou que, sem gastos expressivos, podemos anunciar a mensagem com abrangência até maior”, reflete.

Ontem

Assad Bechara esteve à frente de outros desafios como pastor. Depois de se graduar em Teologia, serviu na Igreja Central de Curitiba e, em meados da década de 70, liderou os departamentos de Jovens, Desbravadores, Temperança e Comunicação na região Sudeste do Brasil. De 1980 até 1995, esteve à frente dos Jovens e Desbravadores para oito países sul-americanos, época em que foi realizado o primeiro Campori Sul-Americano de Desbravadores, em Foz do Iguaçu. Nestes anos também deu início ao trabalho da área de Comunicação da Igreja para esse território.

Após este período, passou um ano na cidade do Cairo, no Egito, pastoreando uma comunidade local. Ao retornar, foi orador do programa A Voz da Profecia. Em seguida, fundou a Comunidade Árabe Aberta, no bairro Vila Mariana, em São Paulo, local onde, hoje, atua como pastor conselheiro.

Hoje

Assad Bechara já escreveu 50 livros, sendo 30 deles sobre mulheres da Bíblia. Hagar, Raabe, Rute, Abigail, Batseba e muitas outras personagens bíblicas foram descritas sob o seu olhar. Em 2012, foi indicado para ocupar uma cadeira vitalícia da Academia Brasileira de Letras (ABL).

Aos que desejam servir como comunicadores na missão, ele deixa um recado: “Prontifique-se a proclamar o incalculável amor de Deus e aceite todos os convites e desafios que chegarem até você. O Maravilhoso não está à procura de pessoas capacitadas. O sonho de Deus é capacitar quem O contempla e O louva.”

Veja Também


Comentários

WordPress Image Lightbox