Notícias Adventistas

Mensagens de celular levam o evangelho a todos os continentes

Iniciativa da Rádio Mundial Adventista envia áudios com mensagens bíblicas e sobre bem-estar a interessados.

Por Vanessa Arba 7 de dezembro de 2019

Mesmo em países fechados ao cristianismo, o evangelho tem chegado por meio da tecnologia. (Foto: Shutterstock)

Laura é uma esposa e mãe que vê seu casamento desmoronando e não sabe mais o que fazer para salvar a família desta situação. Marco, um guerrilheiro procurado em todo o seu país pelos crimes bárbaros cometidos. São nomes fictícios para personagens reais, em contextos que parecem não ter relação alguma. Mas o que ambos têm em comum é que o final da sua história teve uma reviravolta positiva graças a uma ferramenta aparentemente simples.

Ao receberem periodicamente em seus celulares áudios com conteúdo bíblico, Laura e Marco foram impressionados pelas mensagens e buscaram os remetentes, os adventistas do sétimo dia, a fim de conhecer mais a respeito daquilo que acreditam. Ambos começaram a estudar a Bíblia, foram batizados, e viram suas vidas tomarem rumos bem diferentes daqueles que antes pareciam inevitáveis.

Leia também:

Os materiais que os personagens receberam são parte de uma iniciativa evangelística da Rádio Mundial Adventista (AWR, na sigla em inglês) que já alcançou a milhares de pessoas em todos os continentes. A diretora dos Centros de Evangelismo Digital da AWR, Karen Glassford, discorre em entrevista à Agência Adventista Sul-Americana de Notícias (ASN) sobre a iniciativa.

Como funciona, exatamente, este projeto?

Nós o chamamos de evangelismo celular. A ideia é termos membros da Igreja Adventista colaborando conosco; por meio de um bot [sistema de inteligência artificial] que nossos engenheiros desenvolveram, estes membros se registram como evangelistas e recebem um código exclusivo que podem repassar aos seus contatos interessados em conhecer o evangelho.

Enviando este código ao nosso bot, o sistema identificará essa pessoa como aluna do grupo daquele determinado evangelista, e passará a enviar-lhe periodicamente os materiais em áudio. O interessante é que o evangelista receberá também os mesmos materiais enviados aos seus alunos, para que possa acompanhá-los nos conteúdos, dialogando a respeito e tirando dúvidas. A partir disto, queremos que estes alunos estudem a Bíblia, acompanhados pelos próprios evangelistas ou direcionados a cursos bíblicos em igrejas e instituições adventistas.

Que tipo de conteúdo têm esses áudios, e quem os produz?

São, basicamente, mensagens curtas que falam de Deus e da Bíblia. Também temos diversas séries com conteúdos sobre saúde e bem-estar, família, outros para crianças… Claro que depende da região do mundo para a qual são direcionados. Em países árabes, por exemplo, temos que começar com um conteúdo de contextualização, porque sua cultura, seu ponto de vista é muito diferente do ocidental, e há coisas que os árabes não conseguem entender a princípio porque não tiveram a mesma formação de alguém criado num país cristão.

Sobre a produção dos áudios, nós mesmos, na Rádio, gravamos alguns. Também traduzimos para diversos idiomas materiais que já existem, feitos por parceiros como a Hope Channel e as Divisões [sedes administrativas da Igreja Adventista em diferentes regiões do mundo]. Há também voluntários trabalhando conosco. Por exemplo, temos um pastor adventista que vive num país árabe. Ele conhece o idioma e a cultura local, então grava os áudios de uma forma que as pessoas naquele contexto possam entender. Outros conteúdos específicos, como as séries sobre saúde, por exemplo, são gravadas por especialistas em determinadas áreas.

Em que regiões o projeto já está em vigor? Já é possível mensurar seus resultados?

Começamos na África do Sul há cerca de dois anos. Agora já temos evangelistas em muitos países da Europa, da África, nos Estados Unidos e Canadá. Nas Américas Central e do Sul chegamos há cerca de 11 meses. Mas há pessoas recebendo os materiais em todos os continentes do mundo.

Ainda não é possível quantificar as pessoas que enviam e que recebem os materiais, já que qualquer um pode repassá-los adiante. Esta é uma das razões pelas quais desenvolvemos o bot; tendo as pessoas registradas no nosso sistema, fica mais fácil saber quem envia e quem recebe as mensagens. De qualquer forma, é um movimento que está crescendo muito rápido. Todas as semanas nos chegam fotos de pessoas que foram batizadas por meio deste trabalho.

A despeito dos contextos específicos em cada região, quais são os maiores desafios para este projeto como um todo?

O desafio é que as pessoas saibam que ele existe e que sejam motivadas a participar. Também traduzir os materiais para outras línguas; a nossa meta é termos conteúdos em mil idiomas. Sonhamos em ter um site suficientemente grande que possa reunir todos o conteúdo em todos esses idiomas, de forma que as pessoas possam encontrá-lo facilmente. Outro grande desafio é fazer com que esses materiais cheguem a países fechados, onde o governo controla tudo. Mas Deus tem as Suas maneiras, porque já sabemos de pessoas em países assim que recebem e não fazemos ideia de como isso chegou até lá.

E qual é o seu sonho pessoal para este projeto?

Além de ver o evangelho chegando a todo o mundo, meu desejo é que o membro que se dispõe a ser um evangelista celular se aproxime mais de Deus com esta missão, orando pelas pessoas que estão estudando a Bíblia com ele, buscando nela respostas para as perguntas que lhe fazem, e vendo suas orações sendo respondidas e os milagres acontecendo.

Veja Também


Comentários

WordPress Image Lightbox