Notícias Adventistas

Igreja Adventista fortalece unificação da rede de rádios no Brasil

As rádios adventistas formam a partir de agora uma rede no sentido administrativo com mudanças que devem ajustar o foco missionário.

10 de agosto de 2015
A chamada cabeça da Rede Novo Tempo de Rádio está localizada em Jacareí, SP.

A chamada cabeça da Rede Novo Tempo de Rádio está localizada em Jacareí, SP.

Jacareí, SP … [ASN] Uma decisão administrativa estratégica comunicacional foi tomada pela liderança da Igreja Adventista na América do Sul em relação ao seu sistema de rádio no Brasil. Nos próximos meses, a Rede Novo Tempo de Rádio dará um passo importante para fortalecer a unificação no país em que a Igreja teve, por muitos anos, um dos mais influentes programas cristãos radiofônicos, a Voz da Profecia (ainda no ar). O pioneirismo de homens como o comunicador Roberto Rabello foi determinante para que as mensagens bíblicas chegassem a centenas de rádios brasileiras quando TV e Internet ainda não eram meios populares. A Agência Adventista Sul-Americana de Notícias (ASN) conversou com o diretor da Rede de Rádios, pastor Jorge Rampogna, sobre as principais novidades.

ASN – O que muda a partir de agora na Rede Novo Tempo de Rádio?

Jorge Rampogna – Há algum tempo a Igreja Adventista no Brasil e na América do Sul vem pensando e trabalhando em uma reformulação administrativa, filosófica e missionária das rádios adventistas.  Acreditamos que o rádio continua sendo um veículo de comunicação muito relevante. As pesquisas demostram isso. No Brasil, por exemplo, (segundo o IBOPE, julho 2015) 90% da população do país prefere ouvir rádio. Isso nos motivou para avaliar as estratégias e reposicionar a Rádio Novo Tempo e assim chegar a ser a principal rede de rádios do Brasil e da América do Sul. Com essas mudanças administrativas buscamos padronizar estilos, unificar critérios e reforçar a nossa missão que é apresentar a mensagem da esperança baseada na Palavra de Deus para todos os nossos ouvintes.

ASN – Qual será a importância dessa mudança administrativa para os ouvintes e funcionários?

Jorge Rampogna – A partir dos próximos meses iniciaremos o processo para unificar a administração das rádios que constituem a rede no Brasil. Essa administração será feita desde a cabeça de rede, o que significa que as rádios passarão por um processo de padronização geral de estilos musicais, estilos de locução e sobretudo da nossa visão e missão. Obviamente, respeitando as características locais e regionais da rádio. Porque disso se trata a rádio, ela é um veículo de comunicação essencialmente local.

Nesse momento, começamos uma caminhada neste processo que pode levar um pouco mais que um ano. Mas os nosso ouvintes já poderão perceber algumas mudanças. Vale destacar algumas. Nossa seleção musical, a nossa grade de programação com novos programas, os nossos novos conteúdos.

Por outro lado, eu acho que a grande novidade será a nossa parceria com a Escola Bíblica que nos permitirá enviar para o nosso público, de maneira completamente gratuita, milhares de cursos bíblicos por mês para que nosso trabalho vá muito além da transmissão de uma programação. Queremos dar qualidade de vida para os nossos ouvintes e acreditamos que o nossa mensagem tem essas respostas.

Acho importante destacar o que para nós é um grande passo. Nesse processo de reorganização as rádios não haverá mais departamentos comercias e obviamente spots ou chamadas comerciais. Seremos uma rádio cristã comprometida completamente com a missão da pregação do evangelho. Isso significa que a nossa mantenedora principal, a Igreja Adventista do Sétimo Dia, e nossos “anjos da esperança” (exército de doadores que acreditam no nosso ministerio e que regularmente fazem as suas doações) serão a nossa principal fontes de receitas para cumprir a nossa missão.

ASN – Qual é o tamanho da Rede hoje em termos de profissionais, abrangência em termos de territórios e ouvintes alcançados?

Jorge Rampogna – Hoje, por meio das ondas tradicionais da rádio abrangemos oito países. No Brasil ,são 18 frequências de radio (ondas tropicais, FM e AM) e na América do Sul, nos países que falam espanhol, temos mais de 145 estações. Nossa audiência potencial está dividida da seguinte maneira: 30 milhões no Brasil e quase 60 milhões nos países que falam espanhol. (Argentina, Bolivia, Chile, Ecuador, Perú, Paraguai e Uruguai).

Por meio da internet no nosso site, novotempo.com/radio e de nosso aplicativo para smartphones (Rádio Novo Tempo) nossos conteúdos abrangem o mundo.

ASN – Quais projetos podemos esperar para os próximos anos na área da Rede Novo Tempo de Rádio? O que é possível adiantar?

Jorge Rampogna – Nosso principal desafio, hoje, é trabalhar para unificar a nossa programação, fortalecendo os nossos horários nobres da rádio com conteúdo relevante para os nossos ouvintes.  Por outro lado, estamos  sonhamos e muito, pois gostaríamos de ter rádios FM que levem a esperança para os grandes centros urbanos como São Paulo, Belo Horizonte, Manaus o Brasilia. Acredito que Deus abrirá as portas para que os nossos anjos da esperança nos ajudem financeiramente para que este sonho seja uma realidade e assim milhões de pessoas no Brasil e na America do Sul sejam alcançados pelo evangelho de Jesus Cristo. [Equipe ASN, Felipe Lemos]

Veja Também


Comentários

WordPress Image Lightbox