Notícias Adventistas

Apresentador da Novo Tempo grava ações sociais da igreja em Roraima e vivencia imersão cultural

15 de março de 2017

O apresentador entrevistou o Tushaua (líder administrativo) da tribo.

Manaus, AM…[ASN] Durante o último final de semana, o jornalista e apresentador dos programas Identidade Geral e Redação NT, também gerente de jornalismo da Novo Tempo, Wagner Cantori, percorreu parte do território da Associação Amazonas Roraima (AAmaR). Todo o trajeto foi regado a um banho cultural que boa parte do Brasil não conhece.

Na sexta à noite, dia 10 de março e durante todo sábado, dia 11 de março, o jornalista Wagner Cantori participou do Encontro de Comunicadores da AAmaR, na capital manauara, como palestrante oficial. No domingo,  seguiu para o estado de Roraima, onde gravou entrevistas para o seu programa Identidade Geral. “É muito interessante perceber a diversidade do nosso país e ver como a Igreja Adventista está presente em muitas culturas do Brasil”, ressalta.
Leia Também: Comunicação e Comunidade é o foco para o trabalho dos comunicadores do Amazonas e de Roraima
O período das gravações foi uma verdadeira imersão cultural de um Brasil que boa parte do país desconhece e a mídia não explora. A equipe de produção e o Wagner Cantori, que veio da região sudeste do país, tiveram a oportunidade de apreciar peculiaridades que existem apenas no estado de Roraima.
As primeiras evidências da grandiosidade do país, foi ao percorrer as estradas da região, contemplar de perto a exuberante mata Amazônica e experimentar frutos vendidos na beira da estrada, como a pitomba.

A produção desses programas foi feita pela equipe de mídia da AAmaR

As gravações dessa aventura, mostrarão como a Igreja Adventista tem evangelizado tribos indígenas sem interferir na identidade cultural dessas comunidades. Além disso, o jornalista Wagner Cantori evidenciou também como a música pode resgatar a autoestima de um povo. É o caso da comunidade de Sorocaima, que possuiu um coral que canta em três idiomas: espanhol, português e taurepang. Ouvir um dialeto que é preservado até as atuais geração, como o taurepang, foi impressionante! Assim, a cultura deste povo é perpetuada. Ainda nessa comunidade, que sobrevive da agricultura, as bananas são lindas, com um aroma especial. O lanche da manhã da nossa equipe você já deve imaginar, né? Apetitosas bananas de variadas espécies!

A equipe seguiu até a comunidade indígena do Bananal. Lá, o Wagner mostrará como a educação é vista pelos indígenas e, além disso, o incentivo da igreja para que a presença da escola seja cada vez mais concreta na comunidade. Nesse dia, o suco refrescante de cupuaçu, tirado do pé, foi indispensável e o que falar das suculentas melancias plantadas na própria comunidade?  Foi uma fartura ao ar livre. Sem falar que tudo é orgânico, longe da presença dos agrotóxicos. Foi ali, que a equipe ouviu pela primeira vez sobre um prato típico indígena chamado adamorida, a base de peixe e goma de tapioca. Mas, infelizmente, a equipe não teve a oportunidade de saborear. Ficará para a próxima aventura!

A Venezuela será uma das protagonistas dessas sequências de reportagens

Finalmente, na divisa do Brasil com a Venezuela, na cidade de Pacaraima- RR, foi filmada a crise que assola o país e que tem feito com que muitos venezuelanos busquem ajuda no Brasil. O Wagner entrevistou muitos deles que estão sendo assistidos pela igreja Adventista. O jovem Carlos, de 24 anos, está no Brasil em busca de ajuda para a sua família que ficou na Venezuela. Ele deixou de cursar faculdade de Engenharia Agrônoma para trabalhar. “Busco ajuda aqui para socorrer minha família que está na Venezuela”, explica.

As diferentes culturas se encontraram a todo instante nas entrevistas, nos modos de viver, se comportar e falar. Parte destas gravações irão ao ar no mês de abril. Confira no programa Identidade Geral, da TV Novo Tempo, que vai ao ar todos os domingos, às 22 horas. [Equipe ASN, Luciana Santana]

Veja Também


Comentários

WordPress Image Lightbox