Notícias Adventistas

Eclipse e aproximação de cometa marcam a noite desta sexta-feira

Ambos os fenômenos poderão ser vistos em quase todas as regiões do Brasil

10 de fevereiro de 2017

Brasília, DF… [ASN] Para os admiradores do céu noturno, a noite desta sexta-feira, 10 de fevereiro, vai ser um verdadeiro “banquete”. Primeiro, porque começa mais um ciclo de lua cheia. Segundo, porque irá ocorrer o primeiro eclipse lunar de 2017. E terceiro, porque o cometa 45P/HMP estará em seu ponto de maior aproximação da terra.

O primeiro Eclipse Lunar do ano

O fenômeno vai ser do tipo penumbral, ou seja, a lua vai perder um pouco do seu intenso brilho, característico da fase cheia. Segundo o astrofísico, o doutor Eduardo Lütz, o que acontece nos eclipses penumbrais é que a lua passa pela penumbra (parte mais suave da sombra) da terra. O efeito causa a impressão de haver um tipo de filtro ou véu sobre o disco lunar. É diferente dos eclipses umbrais ou totais, quando a lua entra na umbra, ou seja, no núcleo mais escuro da sombra da terra.

Na ilustração, percebem-se as áreas de umbra e penumbra formadas pela sombra da terra. Na noite desta sexta-feira, a lua passará pela região de penumbra, ocorrendo o eclipse. Foto: Shutterstock

Quem, onde e quando vai ver?

O eclipse será visível ao final da noite desta sexta-feira (10) e o início da madrugada de sábado (11). Mais especificamente, a lua começará a ser encoberta pela penumbra às 20h34 (horário brasileiro de verão), alcançando o ponto máximo do fenômeno às 22h43. Às 00h53 ela já terá voltado à área iluminada pelo sol. Observadores das Américas, Europa, África e grande parte da Ásia poderão ver o eclipse. Em praticamente todo o Brasil, ele poderá ser visto por completo e em todas as suas fases. Em algumas regiões do Norte do país, como no Acre, no oeste de Rondônia e no sul e oeste do Amazonas, só será possível observá-lo no nascer da lua, enquanto ela estiver surgindo no horizonte.

Cometa 45P/Honda-MrKos-Pajdusakova

Esta bola de gelo de 1 quilômetro de diâmetro se aproxima cada vez mais da Terra, e na madrugada deste sábado (11), estará a menos de 13 milhões de quilômetros do planeta. A trajetória do cometa atravessa a constelação de Hércules, que estará na direção norte-nordeste do céu por volta das 6h da manhã (horário local). As regiões Norte e Nordeste do Brasil terão uma visão privilegiada, pois, a partir delas, a constelação de Hércules ganha uma maior altura no céu.

O cometa 45P/Honda-Mrkos-Pajdusakova durante sua passagem em 2011. Foto: NASA/JPL-Caltech

Segundo o doutor Lütz, não é comum avistar objetos tão pequenos a distâncias tão grandes. “Mas cometas nessa região expelem material para o espaço. Esse material espalha-se por uma região relativamente grande e brilha com a luz do sol, sendo ainda empurrado pelo vento solar, formando a cauda do cometa”, explica. Portanto, o 45P/HMP poderá ser visto a olho nu, a depender das condições climáticas. Esse cometa chama a atenção devido à sua atmosfera verde luminosa. Em dezembro de 2016, enquanto contornava o sol, a radiação que recebeu aqueceu o seu núcleo gelado, fazendo-o sublimar e emitir carbono diatômico (C2), um gás que brilha na cor verde quando exposto no vácuo do espaço. Isso explica a sua áurea esverdeada.

Condições de clima e iluminação

Tanto o eclipse penumbral quanto o cometa 45P/HMP poderão ser observados a olho nu, porém, a visibilidade depende muito das condições meteorológicas. Portanto, se há intenção de acompanhar os fenômenos, vale a pena conferir a previsão do tempo para a região. Além disso, em áreas com muita iluminação artificial, como os centros urbanos, a experiência visual pode ser comprometida. O ideal é observar o céu a partir de áreas de completo breu, e, para uma melhor apreciação, utilizar binóculos ou telescópios. [Equipe ASN, Vanessa Arba]

Veja Também


Comentários

WordPress Image Lightbox