Notícias Adventistas

Simpósio Criacionista reúne mais de mil universitários no MS

Por Rebeca Silvestrin 30 de abril de 2019

Um dia um evolucionista convicto ousou perguntar a um de seus professores – e heróis – quais as evidências palpáveis aquele professor tinha a respeito do assunto estudado. A resposta foi a de que o assunto seria muito difícil de ser explicado, pois o aluno não entendia aquele tema, especificamente. “Naquele momento poderiam me chamar de qualquer coisa, menos de burro. Fui então ao outro lado do prédio, no departamento de Química para assistir às outras aulas e entender, enfim, o que aquele professor – que era o meu herói -, estava dizendo que eu não entendia. O que eu descobri? Que na Química eles não tocam nesse assunto, porque não há evidências reais e palpáveis que sanariam essas dúvidas. Nesse momento, meus heróis morreram”, conta o doutor em Neurociência, Márcio Fraiberg.

Jairo Fernandes (líder da Educação Adventista no MS), Jeferson Pillar, Márcio Fraiberg (doutor em Neurociência), Evandro Lombardi (mestre em Educação) e Leandro Alencar (líder de jovens e universitários adventistas para o Mato Grosso do Sul).

Há doze anos Fraiberg palestra no meio adventista fazendo a ciência comprovar o que para cristãos não é mera teoria: o Criacionismo. Mas, não foi sempre assim. “Desde sempre divulguei a ciência, mas eu era um evolucionista convicto e admirava demais um professor que era da área de bioquímica – a área em que atuo. Mas, foi ao fazer uma das perguntas mais inocentes do mundo por parte de quem procura aprender, que eu descobri outro caminho”, explica Márcio.

Márcio tinha 19 anos quando sua busca por respostas o guiou até um divisor de águas: a mensagem adventista, segundo conta. “Nessa minha busca por evidências e por respostas eu descobri a Igreja Adventista e o movimento criacionista e estou neles ainda hoje. Isso já faz 20 anos”, lembra.

Ponto de equilíbrio

Fraiberg foi um dos palestrantes do Simpósio Criacionista que ocorreu no último final de semana em Ponta Porã e Campo Grande, respectivamente. Organizado pelo departamento de Educação Adventista em parceria com Departamento de Jovens e Universitários da Instituição Adventista no Mato Grosso do Sul, o evento reuniu mais de mil pessoas do meio acadêmico em busca de mais conhecimento sobre ciência e fé. “O ponto de equilíbrio entre a neurociência e a fé é total, porque a Bíblia já falava sobre processos epigenéticos e a neurociência hoje já percebe o quanto a alimentação e o sono podem potencializar o processo de cognição humana, e o desequilíbrio desses dois fatores podem prejudicar esse desenvolvimento. Então, quando fazemos essa conexão entre aquilo que o Cristianismo sempre disse, mas que, mal interpretado, foi negligenciado ao longo do tempo e está tão em evidência hoje, você percebe o quanto o cristão perdeu por não estudar profundamente os seus próprios escritos. Então, o que eu faço através desses estudos e palestras é resgatar as verdades que sempre estiveram ao nosso lado”, pontua.

Necessidade urgente 

Seguindo a mesma linha de raciocínio, o mestre em Educação, Evandro Lombardi garante que a necessidade mais urgente que os jovens universitários têm atualmente é a de estudo sistemático e profundo das ciências, como ele explica. “Tenho 30 anos de atuação na área educacional e o que percebo de mais urgente no meio cristão acadêmico é a busca por mais conhecimento sobre o criacionismo. Hoje em dia a gente quer falar de tudo, mas não quer se aprofundar em nada e aí os nossos jovens quando se deparam com a Teoria da Evolução e professores bem preparados, encontram dificuldade de contra argumentar e se deparam com problemas para defender a fé. Como igreja e como rede de educação precisamos nos preocupar com o estudo mais profundo das ciências e do Criacionismo”, acredita Lombardi.

Simpósio Criacionista reuniu mais de mil jovens universitários no mês de abril em Ponta Porã e Campo Grande.

E essa busca por mais conhecimento foi um dos principais objetivos do Simpósio que recebeu diversos acadêmicos criacionistas e também evolucionistas. “O evento é importante, principalmente porque pude ver integrantes da Companhia de Estudantes Universitários (CEU/MS), muitos não cristãos participando, pois, se pela amizade que eles têm conosco estão se interessando pelos temas e confiando em nós é porque nossa missão está sendo cumprida”, revela Hellen Carvalho, acadêmica do curso de Enfermagem na Universidade Federal do Mato Grosso do Sul (UFMS) e coordenadora de marketing da CEU.

O evento aconteceu nos dias 27 e 28 de abril e teve participação musical dos cantores Wesley Fonseca e Jeferson Pillar.

Veja Também


Comentários

WordPress Image Lightbox