Notícias Adventistas

Semana Santa é realizada em mais de 1200 locais em SP

Apenas dentro do campo da Paulistana foram planejados mais de 800 pontos de estudo, mas muitas pessoas decidiram também abrir suas casas a vizinhos, e junto a essa reunião, uma outra sempre acontecia, a de crianças. Elas receberam um material especial, e somados ao estudo dos adultos, a Semana Santa aconteceu em cerca de 1200 locais

São Paulo, SP [ASN] A Semana santa marca a data mais importante do mundo cristão. Em 2018, ela aconteceu no final do mês de março, e a Associação Paulistana, a sede da Igreja Adventista para a região central de São Paulo, esteve envolvida de forma intensa desde o início, relembrando cada  acontecimento do momento mais importante da história. Se a data original teve início com a entrada triunfal de Jesus em Jerusalém foi de forma também bem marcante que cada igreja e escola se preparou, convidando sempre mais pessoas a também conhecerem a história. E a iniciativa ainda ganhou força com as ações do Dia Mundial do Jovem Adventista, que em boa parte, foram dedicadas a divulgar e convidar as pessoas para participarem da Semana Santa.

Segundo o pastor Ismael Forti, líder do Ministério pessoal da Paulistana, e responsável pela organização da semana no campo, esse é o momento no calendário da Igreja em que o mundo está aberto para ouvir a respeito da palavra do Senhor, de esperança, do calvário e da fé.

Apenas dentro do campo da Paulistana foram planejados mais de 800 pontos de estudo, mas muitas pessoas decidiram também abrir suas casas a vizinhos, e junto a essa reunião, uma outra sempre acontecia, a de crianças. Elas receberam um material especial, e somados ao estudo dos adultos, a Semana Santa aconteceu em cerca de 1200 locais. Isso também inclui escolas, que durante as noites receberam pais e interessados da comunidade. Só em Barueri, a semana realizada pelo evangelismo Novo Tempo recebeu na primeira noite 500 pessoas, que continuaram vindo ao longo da semana, e puderam presenciar a realização de mais de 80 batismos.

Reforçando ainda mais o trabalho realizado por todos, a paulista recebeu 45 estudantes de teologia, vindos de faculdades do interior de São Paulo, do Paraná e até da Bahia. Eles trabalharam em apoio a comunidade durante a programação, mas no outro período do dia visitaram mais de 700 pessoas, e foram um apoio fundamental de mais de 40 pessoas que decidiram se entregar a Jesus e foram batizadas.

O trabalho realizado é apenas o início de um projeto que deve durar todo o ano, agora com a continuidade dos estudos nas classes bíblicas. “Uma Igreja sem classes Bíblicas é como uma maternidade sem sala de parto”, comentou o pastor Romualdo Larroca, presidente da Paulistana, durante o lançamento do projeto na igreja de Campo Grande. Segundo ele, a Semana Santa é apenas o início do trabalho, e funciona como a semeadura. Você planta hoje, pode até colher bons frutos ao longo do ano, mas com certeza terá uma grande colheita no final dele.

Após a Páscoa, 49 fichas batismais já foram preenchidas, 350 novas classes bíblicas começam a funcionar e foram formados mais 152 pequenos grupos. [Equipe ASN – Lóren Vidal]

Este slideshow necessita de JavaScript.

 

 

Veja Também


Comentários

WordPress Image Lightbox