Notícias Adventistas

O que jovens têm feito para que pessoas conheçam a Cristo

Ligados a diversos projetos da Igreja, voluntários de oito países da América do Sul se dedicam a semear a mensagem do evangelho.

Por Anne Seixas 8 de novembro de 2019

Amizade e carinho atraíram a atenção de Raquel (centro) para uma mudança em seu estilo de vida. Com os estudos, ela decidiu adotar as recomendações encontradas na Bíblia (Foto: Gustavo Leighton)

Distintos pontos do mapa se cruzaram para que Janete dos Santos, Enilson Costa e Raquel Barbosa se encontrassem. O lugar em comum foi o Núcleo Rural Vargem Bonita, em Brasília, capital do Brasil. Foi ali que chegou uma equipe do projeto Um Ano em Missão, em que jovens dedicam 12 meses de suas vidas para semear o evangelho em algum lugar distante de sua terra natal. 

Costa é maranhense, mas encontrou a mensagem apresentada pela Igreja Adventista quando se mudou para o Centro-Oeste brasileiro. Até então, o álcool e as drogas eram parte de sua rotinaE foi para aliviar o sofrimento da mãe que decidiu mudar suas práticas. “Em gratidão a Deus, pelo que Ele fez, eu desejei fazer parte disso [Um Ano em Missão] para salvar outras pessoas”, descreve. 

Leia também: 

Raquel, por sua vez, vivia os dramas da adolescência. Cresceu em uma família cristã, mas em certo ponto passou, assim como Costaconsumir o álcool de forma a criar dependência dessa e outras substâncias. Ela estava colhendo os frutos dos hábitos de vida desregrados quando decidiu procurar uma igreja. “Fiquei um tempo depressiva. Depois conheci a Janete e o Enilson, e me interessou [conhecer a Igreja]“, detalha a jovem. Nessa época, a convite de uma amiga, passou a frequentar uma congregação próxima de sua casa, em Vargem Bonita. No entanto, tinha pouca familiaridade com a Bíblia.  

O encontro dos três personagens aconteceu quando Costa e Janete, que é argentina, saíram às ruas do vilarejo para fazer uma pesquisa e oferecer estudos bíblicos. Em uma das casas, os pais de Raquel aceitaram entender mais sobre o livro sagrado. A moça, no entanto, não participou das primeiras reuniões. “Ela passava pela sala, cumprimentava, mas não ficava”, relembra Janete. Alguns meses se passaram até que a moça aceitasse participar das aulas.  

Influências positivas

Mas não demorou muito para que ela expressasse o desejo de ser batizada. Conquistada pela amizade dos voluntários, Raquel passou a frequentar o templo adventista recém-inaugurado em Vargem Bonita. “Eu quis buscar a Deus”, confessa. Mas a decisão não foi fácil. Ela deixou antigos hábitos para se tornar uma adventista do sétimo dia.  

Raquel foi batizada e convidou os pais e o namorado a optarem pela mesma decisão (Foto: Gustavo Leighton)

Sua cerimônia batismal aconteceu durante a abertura do Concílio Anual da Igreja Adventista para a América do Sul, realizada na noite desta sexta, 8. Com o tema “Colhendo os Frutos”, a decisão da jovem exemplifica o objetivo de pastores e membros que atuam em oito países deste continente de semear a esperança apresentada pela Bíblia e colher pessoas dispostas a seguir a Cristo. Na programação, outros jovens contaram suas histórias sobre o que os tem impulsionado a dedicar suas vidas a promover mudanças na de outros.  

Eles apontaram como iniciativas como Um Ano em Missão e Missão Calebe podem ser ferramentas para usar talentos e sonhos para alcançar outras pessoas que precisam não apenas de palavras de conforto, mas de mudanças significativas. Seja do interior do Paraguai ou do centro do Brasil, muitas pessoas veem na disposição de pessoas como Janete e Costa os resultados do plantio da mensagem bíblica.

Assista a todos os detalhes:

Veja Também


Comentários

WordPress Image Lightbox