Notícias Adventistas

Nova versão da Bíblia é primeira revisão profunda em 60 anos

Nova Almeida Atualizada surge com modificações para apresentar uma linguagem mais moderna e compatível com as chamadas novas gerações.

15 de maio de 2018

Por Felipe Lemos

Exemplar letra gigante da nova versão Almeida. Foto: SBB

A Bíblia Sagrada, livro mais importante do cristianismo e um dos mais conhecidos e traduzidos em todo o mundo, foi originalmente escrita em, pelo menos, dois idiomas principais: hebraico e grego. Por isso, um importante trabalho é o da tradução e produção de versões em diferentes idiomas a fim de tornar seu conteúdo disponível ao maior número de pessoas. Porém, ao longo dos anos, mesmo as melhores versões precisam ser revisadas em linguagem e conteúdo, já que o próprio idioma sofre mudanças culturais e também se atualiza. Depois de 60 anos, a famosa versão em português da Bíblia Almeida Revista e Atualizada (RA) passou por um update e, no final de 2017, foi lançada a versão Nova Almeida Atualizada, trabalho realizado pela Sociedade Bíblica do Brasil (SBB). A Agência Adventista Sul-Americana de Notícias (ASN) conversou sobre essa versão com Paulo Teixeira, secretário de Tradução e Publicações da SBB.

Em que consiste a versão Nova Almeida Atualizada? Quais as principais novidades?

Trata-se de uma revisão de uma das traduções mais lidas e queridas pelos cristãos brasileiros, a Almeida Revista e Atualizada (RA). Pois a Nova Almeida Atualizada (NAA) tem o propósito de apresentar o texto clássico de Almeida numa linguagem atual. É resultado de quatro anos de trabalho e recebeu melhorias com o objetivo de tornar o texto mais compreensível, sem perder a essência da tradução. Algumas das principais melhorias foram:

  • Substituição de termos que exigem consulta ao dicionário. Exemplo: “irrisão” (Jó 12.4), que aparece na ARA, foi substituído por “motivo de riso”, sem perda de significado.
  • A segunda pessoa (tu e vós) foi mudada para você e vocês, a não ser em orações e nos Salmos.
  • Uso da ordem de palavras que é natural em português, em vez da ordem que é natural em hebraico e grego (“respondeu a mulher” ® “a mulher respondeu”).
  • Preservação dos níveis literários distintos e do estilo de diferentes escritores. O leitor poderá perceber o estilo mais popular de Marcos, a simplicidade de João, a lógica de Paulo e o estilo elevado de 1Pedro e Hebreus, entre outros.
  • A poesia bíblica é tratada como poesia também na apresentação gráfica.
  • Adoção, sempre que possível, de frases mais curtas.
  • Unidades de peso (siclos, talentos etc.), de medida (côvados, estádios etc.) e de capacidade (efas, batos etc.) foram convertidas para pesos e medidas que são mais conhecidos e usados pelos leitores de hoje (gramas, metros, litros, etc.).
  • Foi incluído um sistema de referências cruzadas mais amplo, incentivando os leitores a lerem a Bíblia à luz da própria Bíblia.
  • Especial atenção à apresentação gráfica, procurando priorizar os parágrafos e deixar claro onde há diálogo.

O que a SBB esperava com essa nova versão da Bíblia? Alcançar algum público diferente?

As principais melhorias foram feitas com o objetivo de tornar o texto bíblico mais compreensível, preservando o estilo clássico desta tradução. O resultado do trabalho é um legado às novas gerações e vai possibilitar que tenham acesso à tradução de Almeida de uma forma compreensível, sem que tenham que recorrer ao dicionário. O maior desafio desse trabalho foi fazer com que, mesmo atualizado para o português escrito no Brasil do século XXI, o texto mantenha a sonoridade do texto de Almeida. Por isso, uma grande preocupação da equipe foi na fluência do texto, tanto para leitura quanto para audição.

Quais são os números atuais de produção da Bíblia em português no Brasil? Quantas versões?

Além de publicar as mais utilizadas pelos brasileiros – Almeida Revista e Atualizada, Almeida Revista e Corrigida e Nova Tradução na Linguagem de Hoje (NTLH) – a SBB relançou, em 2011, a Tradução Brasileira. Considerada um clássico da literatura bíblica, é uma tradução histórica, de 1917, a primeira a ser feita totalmente no Brasil. A Nova Almeida Atualizada passou a integrar, em novembro de 2017, a lista de traduções oferecidas pela SBB.

Quanto aos dados de distribuição, temos apenas as informações relativas à SBB. Em 2017, a entidade registrou um crescimento expressivo de downloads de Bíblias, com 3.431.661 exemplares, superando em 128% a marca de 1.506.406 obtida no ano anterior. Considerando também as edições impressas, a SBB distribuiu 8.652.593 de exemplares da Bíblia. Já o total de Escrituras, que engloba ainda Novos Testamentos, livretos, folhetos, obras acadêmicas e publicações infantis, somou 221.832.399 publicações, entre edições impressas e digitais.

Explique um pouco sobre o trabalho para se chegar a uma nova versão da Bíblia. Como funciona, quantas pessoas são envolvidas?

Publicada com exclusividade pela SBB, a Almeida Revista e Atualizada (RA) atravessou 60 anos sem ter sido submetida a uma revisão mais profunda. A recomendação das Sociedades Bíblicas Unidas (SBU), aliança mundial da qual a SBB faz parte, é que isso seja feito a cada 25 anos. O trabalho de revisão, capitaneado pela SBB, contou com a colaboração das igrejas cristãs, que puderam se manifestar tanto no lançamento do projeto, em 2012, como, mais efetivamente, a partir da edição experimental do Novo Testamento, Salmos e Provérbios, em 2016, já com o texto revisado. Foram, ao todo, quatro anos de trabalho, realizado por uma equipe de três pessoas.

Assista também, abaixo, à entrevista do jornalista Michelson Borges com Denis Timm, gerente editorial da Sociedade Bíblica do Brasil.

Veja Também


Comentários

WordPress Image Lightbox