Notícias Adventistas

Israelitas não correspondiam ao amor de Deus nos dias de Malaquias

Ministério do profeta foi marcado pelo constante apelo ao arrependimento do povo e aproximação ao Senhor.

29 de outubro de 2014
Projeto Reavivados por Sua Palavra deve se encerrar na metade do próximo ano com leitura de toda a Bíblia

Projeto Reavivados por Sua Palavra deve se encerrar na metade do próximo ano com leitura de toda a Bíblia.

Brasília, DF… [ASN] O livro do profeta Malaquias começa a ser estudado hoje, 29 de outubro, de acordo com o plano de leitura do projeto Reavivados por Sua Palavra, que tem por objetivo levar os participantes a meditar diariamente em um capítulo da Bíblia. Já em seus primeiros versos, Deus demonstra seu desapontamento. “O filho honra ao pai, e o servo, ao seu senhor. Se Eu sou pai, onde está a Minha honra? E, se Eu sou senhor, onde está o respeito para comigo? – diz o Senhor dos Exércitos a vós outros, ó sacerdotes que desprezais o Meu nome. Vós dizeis: Em que desprezamos nós o Teu nome? Ofereceis sobre o Meu altar pão imundo e ainda perguntais: Em que te havemos profanado? Nisto, que pensais: A mesa do Senhor é desprezível (Ml 1: 6,7).

Leia também:

O registro acima evidencia um dos problemas que havia em Israel nos dias de Malaquias: Os sacerdotes, responsáveis por oficiar os serviços religiosos, desprezavam a Deus por meio de suas ações e não correspondiam Seu amor.

De igual modo, o povo havia se afastado de Deus. Malaquias, portanto, é chamado “muitos anos” após o retorno dos judeus do exílio babilônico para adverti-los quanto à sua conduta em um período em que se verificou “um acentuado estado de decadência espiritual”, como sublinha o Comentário Bíblico Adventista. Daí o nome do profeta, que significa mensageiro de Yahweh. “De fato, os exilados tinham retornado da terra do cativeiro para a terra da promessa, mas o coração deles permaneceu no distante país da desobediência e do esquecimento de Deus”, explica o Comentário Bíblico.

Deus estava tão cansado das demonstrações de infidelidade dos sacerdotes a ponto de considerar os serviços religiosos inaceitáveis. No entanto, Ele ainda tolerava aqueles que O haviam abandonado e reconhecia os poucos que ainda demonstravam fidelidade ao Senhor.

Ao final do livro do profeta é dado a saber que antes do dia do juízo final, um mensageiro – João, o Batista, seria o enviado para preparar aqueles que verdadeiramente queriam viver com e para o Senhor. Abaixo, veja o vídeo de introdução ao livro. [Equipe ASN, da redação]

Veja Também


Comentários

WordPress Image Lightbox