Notícias Adventistas

Mais de 80 pessoas são batizadas com o trabalho direto de mulheres

No sul de Minas Gerais, mais de 200 pessoas foram batizadas no evangelismo de 15 dias.

26 de junho de 2014
Além da participação das mulheres, um pastor fechou sua igreja evangélica para assistir a série de estudos em Nova Era, bairro em Juiz de Fora

Além da participação das mulheres, um pastor fechou sua igreja evangélica para assistir a série de estudos em Nova Era, bairro em Juiz de Fora

“Sou autônoma, mas recebi um convite para trabalhar como doméstica”, conta Lauhete Naia Caldeiras, de 55 anos. Ela ficou na dúvida. “Eu faço as minhas coisas por conta, por que deixaria o meu emprego para trabalhar como doméstica? ”, questionava-se em pensamento.

Segundo Lauhete, alguma coisa estava falando com ela para aceitar o emprego. “Conheço a Deus, sei que Ele falou comigo e tomei minha decisão. ” Sem entender o motivo, ela aceitou o trabalho. Na primeira semana como doméstica, a dona da casa começou a fazer perguntas sobre a Bíblia. Em menos de dois meses, sua patroa passou a frequentar uma Igreja Adventista mais próxima de sua casa.

Após um ano, Lauhete foi novamente surpreendida. “Deus disse que era hora de eu sair do serviço. Eu fiquei pensando o que iria fazer? Logo agora que eu estava bem no trabalho. ” Mesmo com o aluguel para pagar nos meses consecutivos, ela não hesitou e saiu do emprego.

Enquanto não tinha trabalho, ela passou a dividir o conhecimento bíblico que tinha com outras pessoas. Nesse ínterim Lauhete foi ao banco e teve uma surpresa. “Na minha conta tinha o dinheiro exato que precisava para quitar o aluguel”, relembra.

Leia também

Resultado de uma vida dedicada

Pouco tempo depois, ela recebeu o telefonema de um pastor da Igreja Adventista, que a convidou para trabalhar como missionária. Ela aceitou e continuou o seu trabalho, que já fazia há algum tempo.

Entre os estudos que a evangelista dava, estava o de uma mulher, moradora do Borboleta, bairro em Juiz de Fora. Quando estava terminando a série de ensinamentos bíblicos, a mulher disse que também gostaria que a mãe dela tivesse a oportunidade de aprender o conteúdo da Bíblia. Sem pensar duas vezes, Lauhete aceitou a proposta. Ela cortava a cidade toda semana para ensinar e ia até se tivesse chovendo.

Ao todo, mais de 200 pessoas foram batizadas. Deste resultado, 80 foram do trabalho das mulheres

Ao todo, mais de 200 pessoas foram batizadas. Deste resultado, 80 foram do trabalho das mulheres

Depois de um tempo, começou uma série de estudos em 15 dias sobre Apocalipse em Nova Era, bairro em Juiz de Fora. Lauhete encaminhou mãe e filha ao local. Ao final da programação, as duas foram batizadas.

“Foi um momento maravilhoso. Dou glória a Deus por esse resultado. A outra filha também quer se batizar”, empolga Lauhete. Atualmente a missionária estuda a Bíblia com 40 pessoas em bairros diferentes de Juiz de Fora.

Assim como Lauhete, mulheres da Igreja Adventista, conhecidas como mensageiras da esperança, se envolveram em 29 pontos de evangelismo para apresentar Deus e a Bíblia às pessoas. O trabalho rendeu mais de 80 batismos. Já o resultado dos pastores, que se empenharam em pregar nos mais de 40 locais, somou mais de 120 batismos. Com o trabalho das mulheres e dos pastores, o resultado totalizou em  mais de 200 batismos. O próximo evangelismo está previsto para novembro. [Equipe ASN, Vanessa Lemes]

Mais fotos do evangelismo no Facebook da Associação Mineira Sul.

 

Notícias Relacionadas


Comentários

WordPress Image Lightbox