Notícias Adventistas

Glaucia Korkischko

Glaucia Korkischko

Geração Ativa

Como preparar as crianças e adolescentes para o tempo do fim

O evangelista de seis anos

Pesquisas apontam que a infância é a fase em que há maior propensão à empatia e ao desenvolvimento da fé. (Foto: Shutterstock)

Um dia desses, deparei-me com uma história curiosa de um menino de apenas seis anos de idade que já era um evangelista. Mas não exatamente como aqueles pregadores que falam todas as noites em conferências. Este garoto, que se chama Samuel, é um evangelista pessoal.

Tudo começou numa manhã, quando ele ouviu uma história criativa que usava um cata-vento colorido como ilustração. Com as cores do brinquedo, a psicóloga Vânia explicou sobre o pecado, a graça e o amor de Jesus, e desafiou as crianças a contarem para outros amigos essa história. Samuel levou de presente um cata-vento e não apenas contou a história ao seu amigo, Pedro, mas também o convidou para aprender mais sobre a Bíblia.

Uma das coisas que me chamaram a atenção é o compromisso de Samuel com Jesus. Encantada com a sua história, comecei a descobrir muitas outras de crianças evangelistas, cada uma com sua IDENTIDADE MISSIONÁRIA.

O que as pesquisas apontam

A infância é o período da vida mais favorável ao desenvolvimento da fé e da compaixão. Segundo o grupo de investigação de George Barna, crianças entre 5 e 12 anos tendem a ser mais empáticas e a atender ao chamado de Deus para servir em uma missão.

Uma outra pesquisa, feita em 2015 pela NAE – National Association of Evangelicals –, revelou que 63% dos entrevistados se converteram ao cristianismo entre 4 e 14 anos. Esse intervalo de idade é reconhecido como uma janela de oportunidade para o alcance de pessoas a Cristo. Em torno disso, foi formado o Movimento Janela 4/14, por Luis Bush e Kim Nam Soo, com o intuito reunir pessoas e organizações envolvidas na evangelização e ensino de crianças e jovens.

Ellen White, escritora e educadora cristã, afirma também que as crianças de oito anos já têm discernimento para decidirem sobre sua fé e religião pessoal, e que não devemos subestimar sua capacidade de compreender o pecado e a salvação que Jesus oferece.

Três motivos para semear a Missão no coração das crianças

  1. Crianças são receptivas a Deus, sentem compaixão e gostam de trabalhar para Jesus. Elas dizem “sim” com mais facilidade que os adultos.
  2. Jesus é o maior exemplo de uma criança missionária. A Bíblia também traz outras lindas histórias de crianças, adolescentes e jovens que decidiram testemunhar, mesmo em meio a uma fornalha ardente.
  3. Elas são a geração que dará seguimento à tarefa de compartilhar as boas novas sobre Jesus.

Por onde começar?

Creio que o Espírito Santo tem despertado corações de pais e filhos ao longo da história, e o exemplo do envolvimento apaixonado de um adulto é o modelo mais poderoso para a criação da identidade missionária na criança.  Lembro-me com carinho das atividades missionárias que fazíamos em família. Nossos pais nos confiavam tarefas simples, mas nos elogiavam pela participação como se fizéramos algo extraordinário! Isso nos enchia o coração de alegria em servir ao Senhor.

Outra poderosa forma de motivar as crianças é contar-lhes histórias de missionários que vivem em países desafiadores; ler para elas livros, revistas, sites, mostrar-lhes num mapa os lugares distantes onde missionários atuais estão. Toda criança gosta de aventuras! E que tal escolher um dia para que a família ore por esses missionários? Que tal combinar uma oferta periódica para as missões? Contar essas histórias na Escola Sabatina também é genial! Algumas igrejas fazem até chamadas ao vivo para conversarem com missionários do outro lado do mundo.

Também deve-se ensinar às crianças que é possível servir de diversas formas. Os missionários além-mar nos inspiram, mas sempre há alguma necessidade bem próxima a nós em que a igreja e a família podem ajudar. A sementinha plantada e cultivada no coração infantil, em algum momento poderá levá-lo a decidir por servir a Deus em tempo integral.

Um sábado por ano, crianças e aventureiros da Igreja Adventista comemoram o seu dia iniciando um movimento missionário que se estende por todo ano. E estamos bem próximos a esta celebração! Neste dia 18 de maio, nossas igrejas terão o prazer de ver os pequenos envolvidos em atividades diversas, motivados pelo tema “Eu Quero Ir”.

Sugestões práticas

Seguem algumas ideias simples para aplicar em família ou na sua comunidade religiosa:

  • Explorem notícias, vídeos e histórias missionárias para se inspirarem.
  • Façam uma pesquisa, um levantamento das necessidades locais.
  • Elejam um projeto missionário para se envolverem, lembrando sempre de celebrar o início e/ou a conclusão dele.
  • Enfatize a empatia como uma virtude para a vida, não somente para um momento.
  • Monte uma exposição de fotos com as quais as crianças possam contar suas experiências aos amigos.
  • Que tal uma festa de aniversário diferente? Em vez de centrar a atenção e os presentes no pequeno aniversariante, incentive-o a recolher presentes e chamar os amigos para comemorarem a dádiva da vida num orfanato ou asilo.
  • Desenvolva o olhar das crianças para os colegas que ficam isolados, ou que sofrem bullying, a fim de que os acolham, incluam e amem.
  • Crie tarefas e oportunidades para as crianças falarem de Jesus aos colegas. Elas podem convidá-los para momentos em sua casa, em um pequeno grupo ou na classe da Escola Sabatina.
  • Monte uma playlist de canções missionárias, alegres e empolgantes, para cantar com as crianças.
  • Promova passeios a lugares que registram uma história missionária ou onde se possa fazer uma missão especial.
  • Execute um calendário e momentos de oração por missionários, com seus pequenos.
  • Ensine-os a separarem de sua mesada uma oferta especial para as missões. Isto lhes ajudará a desenvolverem o altruísmo.

Conclusão da história

Sabe o Samuel e o Pedro da história inicial? Eles moram no estado de São Paulo. Seus pais se tornaram amigos e hoje frequentam todos a mesma igreja. E Patrícia, mãe do Pedro, resolveu ajudar mais crianças a conhecerem sobre o amor de Deus, como a Vânia, que contou a história com o cata-vento.

Assim como o Sam, há muitas outras crianças com histórias fascinantes. Estou convencida de que, se os pais, pastores e líderes orarem e agirem em favor desta nova geração, verão os resultados e o desenvolvimento da IDENTIDADE MISSIONÁRIA em nossos pequenos, porém GRANDES evangelistas.


Referências:

White, Ellen G. Testimonios para la Iglesia, t. 1, p. 355.

___________. Fundamentos  do  Lar Cristão,  p. 140, 144.

___________. Conselho aos Pais, Professores e Estudantes, p.  166,167.

Barna, George. Transformando Crianças em Campeões, p.

http://ultimato.com.br/sites/caminhosdamissao/2018/06/25/movimento-janela-4-14-oferece-cursos-gratuitos-de-capacitacao-para-ministerios-infantil-e-jovem/

https://www.adventistas.org/pt/criancas/projeto/sabado-da-crianca/

https://www.youtube.com/watch?v=EH56YX8L_NA

https://www.youtube.com/watch?v=90gMhhHzbs8

Revista AFAM, 4º Trimestre, 2017.

Bíblia Sagrada, NVI: Lucas 18:16, Juízes 2:10, Mateus 21:16, Provérbios 22:6, 2 Timóteo 3:15

Veja Também


Comentários

WordPress Image Lightbox