Notícias Adventistas

Adolfo Suárez

Adolfo Suárez

Muito além do ensino

Reflexões sobre aspectos da vida diária a partir da Teologia, Educação e Ciências da Religião

Pai, eu prometo!

A Bíblia também reforça a construção de um relacionamento saudável e duradouro entre pais e filhos (Foto: Shutterstock)

Prefere a versão em áudio? Ouça:


Mesmo havendo convivido pouco tempo com ele, eu tenho gratas memórias do meu pai: passeios de bicicleta, pescaria, banho nas cachoeiras, o presente do Natal de 1975, o cachorrinho León, que chegou de surpresa… Foram apenas sete anos de convivência até sua sentida morte, em 1977.

Crescer sem pai é sofrido, mas guardar boas lembranças é confortante.

Como fiquei órfão muito cedo, tive pouco tempo para demonstrar meu carinho de filho. Mas hoje, como pai de duas meninas, posso dizer com experiência: é ótimo receber o carinho dos filhos. Sim, a melhor recompensa da paternidade é o trato amigável e afetuoso de nossos meninos e meninas.

Por isso, pensando no relacionamento familiar, proponho que você, filho e filha, faça algumas promessas ao seu pai. Aqui estão as que eu faria ao seu Joaquín, se ele estivesse vivo.

Pai, eu prometo honrar seu nome

Está escrito em Êxodo 20:12: “Honra a teu pai…” O mandamento não diz “obedeça ao seu pai”, mas sim “honre ao seu pai”. Qual é a diferença entre obedecer e honrá-lo? Obedecer significa concordar em fazer algo, concordar em ser conduzido, sem necessariamente respeitar ou ter estima pelo pai. Um filho pode obedecer ao seu pai sem tê-lo em alta consideração. Obedece por medo, por pressão, por obrigação.

Honrar tem um significado bem mais amplo: valorizar, considerar altamente, ter em grande estima, respeitar. O mandamento afirma: “honre” – e não “obedeça” –, porque os filhos até podem obedecer sem honrar, mas jamais podem honrar sem obedecer.

Honrar nosso pai significa querer o bem dele, querer que ele se sinta bem, e agir para que se sinta bem. Honrar nosso pai significa ouvir seus conselhos. Honrar nosso pai significa falar bem dele; significa procurar maneiras de mostrar-lhe apreço, respeito, admiração: seja mediante uma mensagem de Whats, um e-mail, um cartão, um presentinho, um telefonema, um abraço, um beijo, uma declaração de amor.

Filhos e filhas: honrem seu pai!

Pai, eu prometo respeitar suas chamadas de atenção

O apóstolo Paulo escreveu em Efésios 6:4: “Pais, não provoqueis vossos filhos à ira, mas criai-os na disciplina e na admoestação do Senhor”. Neste versículo, Paulo apresenta as responsabilidades dos pais para com os filhos. Mas, indiretamente, ele também conscientiza os filhos sobre o que devem esperar dos pais, avisando-lhes que não podem esperar dos pais uma atitude displicente, irresponsável. Nada disso. Os filhos devem esperar dos pais disciplina e admoestação do Senhor.

Por sua natureza mais firme, e sua voz mais potente, o pai representa a justiça, a disciplina e os limites dentro de um lar. É dele que se espera o estabelecimento de regras, e também a cobrança delas; espera-se o discurso do “isto pode e isto não pode”. E o pai cobra isso tudo por uma razão: segurança e felicidade dos filhos.

E como os filhos deveriam reagir às regras e exigências coerentes e justas do pai? Com profundo respeito! E como os filhos deveriam reagir às chamadas de atenção quando essas regras e exigências não são obedecidas? Com profundo respeito! Afinal, a obediência a limites seguros e a submissão aos “mandamentos” de um pai temente a Deus farão de filhos e filhas cidadãos conscientes e de bem.

Filhos e filhas, respeitem as chamadas de atenção de seu pai!

Pai, eu prometo ser responsável

O sábio escreveu: “Ouçam, meus filhos, a instrução de um pai; estejam atentos e obterão discernimento” (Provérbios 4:1). Quando Salomão diz “ouçam” e “estejam atentos”, está falando de responsabilidade diante das instruções de um pai sábio, temente a Deus. E qual o resultado disso? O filho responsável ganhará prudência; ou seja, ganhará equilíbrio, sensatez, conhecimento, sabedoria. Assim sendo, quando os filhos agem com responsabilidade diante dos ensinamentos do pai, eles são os maiores beneficiados.

Há muitos filhos e filhas que, diante dos bons ensinamentos do pai, reagem com desprezo, deboche e revolta. E pensam que dessa forma ferem o coração do homem que cuida deles. Sim, eles podem magoar o coração dele, mas os maiores perdedores são eles próprios – filhos e filhas –, pois sua insensatez os priva do tremendo lucro de uma vida vivida com responsabilidade.

Filhos e filhas, sejam responsáveis com seu pai!

Pai, eu prometo causar-lhe alegria

Salomão escreveu: “O filho sábio dá alegria ao pai” (Provérbios 10:1). O pai certamente fica feliz quando seus filhos tiram boas notas na escola, quando conseguem um bom emprego, quando superam seus desafios ou quando ganham medalha no campeonato do colégio. Mas nenhuma alegria supera a felicidade que o pai sente quando vê seus filhos agindo com sabedoria e bom senso nas pequenas e grandes atividades e ocupações da vida. Afinal, se o filho é sábio, terá tudo de melhor na vida; e mesmo diante de circunstâncias adversas, terá condições plenas de superação.

Filho sábio é aquele que:

  • Respeita as pessoas;
  • É honrado nos negócios;
  • Encara os estudos com responsabilidade;
  • Cresce em maturidade;
  • É amigo de Deus.

Filhos e filhas, alegrem seu pai vivendo de modo sábio!

Pai, eu prometo dedicar tempo a você

Quando os filhos e filhas são pequenos, querem ficar o tempo todo com os pais. Mas alguns, quando crescem, viram adultos e saem de casa e se esquecem deles. Em casos extremos, até perdem o contato com o pai: não ligam, não escrevem, não aparecem.

A melhor maneira de mostrar que seu pai é importante é dedicando-lhe tempo de qualidade, e, se possível, em quantidade. O doutor Armand Nicholi, professor clínico de psiquiatria na Harvard Medical School e no Massachusetts General Hospital, afirma que “o tempo é como o oxigênio: há uma quantidade mínima necessária à sobrevivência. E é preciso tanto quantidade quanto qualidade para desenvolver relacionamentos carinhosos e afetivos”.[1]

Por isso, demonstre carinho e afetividade. Que tal ligar agora para seu pai e dedicar-lhe um pouquinho de tempo?!

Pai, eu prometo cuidar de você!

Escrevendo ao jovem Timóteo, o apóstolo Paulo disse: “Se alguém não cuida de seus parentes e especialmente dos de sua própria família, negou a fé e é pior que um descrente” (1 Timóteo 5:8).

Os pais, antes fortes, saudáveis e independentes, um dia se tornam frágeis, enfermiços e dependentes. Aqueles que antes seguravam as mãos dos filhos, um dia precisarão que estes lhes segurem as mãos. E o que os filhos devem fazer? Cuidar deles! Fazer sacrifícios por eles! Afinal, a história poderá se repetir: os filhos que hoje cuidam do pai, amanhã serão cuidados por seus próprios filhos. Obviamente, o cuidado do pai não deve ser praticado por mero interesse, mas porque o cuidado da família é um dever de todo filho e filha de Deus.

O melhor presente que você pode dar a este homem de sua vida é fazer ou renovar estas seis promessas:

  1. Pai, eu prometo honrar você;
  2. Pai, eu prometo respeitar suas chamadas de atenção;
  3. Pai, eu prometo ser responsável;
  4. Pai, eu prometo trazer-lhe muitas alegrias;
  5. Pai, eu prometo dedicar tempo a você;
  6. Pai, eu prometo cuidar de você.

Estas promessas de honra, respeito, responsabilidade, alegria, tempo e cuidado constituem uma clara evidência de que os filhos e filhas são sábios, e que estão preparados para conviverem, pela eternidade, com o Pai Celestial.


Referências:

[1] Citado em John Maxwell. O Sucesso de Amanhã Começa Hoje, p. 126.

Veja Também


Comentários

WordPress Image Lightbox