Notícias Adventistas

Mais de 20 mil envolvidos no Quebrando Silêncio na Paraíba e Rio Grande do Norte

Ênfase foi na prevenção e na educação.

28 de agosto de 2013
Em vários momentos, voluntários levaram as revistas até os motoristas paradas no trânsito

Em vários momentos, voluntários levaram as revistas até os motoristas paradas no trânsito

Natal, Rio Grande do Norte … [ASN] Em uma só voz, quebrando o silêncio, mais de 20 mil fiéis das Igrejas adventistas do Sétimo Dia dos Estados do Rio Grande do Norte e Paraíba, território da Missão Nordeste, saíram às ruas e levaram ao conhecimento da população, informações sobre a violência no Brasil e no mundo, e melhor, como quebrar esse ciclo.

Com faixas, carros de som, mais de 15 mil folhetos e revistas com explicações sobre os diversos tipos de violência que existem, eles anunciavam às pessoas, como se prevenir desse mal que embora silencioso, atinge uma grande parte da população. É um quadro assombroso, mas que é possível vencer. Por isso, a Igreja Adventista une forças aos que apoiam essa ideia e partem para o desafio de defender os menos favorecidos, ou seja, as crianças, os adolescentes, os idosos e as mulheres, vítimas que sofrem caladas, por medo, por vergonha ou pela esperança de que se não denunciar, o “mal” não volta a acontecer.
A campanha que abrange oito países da América do Sul, incluído o Brasil, já está em seu 11º ano e a cada edição mais materiais e mais inovação são feitos para chamar a atenção dos leitores.
Na sexta (23), em comemoração a um ano do Programa RN Vidas que trabalha no combate e prevenção das drogas, ações de conscientização e sensibilização e atendimento aos usuários e seus familiares, a Assembleia Legislativa prestou uma homenagem durante uma sessão solene no plenário, a qual contou com a presença de alguns parceiros do programa, o que inclui o clube de desbravadores da Igreja Adventista, representados ali, pelo diretor associado do Ministério Jovem – Erinaldo Costa, o qual na oportunidade levou ao conhecimento do então deputado Hermano Morais (PMDB), o trabalho que a igreja realiza nas diversas áreas, e na ocasião, entregou revistas da campanha Quebrando Silêncio. O parlamentar falou sensibilizado com as ações que estão sendo desenvolvidas, principalmente por conhecer o trabalho dos desbravadores. Ele falou a nossa equipe de reportagem, parabenizando a mobilização.
“Quero parabenizar a igreja adventista no intuito de estimular a sociedade a não se calar, a não se omitir, denunciar qualquer tipo de violência… Essa é uma campanha meritória, que mobiliza a sociedade e que demonstra que com a graça de Deus, união e com atitude, nós podemos construir, devemos construir, uma sociedade melhor”.
Paraíba – Na capital paraibana, houve diversas carreatas. Os fies percorreram ruas e avenidas em trios elétricos, chamando às pessoas para uma grande concentração na Praça Pública no bairro dos Bancários, por nome Paz. O percurso foi longo, mas a vontade de anunciar que todos devem denunciar e acabar de vez com a violência era maior.
A coordenadora do evento da região, Nancy Bezerra, a cada revista que entregava, a cada abordagem que fazia, dizia “a violência é uma doença contagiosa, acabe dom ela”.
Em Sousa, carros do corpo de bombeiros e polícia de trânsito acompanharam o trajeto das mais de 300 pessoas envolvidas na campanha, naquela região.
Rio Grande do Norte – Como em coro, em diversos bairros da capital potiguar e também no interior do RN, o “Não à violência” era o grito de guerra dos participantes das inúmeras mobilizações que em alguns pontos de Natal, iniciaram ainda pela manhã.
A tarde de sábado foi intensa para os que se envolveram nas várias caminhadas. Além dos materiais alusivos à campanha, o momento também foi oportuno para entregar o livro A Grande Esperança, inclusive até para alguns cristãos de outras denominações que foram abordados, receberam de bom grado e ainda pousaram para foto, mostrando nas mãos o presente que receberam dos adventistas.
Em um dos bairros da periferia, Cidade da Esperança – Zona Oeste de Natal, alguns parceiros da comunidade se aliaram aos muitos que percorriam as principais ruas do bairro, como foi o caso da conselheira tutelar – Emiliana Fernandes, que falou de sua satisfação em ser participante desse momento. [Andréa Figueiró]

Notícias Relacionadas


Comentários

WordPress Image Lightbox