Notícias Adventistas

Quebrando o Silêncio reúne mais de 4 mil pessoas em Curitiba

Voluntários ofereceram atendimento a quem passou por um dos locais mais movimentados da cidade

Mobilização Quebrando o Silêncio em Curitiba (Foto: Jéssica Caldas)

Curitiba, PR… [ASN] A cada sete minutos, uma mulher é violentada no Brasil. Em 2016, o Disque Denúncia (180) recebeu mais de 1 milhão de chamadas. Para estimular a população a dar um basta ao abuso sexual e violência dentro de casa, milhares de pessoas saíram às ruas no último sábado (26). A ideia principal foi incentivar  mulheres e crianças a não se calarem diante de qualquer tipo de abuso. Em Curitiba, o evento reuniu mais de 4 mil pessoas em uma manhã inteira de atividades educativas. Nos semáforos foram realizadas blitz e distribuição de revistas e panfletos sobre a realidade da violência doméstica.

Leia também:

Quem passou pelo Calçadão da VX recebeu orientação e serviço de saúde. A Defensoria Pública e o Conselho Tutelar levaram atendimento gratuito. Foram oferecidos ainda serviços de atendimento psicológico. O esforço conjunto atendeu centenas de pessoas que buscavam soluções para um drama que afeta muita gente.

Revistas e panfletos foram distribuídos durante a mobilização (Foto: Jéssica Caldas)

Ao longo dos anos, o projeto Quebrando o Silêncio tem oferecido um trabalho preventivo desenvolvido junto às famílias. De acordo com o Núcleo de Violência Doméstica (NVD), por dia, cerca de 50 crianças e adolescentes sofrem algum tipo de abuso sexual. As meninas são as maiores vítimas, e a faixa etária mais atingida é de 4 a 11 anos.

De acordo com Marli Peyerl, líder do Ministério da Mulher da Igreja Adventista para oito países da América do Sul, a campanha “é uma maneira de conscientizar a população a não se acostumar com o mal. Podemos ter famílias mais felizes. E esse é o nosso objetivo. Essa ação, além de ser educativa, é preventiva. Como Igreja queremos ajudar as vítimas a construírem uma nova história”, reforça.

Esta é a 15a edição do Quebrando o Silêncio. A cada ano, a campanha aborda um tema em atual para estimular os cidadãos a não serem passivas diante da violência. “As vítimas precisam falar, denunciar. Ninguém merece viver sofrendo. Somos contra a violência e vamos continuar falando alto para dar um basta e tentar minimizar essa situação na sociedade”, ressalta o pastor Williams Moreira Cesar, presidente da Igreja Adventista na região sul do Paraná.

Atividade concentrou pessoas em um dos pontos mais movimentados da cidade (Foto: Jéssica Caldas)

Diante do quadro de agressores, os dados apontam que os abusos partem dos próprios pais ou padrastos das vítimas. O silêncio diante dos casos contribui para a impunidade. “O nosso trabalho é prevenir e combater o abuso sexual.  As denúncias devem ser feitas. Queremos quebrar o silêncio para que esses casos de violência diminuam cada vez mais. Só através das denúncias podemos ajudar as pessoas a se libertarem desse mal terrível”, completa Keila Marques, líder do Ministério da Mulher no sul do Paraná.

O Quebrando o Silêncio acontece desde 2002 e conta com publicações distribuídas gratuitamente em português e espanhol. O trabalho de conscientização tem contribuído para reduzir o número de vítimas. Para mais informações, acesse: quebrandoosilencio.org [Equipe ASN, Kívia Henning]

Veja Também


Comentários

WordPress Image Lightbox