Notícias Adventistas

Quebrando o Silêncio recebe apoio de entidades sociais no Piauí

Palestras em escolas e apoio a moradores farão parte das ações desenvolvidas por adventistas na região

Liderança da Igreja Adventista e coordenadores de entidades sociais durante o encontro

Teresina, PI… [ASN] No Piauí, líderes da Igreja Adventista do Sétimo Dia reuniram-se nesta terça-feira, 8, com representantes de órgãos municipais na cidade de Parnaíba. O objetivo foi buscar apoio de entidades que já trabalham ações voltadas contra a violência doméstica para firmar uma parceria com o Quebrando o Silêncio, projeto educativo e de prevenção contra o abuso e a violência doméstica.

Participaram da reunião o coordenador de projetos sociais da Igreja Adventista em Parnaíba, Valdecy Souza; a assistente social do Núcleo Multidisciplinar Lei Maria da Penha, Fernanda Costa; a coordenadora do Centro de Referência Especializado de Assistência Social (Creas), Marylanne Carvalho, e a assistente de comunicação do Núcleo de Enfrentamento à Violência (NEV), Fabiana Cornélio, e o pastor Janderson Fonteles.

Todos os representantes dos órgãos se interessaram pelo projeto e confirmaram apoio. “A Igreja precisa ser um instrumento que se aproxime dos problemas das pessoas. A iniciativa da Igreja Adventista de promover essa campanha que vise o combate à violência sexual é importantíssima porque é um problema que está muito alastrado na cidade”, afirma Fernanda Costa.

Mobilização social

No encontro foi decidido que deverão ser realizadas palestras educativas nas escolas. No dia 26 de agosto, data em que o Quebrando o Silêncio será promovido em oito países sul-americanos, a Igreja Adventista da cidade e entidades parceiras farão uma grande mobilização na área do Conjunto Dom Rufino. O local é um dos que possui maior incidência de agressões domésticas no município.

“A coordenação do Centro de Referência de Assistência Social (Cras) nos indicou uma região de Parnaíba onde há o maior índice de violência contra as mulheres. Vamos até lá dar apoio para essas pessoas e tentar resgatá-las do abuso, do sofrimento; trazê-las para o ideal de liberdade”, enfatiza Fonteles.

A violência em números

No mesmo período do ano passado, as denúncias sobre casos de violência contra a mulher aumentaram 70%. Em 2015,o Piauí era o segundo Estado no ranking em número de denúncias. O 180 do Disque Denúncias registrou 44 ligações a cada 100 mil mulheres. À época, o Estado ficou atrás do Distrito Federal, com 60 casos, e seguido por Goiás, com 35 registros.

A Igreja Adventista no Piauí soma forças para alcançar o maior número de beneficiados pelas ações do Quebrando O Silêncio, e assim levar o apoio necessário e devolver a esperança. [Equipe ASN, Luzia Paula e Bruna Coimbra]

Veja Também


Comentários

WordPress Image Lightbox