Notícias Adventistas

Projeto completa 10 anos beneficiando pessoas carentes com equipamentos para trabalho em Itaboraí

Vinte pessoas receberam equipamentos em cerimônia com participação do secretário de Desenvolvimento do município e de presidente de ONG suíça

Beneficiados pelo programa Viva Melhor receberam equipamentos de trabalho | Foto: Paulo Araújo

Itaboraí, RJ… [ASN] Máquinas de costura, carrinhos para venda de lanches, freezer, batedeira e equipamentos para salão de beleza. Estes foram uns dos itens que os inscritos no projeto Viva Melhor, promovido pela ONG suíça Advent-Stiftung, receberam. Para participar do projeto, que acontece anualmente, basta se inscrever e estar dentro dos requisitos sociais.

Os administradores da ARF posam com o diretor da ONG Adventist Stiftung, Giusepe Carbone e o secretário de Desenvolvimento Econômico de Itaboraí, Roberto Lucero | Foto: Paulo Araújo

“Para receber o equipamento, o pré-requisito principal é não ter condições financeiras para comprá-lo. Se a pessoa se inscreve para receber uma máquina de costura, por exemplo, além de doar o equipamento, nós a encaminhamos para os cursos mais próximos à localidade em que ela mora”, explicou o diretor da Fundação Advent-Stiftung para o Brasil e América Central, Giuseppe Carbone.

Em 10 anos de parceria com a sede administrativa da Igreja Adventista para as regiões Metropolitana, Lagos, Serrana, Norte e Noroeste do Rio de Janeiro, a Associação Rio Fluminense (ARF), mais de 400 pessoas já foram beneficiadas. “A igreja tem uma função social importante. Seu trabalho não deve ficar restrito sua própria comunidade ou às paredes do templo. Entendemos nosso papel e nosso desejo é que sejamos uma influência positiva nos locais em que atuamos”, afirmou o pastor Geovane Souza, presidente da Associação Rio Fluminense, sede administrativa da Igreja Adventista na região.

Giusepe Carbone conversa com uma das beneficiadas pelo projeto Viva Melhor

Para o secretario municipal de Desenvolvimento Econômico de Itaboraí, Roberto Lucero, a iniciativa promove não apenas a melhora na vida de quem foi beneficiado, mas estimula uma cadeia de desenvolvimento. “Essa iniciativa não melhora apenas a vida de cada um, mas muda a história de todos. É fundamental que as instituições religiosas desenvolvam trabalhos sociais, não somente o de levar alimentos e roupas, pois ensina a pessoa a avançar e não estimula a dependência”, comentou.

Com um exército de mais de 14 milhões de desempregados, o Brasil está produzindo cada vez empreendedores individuais e trabalhadores informais. Uma delas é Luana Laisse de Sousa, 30. Ela está desempregada há um ano e não segurou as lágrimas quando viu de perto seu equipamento para fazer algodão doce. “Estou muito feliz! Vou fazer os algodões doces e vender, junto com meu marido, de porta em porta. Já mandei fazer meus cartões de visita para trabalhar também em festas infantis”, planeja.

Genifa da Silva, 37, espera dobrar a venda de seus salgados com o novo esquema de armazenamento que poderá fazer com o freezer horizontal que recebeu da ONG. “Vendo 20 salgados por dia, porque só tenho uma geladeira pequena e não tenho como fazer uma quantidade maior para armazenar. Com o freezer, vou separar um dia da semana para produzir e congelar os salgados, para ter os outros dias livres para vender”, conta.

Jaqueline Oliveira usará a frente da sua casa para vender lanches | Foto: Paulo Araújo

Quando chegou à região de Itaboraí, atraída pelos empregos oferecidos pelo Complexo Petroquímico da Petrobrás (Comperj), Jaqueline Oliveira não contava que ela e o esposo ficariam desempregados por mais de um ano. Com a experiência do passado em vender lanches e muita vontade de trabalhar, a moradora do município de Tanguá era um misto de alegria e emoção ao lado de seu carrinho para lanches novo em folha. “Não tenho palavras para agradecer a Deus e ao projeto. Vou usar a frente da casa onde moro para abrir meu negócio e minha vida vai melhorar!”, afirma. sorridente!

O projeto é dividido em 8 etapas, que vão desde a inscrição dos candidatos, passando pela análise de dados e visita ao candidato, encaminhamento para cursos de capacitação, entrega dos equipamentos e acompanhamento do beneficiado. Após o recebimento dos equipamentos, eles participarão de um curso de empreendedorismo, promovido pelo Sebrae em parceria com a Prefeitura de Itaboraí. [Equipe ASN, Marcely Seixas]

 

Veja Também


Comentários

WordPress Image Lightbox