Notícias Adventistas

Núcleos Sociais se unem à Igreja Adventista para quebrar o silêncio

Núcleos da ADRA sediaram ações da campanha Quebrando o Silêncio em cidades do oeste paulista.

Carreata com 60 carros chama atenção de moradores na zona norte de Rio Preto

Carreata com 60 carros chama atenção de moradores na zona norte de Rio Preto

São José do Rio Preto, SP… [ASN] Os membros da Igreja Adventista no oeste paulista se uniram em uma campanha contra o abuso e a violência. Foram distribuídos 50 mil folhetos e 24 mil revistas em toda região. Para chamar a atenção da cidades sobre o perigo, os membros promoveram passeatas e carreatas no dia 24 de agosto. Os núcleos da ADRA (Agência Adventista de Desenvolvimento e Recursos Assistenciais) em algumas cidades se uniram para anunciar a paz.

Em Presidente Prudente o coral de crianças do centro da ADRA se apresentou. Os participantes acompanharam uma encenação sobre o tema violência e palestras sobre o tema. A festa foi seguida por um fórum com o defensor público da infância e juventude, Orivaldo Ginel.

Em São José do Rio Preto a Igreja Adventista na região norte se uniu ao centro da ADRA para quebrar o silêncio. Foi realizada uma carreata com 60 carros decorados com balões brancos no bairro Parque Cidadania. Enquanto a carreata era realizada, os Clubes de Desbravadores e Aventureiros da cidade entregaram panfletos e outros materiais explicativos sobre o tema.

A ação foi seguida pela apresentação do coral de crianças do núcleo, de um Clube de Desbravadores e outra do Clube de Aventureiros. A ideia de fazer toda é a movimentação é chamar a atenção da comunidade para o centro da ADRA, onde a partir da segunda quinzena de setembro será realizada uma série de estudos da Bíblia (Profecias para o Tempo do Fim).

Segundo a coordenadora do Conselho Tutelar na região norte de Rio Preto, Marciany Roberta, o Conselho atende mais de 700 ocorrências por mês e destas pelo menos 35% são relacionadas ao abuso sexual. “É muito importante alertar a população sobre a denúncia de casos assim. Só assim podemos diminuir os números alarmantes”, destaca.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Dados

De acordo com a Organização das Nações Unidas (ONU) mais de 70% das mulheres em todo o mundo sofrem algum tipo de violência ao longo da vida. Os números foram divulgados em 2011, e destacam que mulheres com idade entre 15 e 44 anos apresentam maior risco de sofrer violência sexual e doméstica do que de serem vítimas de câncer, acidentes de carro ou malária.

Entre as crianças os números também são alarmantes. O Ministério da Saúde divulgou que o abuso sexual é o segundo tipo de violência mais comum entre crianças de 0 a 14 anos no Brasil. Os dados de 2011 apontam que 64% de todas agressões acontecem dentro da residência onde a criança vive, sendo os agressores pessoas próximas aos pequenos. A pesquisa ainda concluiu que 22% das agressões são dirigidas a crianças com menos de um ano. [Equipe ASN, Suellen Timm]

 

Notícias Relacionadas


Comentários

WordPress Image Lightbox