Notícias Adventistas

Lancha médico-missionária resgata assistência pelos rios do Pará

Luzeiro XXIX oferecerá atendimento médico, odontológico e pedagógico gratuitos às populações ribeirinhas do Estado

Assim como a primeira lancha, a Luzeiro XXIX foi inaugurada com a quebra de uma garrafa de guaraná. Na foto, pastor Erton Köhler oficializa a cerimônia da proa

Belém, PA…[ASN] Ainda não partiu em missão, mas já cumpriu a missão. Essa é a Luzeiro XXIX, lancha inaugurada no sábado, 25 junho, para a realização do ministério médico-missionário no Estado do Pará. O projeto é coordenado pela Agência de Recursos Assistenciais, a ADRA Brasil e fará cerca de mil atendimentos por mês. Um ministério que existe há 85 anos, mas que no Estado estava inativo há cerca de 20. A lancha é, portanto, um resgate da história, e assim como a primeira Luzeiro foi feita para levar saúde, educação e esperança aos ribeirinhos da Amazônia.

“A alegria que a gente tem hoje é de recomeçar um trabalho pioneiro, um trabalho que custou muito para quem deu início a essa obra, e eu creio que, assim como esse trabalho foi importante para começar, ele vai ser muito relevante para terminar essa obra”, declarou o pastor Erton Köhler, presidente da Igreja Adventista do Sétimo Dia para oito países sul-americanos. A inauguração faz parte das celebrações que comemoram os 80 anos da sede administrativa da Igreja Adventista no norte do Brasil, a União Norte Brasileira (UNB). É que as duas histórias estão interligadas.

A Lancha possui dois consultórios, oito camarotes com capacidade para 16 pessoas, um refeitório, quatro banheiros e um depósito.

A Luzeiro XXIX possui dois consultórios, oito camarotes com capacidade para 16 pessoas, um refeitório, quatro banheiros e um depósito

A União Norte surgiu como fruto do trabalho realizado pela primeira lancha, a Luzeiro I, inaugurada pelo casal de pioneiros norte-americanos Leo e Jessie Halliwell, em 1931. Eles atuaram na região Norte do Brasil durante 30 anos levando assistência aos ribeirinhos e evangelizando. O trabalho cresceu e, como resultado, surgiram as primeiras igrejas adventistas e uma pequena clínica. Hoje o território já foi até dividido, surgiu a União Noroeste Brasileira e atualmente, o território da União Norte abriga cerca de três mil congregações, um hospital de média e alta complexidade, o Hospital Adventista de Belém; 35 unidades escolares e uma instituição de ensino superior, a Faculdade Adventista da Amazônia. “Com a nova Luzeiro não queremos apenas olhar para o passado, queremos reavivar essa missão no presente e avançar para um futuro com salvação e com serviço para a comunidade”, explicou Leonino Santiago, presidente da UNB.

Esperança nas águas

Líderes da IASD

Momento histórico para Igreja na região Norte. Na foto os líderes eclesiásticos

A inauguração da Luzeiro XXIX seguiu a tradição iniciada por Jessie Halliwell, e a embarcação foi “batizada” com a quebra de uma garrafa de guaraná. O primeiro destino da Luzeiro XXIX será a ilha do Marajó, localizada entre os Estados do Pará e do Amapá, considerada a maior ilha fluviomarinha do mundo. Serão oferecidos tratamentos médicos e odontológicos gratuitos em parceria com o Hospital Adventista de Belém, além de cursos de alfabetização de adultos em parceria com a Rede de Educação Adventista na região. A lancha terá uma tripulação fixa de oito pessoas, além de uma equipe voluntários.

A expectativa é que a primeira viagem seja em agosto, quando será finalizada a captação de voluntários e a regulamentação dos documentos da embarcação. “Muitas comunidades já estão aguardando a nossa ajuda. Temos uma nobre missão para levar alegria e esperança para pessoas que estão precisando. Com certeza, é um sonho que estamos realizando”, comentou o pastor Adriano Aureliano, diretor da Agência Adventista de Desenvolvimento e Recursos Assistenciais (ADRA) para a região Norte, responsável pelas atividades da nova Luzeiro.

A Lancha foi concedida pela empresa Camila Transporte e Navegação e a reforma contou com a participação de membros, instituições e líderes da igreja adventista.  Mesmo ainda no porto, a Luzeiro já tem impressionado pessoas. Cristiano Alho é eletricista e trabalhou dois meses na construção da Luzeiro XXIX. Ele frequenta a igreja há um bom tempo, inclusive, sua esposa é adventista desde 1994, mas ele sempre deixava a decisão do batismo para depois. “Esse serviço apareceu como uma providência divina e eu vi que Deus estava atuando e me chamando”, contou. Enquanto trabalhava na parte elétrica da embarcação, ele lembrava do propósito para o qual ela estava sendo construída e isso o tocou e fez com que ele decidisse ser batizado no dia da inauguração.

Veja a galeria abaixo com algumas imagens da inauguração:

História das Luzeiros 

Quem diria que apenas um barquinho conseguiria mudar a história do evangelismo e do atendimento médico de uma região. Olhar para o Norte do Brasil no início da década de 1930 era ver um território imenso rodeado por florestas densas e doenças tropicais. Entre essas duas dificuldades haviam os rios. Foi por isso que os missionários e pioneiros da região, dentre eles o casal Leo e Jessie Halliwell, decidiram fazer uma lancha, chamada Luzeiro I.  Inaugurada em 4 de julho de 1931, a primeira Luzeiro iniciou um trabalho de evangelismo por meio da assistência médica, odontológica e educação sanitária à população ribeirinha.

Segundo  a Review and Herald Publishing Association de 1996, em 30 anos, a Luzeiro I percorreu os 1.600 quilômetros entre Belém e Manaus, cobrindo cerca de 19.000 quilômetros por ano. Leo e Jessie trataram as doenças de mais de 250 mil brasileiros e índios enquanto levavam o evangelho. Na época, o Governo do Brasil, por decreto do presidente Juscelino Kubitscheck, conferiu ao casal uma condecoração, que foi expressa no Diário Oficial da União, de 30 de julho de 1958, como reconhecimento pelo trabalho médico-missionário realizado na Amazônia. O reflexo da atuação dos Halliwell pode ser visto hoje nas instituições sonhadas por eles para a Amazônia: escolas, igrejas, uma faculdade e dois hospitais: o Hospital Adventista de Belém e o Hospital Adventista de Manaus. O ministério das Luzeiros completa 85 anos de história, com quatro embarcações ativas, três no Amazonas e agora uma no Pará: Luzeiros XXVI, XXVII, XXVIII e XXIX, que desbravam os rios da região amazônica levando a luz de uma Esperança Viva. [Equipe ASN, Alínic Teles e Laís Santana]

Veja Também


Comentários

WordPress Image Lightbox