Notícias Adventistas

Em parceria com a Polícia Civil, pastores adventistas conscientizam sobre a violência doméstica

Projeto realizado em Suzano, cidade da região do Vale do Paraíba Paulista, beneficiou casais com histórico de violência no lar

Em parceria com a Polícia Civil, pastores adventistas dão orientações sobre o combate a violência doméstica

Foto: Jefferson Castilho

Suzano, SP… [ASN] Na tarde do último sábado, 1º de julho, a Polícia Civil da cidade de Suzano realizou um conjunto de palestras temáticas voltadas à conscientização sobre a violência doméstica. O evento ocorreu na Escola Municipal Antônio Marques Figueira no bairro Santa Helena. A ação faz parte do Projeto Recomeço e tem a direção da Delegacia de Defesa da Mulher (DDM) da cidade. Casais com histórico de violência no lar foram convidados a participar de um ciclo de palestras com temas diversos como relacionamento, solução de conflitos, finanças, sexualidade, entre outros. Profissionais da área da Psicologia, Pedagogia e dos Recursos Humanos estiveram à frente das palestras, além de pastores da Igreja Adventista que atuam na região do Vale do Paraíba Paulista (Associação Paulista do Vale – APV). O evento esteve sob a direção da Delegada titular da DDM de Suzano, Silmara Marcelino e contou com o apoio da Prefeitura Municipal representada pela primeira dama, Larissa Ashiuchi que deu as boas-vindas aos casais motivando-os a participarem ativamente do projeto. A ideia é minimizar a incidência de casos de violência doméstica na cidade, além de fornecer apoio às famílias que já passaram por essa situação.

Em parceria com a Polícia Civil, pastores adventistas dão orientações sobre o combate a violência doméstica

Foto: Jefferson Castilho

Somente neste ano na cidade de Suzano, foram registradas 730 denúncias de violência no lar, uma média de 121 casos por mês apontados, segundo informações da DDM. Silmara Marcelino, delegada titular da unidade, defende a importância dessa iniciativa como forma de prestar maior apoio às famílias da cidade. “A ideia do Projeto Recomeço é que os casais que estiveram em situação de violência, possam realmente recomeçar de modo correto, sem violência, sem conflitos desnecessários”, declara Silmara. O projeto surge da necessidade que a delegacia da mulher verificou de prestar um atendimento melhor a essas vítimas. “Fica muito cômodo a gente somente fazer a ocorrência e instaurar um inquérito, queremos aflorar o lado social da delegacia. A intenção é auxiliar essas famílias para que tenham uma melhor qualidade de vida”, conclui a delegada.

No Brasil os dados da violência doméstica são cada vez maiores. O serviço de atendimento de emergência (180) da Secretaria Especial de Políticas para as Mulheres registrou, somente no primeiro semestre de 2016, um crescimento de 133% no volume de relatos de violência doméstica no país em comparação com o ano de 2015. Ao todo, foram aproximadamente 58 mil registros feitos apenas no ano passado. Segundo dados do Instituto Datafolha, entre as mulheres que sofreram violência, cerca de 52% preferiram se calar, apenas 11% procuraram uma delegacia da mulher e 13% buscaram auxílio da família.

A primeira dama da cidade Larissa Ashiuchi esteve presente no evento, esclarecendo para os casais a importância dessa ação como forma de prevenir a violência doméstica nas famílias da cidade. “O Projeto Recomeço é uma oportunidade que estamos dando para os casais aproveitarem esse momento para conseguirem recomeçar e reconstruir a sua família. Eles têm a oportunidade de receber uma palavra, um conselho e muitas vezes é o que realmente estão precisando”, completou Larissa.

Em parceria com a Polícia Civil, pastores adventistas dão orientações sobre o combate a violência doméstica

Foto: Jefferson Castilho

Participação da Igreja Adventista

A Igreja Adventista do Sétimo Dia participou do evento e apoia essa causa tão delicada e importante na sociedade. O pastor Maurício Lima, coordenador de Encontro de Casais da Igreja Adventista para todo o Vale do Paraíba, realizou uma palestra sobre relacionamentos, alertando os casais sobre a importância da harmonia e compreensão no ambiente familiar. “É relevante para a igreja atender as necessidades da comunidade na qual nós vivemos e que necessita desse apoio. Nós em contrapartida, temos condições de auxiliá-los”, conclui Lima.

O Projeto Recomeçar continuará atendendo as famílias que participaram desse primeiro evento. A proposta é acompanhar de perto esses casais. No próximo dia 14 de julho, haverá um novo encontro para receber um feedback dos participantes, sobre o que melhorou na relação familiar após esse primeiro contato com o projeto. A Igreja Adventista continuará participando e prestando todo apoio necessário nesses encontros, enviando profissionais para atender as famílias necessitadas desse acompanhamento. [Equipe ASN, Soane Andrade]

Veja Também


Comentários

WordPress Image Lightbox