Notícias Adventistas

Em Belo Horizonte, 1 mulher é vítima de violência a cada 4 minutos

Em Minas Gerais, projeto Quebrando o Silêncio promove a conscientização a fim de transformar realidade do Estado

Campanha ofereceu atendimentos jurídicos e psicológicos gratuitos na Praça Sete, no Centro de Belo Horizonte (MG)

Campanha ofereceu atendimentos jurídicos e psicológicos gratuitos na Praça Sete, no Centro de Belo Horizonte (MG)

Belo Horizonte, MG… [ASN] A cada quatro minutos, uma mulher é vítima de violência em Minas Gerais, segundo um relatório* baseado nos atendimentos realizados pelas polícias Civil e Militar em 2015. Quando a agressão é sofrida dentro de casa, há grandes chances de estar relacionada ao consumo de álcool e outras drogas. De acordo com o 2° Levantamento Nacional de Álcool e Drogas (Lenad), metade das pessoas que sofreram violência doméstica no Brasil em 2012 (3,4 milhões) foi vítima de alguém alcoolizado.

Para alertar a sociedade sobre o assunto, a Igreja Adventista do Sétimo Dia realizou, no sábado, 27, em oito países da América do Sul, o projeto educativo Quebrando o Silêncio, que neste ano discute a relação existente entre as agressões sofridas no âmbito familiar e o consumo abusivo de álcool e outras drogas. Na capital mineira, Belo Horizonte, o projeto ofereceu, pela manhã, atendimentos jurídicos e psicológicos na Praça Sete, um dos principais pontos do Centro da cidade. No local também foi realizada uma feira de saúde através da qual a população recebeu, entre outras informações, orientações sobre os malefícios do consumo de drogas.

Na mesma manhã, os fiéis da Igreja Adventista percorreram as principais ruas e avenidas do Centro e distribuíram 80 mil panfletos e 40 mil revistas produzidos pela campanha. As publicações trazem reportagens sobre o assunto e informações acerca dos canais de atendimento às vítimas. Também foram entregues revistas voltadas para o público infantil que abordam a prevenção contra a violência por meio de histórias em quadrinhos e atividades.

Consumo de drogas começa na juventude

Adventistas entregam publicações da campanha em semáforos da capital

Adventistas entregam publicações da campanha em semáforos da capital

A Pesquisa Nacional de Saúde Escolar, realizada pelo Ministério da Saúde, revela dados sobre o consumo precoce de drogas no Brasil. O documento aponta que 66,6% dos adolescentes que têm entre 13 e 15 anos já experimentaram bebida alcoólica e 7,3% já fizeram uso de alguma droga ilícita. “Muitos adolescentes estão entrando nesse caminho e não conseguem mais voltar. Por isso, nós precisamos falar para a humanidade que não precisamos disso [álcool e drogas ilícitas] para ser feliz. Vamos também ajudar as famílias a ter um ambiente acolhedor para que os filhos façam boas escolhas”, enfatiza a diretora sul-americana da campanha, Marli Peyerl.

Uma das pessoas que teve contato com a campanha foi a professora Janete Brito, que em seu dia a dia convive jovens vítimas de violência doméstica. “No meu trabalho eu vejo alunas sofrerem violência e, nem sempre, sabemos como lidar com isso. Acredito que essa campanha vai dar forças a quem sofre com essa situação”, afirma a professora.

A campanha Quebrando o Silêncio é realizada desde 2002 e se desenvolve durante todo o ano, mas uma das suas principais ações ocorre sempre no quarto sábado de agosto. A iniciativa busca discutir temas relacionados à violência doméstica e oferecer, por meio de materiais didáticos, fóruns, palestras e debates, caminhos que ajudem a restaurar famílias e indivíduos.

*Os dados constam no Diagnóstico de Violência Doméstica e Familiar nas Regiões Integradas de Segurança Pública, da Secretaria de Estado de Defesa Social (Seds) de Minas Gerais.

Veja mais fotos sobre a realização da campanha na capital mineira:

[Equipe ASN, Fernanda Beatriz]

Veja Também


Comentários

WordPress Image Lightbox