Notícias Adventistas

Casal gaúcho faz do trabalho uma missão

A história é destaque no projeto "Meu trabalho, minha missão", da Igreja Adventista no noroeste gaúcho

Aratiba, RS… [ASN] Imagine a seguinte situação: um casal que tem uma vida estável em uma cidade com cerca de 83 mil pessoas resolve se mudar para um município bem menor, com apenas 6,5 mil habitantes. Para que a brusca mudança ocorra, a esposa resolve se inscrever em um concurso público com intenção de trabalhar na área de saúde bucal – na qual já possui formação técnica – convicta de que aquela cidade específica era o lugar para onde ela, o marido e a filha de 11 anos deviam ir. O esposo precisa se adaptar à situação e buscar uma alternativa de sustento para ajudar nas finanças – neste caso, um estabelecimento comercial. Tudo isto, motivado, em essência, por um objetivo singelo: contribuir com o processo de plantação de uma Igreja Adventista na cidade.

Leia mais:

Assista ao vídeo sobre a iniciativa missionária em Aratiba

Programa orienta líderes no uso dos dons e na formação de discípulos

Aulas vão oferecer recursos para líderes de igrejas em Ijuí

A história e os protagonistas são reais. Os gaúchos Márcia e Esnar Gonçalves moravam em Ijuí. A esposa atuava como recepcionista e vendedora em uma indústria que produz farinha de trigo. Já o marido exercia a função de entregador, contratado por uma empresa de balas. Por ser formada na área de saúde, o sonho de trabalhar na área é antigo – daí, a busca específica por concursos públicos em todo o Estado. Enquanto pesquisava por oportunidades, se deparou com o município de Aratiba, próximo a Erechim, na divisa com o Estado de Santa Catarina. “Confesso que eu me assustei com a distância no começo, mas alguma coisa me dizia que eu devia ir para Aratiba. Pesquisando, eu descobri que lá não tinha presença adventista e o Esnar me falou que se acontecesse de a gente se mudar para lá, teríamos que criar um grupo de estudos da Bíblia”, conta Márcia.

Vale lembrar que Aratiba não havia sido a única cidade para a qual Márcia havia prestado concursos públicos. Santa Cruz do Sul e Tapejara estavam na lista, sendo que o último deles já tinha antecipado uma possível confirmação de contratação. “Estava quase tudo certo para trabalhar em Tapejara, mas para a minha surpresa, Aratiba me chamou primeiro”, relembra a profissional de saúde, que hoje atende como auxiliar em um consultório de odontologia. Já na cidade, o marido encontrou um local para abrir uma padaria, onde atua até hoje. Por ser um seguidor dos princípios bíblicos, faz questão de não abrir o estabelecimento aos sábados. “O dia em que ela mais vende é justamente o dia em que está fechada. Muitos têm coragem de perguntar [o porquê], outros não… É um testemunho, muitas vezes, silencioso”, define Esnar.

Orações respondidas

Após algumas semanas e já inseridos na realidade local de Aratiba, os dois passaram a estabelecer amizades e acabaram descobrindo que um outro casal, morador do município, compartilhava dos mesmos princípios. “Conhecemos a Adriana e o Rogério e soubemos que eles já oravam para que pessoas que tivessem a mesma crença que eles viessem para cá”, revela Esnar. A farmacêutica e bioquímica Adriana Trentin conta que ela e o marido precisavam de apoio espiritual, pois haviam conhecido a igreja em tempos recentes e não possuíam amigos que tinham os mesmos pensamentos em comum no dia a dia. Para manter um vínculo com rotina e pessoas da igreja, eles precisavam se deslocar até um dos templos de Erechim, que fica a 34 km de onde moram. “Melhorou muito, porque a gente começou a trocar experiências de coisas que passávamos, começamos um grupo de estudos e, graças a Deus, abrimos um Espaço Novo Tempo aqui na cidade”, conta.

A disposição em alinhar objetivos profissionais com a necessidade de espalhar o evangelho é uma visão que contempla as características desafiadoras das regiões norte e noroeste do Rio Grande do Sul, onde constam 147 municípios que ainda não têm igrejas adventistas estabelecidas. Para isso, foi desenvolvido um projeto para estimular ações semelhantes àquela que aconteceu em Aratiba. “Muitas destas cidades têm uma boa estrutura e qualidade de vida, então, muitas vezes, há vagas para concursos ou outros tipos interessantes. Então, a ideia é aproveitar o trabalho junto à missão, e o papel dos secretários regionais [distritais] é monitorar essas possibilidades, comunicar a nós, da MOSR [sede administrativa adventista local] para que possamos viralizar este conteúdo”, explica o pastor Elieser Ramos, líder da área de Missão Global e secretário-executivo da Igreja no noroeste gaúcho.

Para entrar em contato com a sede adventista sobre as possibilidades de inserção no mercado de trabalho nestas cidades ou saber mais informações sobre o projeto, envie um e-mail para o endereço meutrabalho.minhamissao@adventistas.org.br.[Equipe, ASN, Willian Vieira]

Acompanhe o vídeo sobre a ação ocorrida em Aratiba:

Veja Também


Comentários

WordPress Image Lightbox