Notícias Adventistas

Igreja reafirma posição sobre política antes das eleições brasileiras

Documento apresenta orientações práticas, inclusive para os que se lançam como candidatos a cargos eletivos

Igreja-reafirma-posicao-sobre-politica-antes-das-eleicoes-brasileiras

Documento que orienta a respeito do envolvimento de adventistas com a política está disponível desde 2014

Brasília, DF… [ASN] O primeiro turno das eleições municipais brasileiras está marcado para o próximo dia 2 de outubro. O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) estima que haja mais de 503.200 candidatos registrados para disputar as eleições deste ano. Os brasileiros votarão nos cargos de prefeito, vice-prefeito e vereador. O segundo turno está marcado para 30 de outubro e ocorrerá apenas nos municípios com mais de 200 mil eleitores em que nenhum dos candidatos conseguir a maioria absoluta, ou seja, 50% dos votos mais um.

Leia também:

A Igreja Adventista do Sétimo Dia na América do Sul possui um documento oficial que orienta seus fieis em relação à prática política e postura durante eleições.  A declaração informa que “ao mesmo tempo em que não é proprietária e nem incentiva a participação em partidos políticos por parte de seus membros, a Igreja Adventista também reconhece seu papel dentro da sociedade como uma organização ativa e envolvida com questões pertinentes à cidadania.”

O pastor Hélio Carnassale, diretor da área de Liberdade Religiosa da Igreja Adventista para oito países sul-americanos, ressalta que a Bíblia, especialmente no capítulo 13 de Romanos, aconselha que os cristãos vivam em harmonia com as autoridades constituídas. “Tudo o que diz respeito à cidadania é um privilégio e dever do cristão exercer. E isso inclui participar do processo das eleições. Embora nossa compreensão de pátria celestial seja grande e importante, nós precisamos desenvolver ações e atividades relacionadas à nossa vida aqui nessa mundo”, acrescenta.

A percepção da liderança adventista é a de que os membros devem fazer tudo o que for possível para que sejam aprovadas leis justas que favoreçam as pessoas necessitadas e melhorem a qualidade de vida da sociedade. “Recomendamos que os membros votem em pessoas que defendam os valores como família, a liberdade religiosa, a liberdade de expressão e princípios de saúde”, explica Carnassale.

O líder de Liberdade Religiosa comenta que os eleitores adventistas devem prestar atenção na origem e na história dos candidatos, que serviços já prestaram para a sua comunidade e até mesmo qual o tipo de relacionamento anterior que possuem com as igrejas. Uma das fundadoras da Igreja Adventista, a escritora Ellen White, aconselha, no livro Obreiros Evangélicos, nas páginas 384 a 388, que se tome muito cuidado com o perfil moral do candidato. Para acessar o documento, clique aqui. [Equipe ASN, Felipe Lemos]

Conheça mais sobre a relação dos adventistas com a política:

Veja Também


Comentários

WordPress Image Lightbox