Notícias Adventistas

Postura mundial adventista sobre homossexualidade é ajustada

Declaração não alterou posicionamento oficial adventista sobre o assuntoSilver Spring, EUA … [ASN] A Igreja Adventista do Sétimo Dia no mundo reafirmou a sua posição contra a atividade homossexual e casamento do mesmo sexo e fez ajustes na declaração da posição denominacional para oferecer compaixão para com os gays. O voto foi confirmado na última Comissão Diretiva da Igreja Adventista do Sétimo Dia na América do Sul, ocorrida no final do mês de outubro em Brasília.

A declaração de praxe de meia página sobre homossexualidade foi aprovada pelo voto de levantar a mão por mais de 200 pastores, leigos e outros obreiros denominacionais que participaram da sessão administrativa da Comissão Executiva do Concílio Anual de 2012 na sede da denominação em Silver Spring, Maryland, Estados Unidos, ocorrida em outubro deste ano.

Os dirigentes da Igreja disseram que a declaração original elaborada em 1999 era clara e baseada nos ensinamentos bíblicos. Eles decidiram atualizar o documento para transmitir a mensagem de que a Igreja não aceita a prática homossexual, mas deve reconhecer a necessidade de ministrar aos gays com compaixão, disse o vice-presidente Pardon Mwansa, que presidiu a comissão de praxes que recomendou a mudança.

“Nós sentimos que precisávamos fechar esta declaração com uma frase mostrando que a Igreja está disposta a revelar um espírito de compaixão semelhante ao de Cristo para com aqueles que praticam a homossexualidade”, disse Mwansa aos participantes que representavam os líderes da Igreja em seis continentes.

A declaração — que não define compaixão nem explica como a Igreja deve tratar os homossexuais — também foi reeditada para mostrar, numa posição mais forte do que antes, que a Igreja permanece fiel às Escrituras.

A última sentença do documento de três parágrafos agora reza: “Como Seus discípulos, os adventistas do sétimo dia se empenham por seguir a instrução e exemplo do Senhor, vivendo uma vida de compaixão e fidelidade, segundo o exemplo de Cristo”.

União do mesmo sexo – Os líderes da comissão disseram que decidiram revisar a declaração sobre união do mesmo sexo a fim de refletir as tendências da sociedade, tais como reconhecimento de que alguns governos têm dado legitimidade a uniões do mesmo sexo. “As instituições do casamento e da família estão sob ataque”, declarou Willie Oliver, membro da Comissão de Praxes e co-diretor dos Ministérios da Família para a Igreja global, citando uma linha que agora faz parte da nova declaração.

A exemplo da declaração sobre homossexualidade, a declaração sobre o casamento homossexual tenta incluir compaixão. A versão anterior declarava: “Consideramos que todas os indivíduos, não importa qual seja a sua orientação sexual, são filhos de Deus”. A nova versão diz: “Acreditamos que todas as pessoas, independentemente da sua orientação sexual, são amadas por Deus”.

Ekkehardt Mueller, vice-diretor do Instituto de Pesquisa Bíblica, elogiou a comissão por ter incluído uma frase na linha proposta para alteração ligando homossexualidade à “entrada do pecado” no mundo.

“Sentimos ser isto necessário, neste contexto, especialmente porque os homossexuais hoje negariam qualquer noção de pecado e diriam, “isto é como fomos criados, Deus criou-nos desta forma, e, portanto, temos o direito e o dever de manter este estilo de vida”, então eu seria oposto à emenda”, disse Mueller. [Equipe ANN, Edwin Garcia]

 

Notícias Relacionadas


Comentários

WordPress Image Lightbox