Notícias Adventistas

Ilma foi dada como morta, mas reviveu para conhecer a Bíblia

 

Ilma e a velha Bíblia que foi decisiva em sua vidaMontevidéu, Uruguai … [ASN] A ação divina para mudar a mente das pessoas é mais surpreendente do que se pensa. Imagine uma mulher, de 82 anos, que mora em Montevidéu, capital do Uruguai, e que foi dada oficialmente como morta (com atestado de óbito assinado pela médica), mas que não só estava viva como aceitou os ensinamentos de Cristo na Bíblia e hoje é uma missionária. O caso é verídico e Ilma Oliveira, uma brasileira radicada no Uruguai há muitos anos, tomou a decisão de ser batizada na Igreja Adventista do Sétimo Dia do Prado no último sábado, dia 7 de abril, no final da programação de Semana Santa. O tradicional programa em terras uruguaias, que nesse ano ocorreu a maior parte do tempo nos lares de adventistas e amigos, contou com a presença de vários pastores que lideram a Igreja em oito países sul-americanos, inclusive o pastor Luís Gonçalves, evangelista internacional, que foi quem realizou o batismo de Ilma.

“Morta” – A história da idosa parece ter sido desenhada para chegar até o ponto em que hoje ela se encontra. Ainda jovem, quando morava no sul do Brasil, neta de escravos, Ilma e outras irmãs foram levadas ao país vizinho para que não se tornassem prisioneiros de senhores de terra como era muito comum na época. Depois de trabalhar na casa de uma família rica uruguaia, ela chegou a se casar e morar no Chile por algum tempo, divorciou-se e viveu um tempo nas ruas. Lá, recebeu, de um estranho, um exemplar antigo da Bíblia Sagrada. Foi a senha para um futuro diferente. Ao conseguir voltar ao Uruguai, Ilma passou a conviver com a família e trabalhava normalmente até que, um dia, sentiu-se mal, passou por cirurgia e, segundo a avaliação médica, foi considerada clinicamente morta. Um atestado foi assinado e seu corpo enviado ao necrotério para os procedimentos típicos dessa situação. Uma amiga, que não sabia da história, foi visitá-la e acabou avisada de que ela estava morta. A amiga se dirigiu até o necrotério e, para sua surpresa, Ilma estava viva.

O episódio fez a senhora repensar sua vida. A idosa lembrou da Bíblia dada a ela no Chile e começou a orar para que alguém pudesse ensiná-la. O desafio era grande, pois Ilma não sabia ler. Passados vários anos, uma dupla de adventistas, envolvidos com ações sociais da ADRA – Agência Adventista de Desenvolvimento e Recursos Assistenciais, faziam uma visita na região onde Ilma morava. O objetivo era cadastrar famílias para serem atendidas por um projeto de combate à dependência química entre jovens e adolescentes. Ao chegar na casa da senhora de pouco mais de 80 anos, ela reconheceu neles a resposta a sua antiga prece e exclamou que ali estavam servos de Deus. Os dois adventistas passaram a conduzi-la até o conhecimento da Bíblia, Ilma aprendeu a ler, passou a frequentar a igreja e hoje entrega livros, como A Grande Esperança, a pessoas da sua comunidade.

Reavivamento no Uruguai – Segundo o pastor Everon Donato, líder sul-americano de Ministério Pessoal, esse e outros relatos impressionantes fazem parte de uma ação para evangelização do Uruguai que ocorreu durante a Semana Santa desse ano. Metade dos distritos pastorais foram visitados por 16 experientes oradores de vários países sul-americanos e em torno de 900 pessoas assistiram aos programas em várias igrejas e lares adventistas. Houve forte envolvimento dos quase 6 mil adventistas presentes no país e 42 foram batizadas até agora. “Das pessoas que estavam nos lares, dia 31 de março, no programa Amigos da Esperança, mais de 90% continuaram participando do programa nas casas durante a Semana Santa. O evangelismo da amizade foi muito importante no Uruguai e Deus abençoou essa iniciativa”, comenta Donato. [Equipe ASN, Felipe Lemos]

 

Notícias Relacionadas


Comentários

WordPress Image Lightbox