Notícias Adventistas

Igreja elege novo diretor da sede sul-americana do Instituto de Pesquisa de Geociência

Geólogo também presidirá a Sociedade Criacionista Brasileira

19 de dezembro de 2017

Por Jefferson Paradello

Natal tem uma vida dedicada à pesquisa e ao ensino do criacionismo (Foto: Arquivo pessoal)

A Comissão Diretiva da Igreja Adventista para a América do Sul elegeu, na manhã desta terça-feira, 19, o geólogo Marcos Natal de Souza Costa como o diretor do Instituto de Pesquisa de Geociência (GRI, na sigla em inglês) para oito países do continente. Ele também estará à frente da Sociedade Criacionista Brasileira.

Natal concluiu a graduação em Geologia na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) no início dos anos 1980. Obteve o título de mestre em Geologia em 1999 pela mesma instituição e doutorou-se em Geologia Regional pela Universidade Estadual Paulista em 2006. Até então, atuava como professor do Centro Universitário Adventista de São Paulo (Unasp), campus São Paulo, onde trabalhou por 18 anos, lecionando disciplinas como Geologia, Paleontologia, Levantamento de Recursos Naturais e Ciência e Religião.

Também coordenou o Núcleo de Estudos das Origens (NEO), do Unasp, voltado à pesquisas ligadas ao criacionismo. É membro do Geoscience Research Institute Committee (Gricom) –  criado pela sede mundial adventista e responsável por planejamento estratégico e oferta de recursos na área de criacionismo para membros leigos – e da Sociedade Criacionista Brasileira. Antes de chegar à instituição adventista, foi geólogo prospector na Companhia Mineradora de Minas Gerais durante 12 anos, que lhe deu experiência em exploração de recursos minerais.

Em defesa do criacionismo

Fundado em 1958 nos Estados Unidos, o Geoscience Research Institute (GRI) é um órgão da sede mundial adventista e foi criado para examinar evidências científicas e teológicas sobre a origem da vida. Para isso, usa as ciências naturais aliada ao texto bíblico para produzir pesquisas que deem suporte às crenças da Igreja Adventista.

Uma das filiais do instituto está localizada no campus Engenheiro Coelho do Unasp, e atua como um centro de estudos, produção e divulgação de materiais de interesse científico, teológico e filosófico, contribuindo com o debate sobre criacionismo versus evolucionismo. Agora, o escritório estará localizado em Brasília.

A Sociedade Criacionista Brasileira desempenha um papel semelhante. Com mais de 40 anos de atuação, é responsável por publicar dezenas de livros e artigos que ajudam a reforçar a visão adventista sobre as origens. Com um time de especialistas de diversas áreas, também ministra palestras e seminários sobre o assunto para professores em território nacional e no exterior.

Embora até hoje fosse uma sociedade privada, a pedido de seu fundador, doutor Ruy Camargo Vieira, a Igreja dará prosseguimento ao trabalho iniciado e consolidado por ele. Natal acredita que terá um grande desafio pela frente, considerando que o interesse pelo criacionismo está se expandindo. “Vamos ampliar a difusão do assunto. Me sinto muito honrado por assumir esse gigante do criacionismo no Brasil, assim como o GRI. Não tenho dúvidas de que é um chamado de Deus, e Ele nos capacitará”, pontua.

Doutor Marcos Natal durante uma de suas pesquisas de campo (Foto: Arquivo pessoal)

“Nós queremos que o trabalho da Sociedade Criacionista Brasileira seja potencializado e tenha mais apoio da Igreja. Afinal, nesses mais de 40 anos, ela tem exercido um papel extremamente importante para os adventistas: defender uma de nossas doutrinas fundamentais. Juntas, ela e o GRI darão mais evidências e base para que cada membro tenha ainda mais respaldo científico e teológico para defender sua fé”, sublinha o pastor Erton Köhler, presidente da Igreja Adventista para oito países sul-americanos.

Na nova função, Natal também trabalhará em parceria com a Casa Publicadora Brasileira, editora que tem um papel ativo no preparo de conteúdos didáticos para a Educação Adventista.

Veja Também


Comentários

WordPress Image Lightbox