Notícias Adventistas

Concílio mundial adventista vota documento sobre unidade de ação

Administradores mundiais adventistas tomaram decisão no dia 16 - Crédito da foto: Ansel OliverSilver Spring, EUA … [ASN] Os dirigentes a nível mundial da Igreja Adventista do Sétimo Dia aprovaram, na semana passada, uma Declaração Sobre Regulamentos, Procedimentos e Solução de Divergências na Igreja à Luz de Recentes Ações de Uniões Sobre Ordenação Ministerial durante o Concílio Anual de líderes mundiais da Igreja, realizado em Silver Spring, nos Estados Unidos. A votação foi de 264 a favor e 25 contra. A medida ocorre após três Uniões  locais — a União Norte-Alemã, na Divisão Inter-Europeia (antiga Euro-Africana), a União Columbia e a União do Pacífico, na Divisão Norte-Americana – votarem separadamente este ano permitir a ordenação ao ministério “sem levar em conta o gênero”, algo que a Igreja Adventista já havia rejeitado por duas vezes em votações nas assembleias da Associação Geral do movimento que se realizam a cada cinco anos.

A declaração desaprova ações independentes das uniões (regiões administrativas adventistas), apela a todas as unidades da Igreja “a considerarem cuidadosamente o impacto e implicações das decisões” tomadas independentemente da comunidade mundial e reafirma o papel das mulheres na vida e ministério da Igreja. O documento também aponta a continuidade dos estudos sobre a teologia da ordenação, cujos resultados se espera estarem prontos em 2014, em antecipação à 60ª. Assembleia da Associação Geral, no ano seguinte.

Conteúdo da declaração – Em uma parte do texto da declaração há a seguinte afirmação: “A Igreja a nível mundial não pode legitimar práticas que contradizem claramente a intenção das decisões da Assembleia da Associação Geral. Assim, a Igreja mundial não reconhece as ações de uniões ou associações que tenham autorizado ou implementado ordenação ministerial sem levar em conta o gênero”.

Mas a declaração também é clara em afirmar a posição da Igreja Adventista do Sétimo Dia sobre as mulheres: “A Comissão Executiva da Associação Geral reafirma o importante papel que as mulheres cumprem na vida da Igreja. Seu talento e compromisso é uma bênção para toda a Igreja e uma parte necessária do trabalho de desempenho da sua missão”.

A medida foi aprovada em votação secreta numa cédula de papel, após discussão do dia, que começou com comentários do Pastor Ted Wilson, presidente mundial da Igreja Adventista do Sétimo Dia. Wilson expressou a esperança de que as unidades da Igreja a nível mundial continuem “dando enfoque à missão da Igreja, unida em Cristo, conquanto enfrentando algumas diferenças e divergências”.

Na avaliação do pastor Erton Köhler, líder sul-americano adventista, o documento mostra claramente que a Igreja Adventista tem como um de seus principais patrimônios a atuação em unidade ao longo dos anos. “Apesar de termos realidades culturais diferentes e necessidades específicas nas regiões, sempre nos pautamos pela condução do Espírito Santo em um trabalho de unidade mundial e com grande ênfase no avanço para cumprimento da missão que nos foi confiada. É importante que esses aspectos tenham ficado bem claros no voto aprovado”, destaca Köhler. O presidente da Igreja Adventista do Sétimo Dia para oito países sul-americanos ressalta que as decisões sul-americanas sempre levam em conta as diretrizes aprovadas nas assembleias mundiais adventistas que acontecem a cada quinquênio. [Equipe ANN, com informações de Mark Kellner e Edwin Garcia]

Notícias Relacionadas


Comentários

WordPress Image Lightbox