Notícias Adventistas

Pai participa de corrida com filho cadeirante no Rio

"Diagnóstico não é destino. O amor de Deus deve ser demonstrado através da inclusão".

Momento de grande emoção para Peterson ao correr novamente com o filho Manu, de 3 anos.

Momento de grande emoção para Peterson ao correr pela oitava vez neste ano com o filho Manu, de 3 anos.

Nilópolis, RJ [ASN] A I Corrida Mexa-se pela Vida organizada pelo departamento de saúde da Igreja Adventista do Sétimo Dia na região sul do Rio de Janeiro aconteceu no dia 18 de setembro, no Parque do Gericinó, em Nilópolis, município do estado do Rio. Uma parceria com a prefeitura de Nilópolis.

Entre os mais de duzentos competidores estavam famílias, amadores, esportistas e um atleta paraolímpico de 41 anos de idade, Célio Viana Machado. Ele é 3º Sargento R1 aposentado, e desde 2005 pratica atletismo em corridas de meio fundo e fundo, com distâncias de 1.500 e 5 mil metros. Possui várias medalhas de competições das quais participou pelas Forças Armadas. Sua penúltima competição foi em São Paulo, no Parque Ibirapuera, onde ganhou medalha de ouro competindo na modalidade 4x400m.

Ranking masculino: 1º lugar Celio Machado (ao centro), 2º lugar Alessandro Pantaleão (dir) e 3º lugar Wagner Faria (esq).

Ranking masculino: 1º lugar Celio Machado (ao centro), 2º lugar Alessandro Pantaleão (dir) e 3º lugar Wagner Faria (esq).

Celio foi o primeiro colocado no masculino da Corrida e ficou muito feliz com o resultado. “Eu sei que hoje Deus tem um ministério para mim dentro das Forças Armadas. Tenho evangelizado ali e falado do amor de Deus aos meus superiores. Hoje ganhar esta medalha e o troféu foi um mais um presente de Deus”, relata Machado.

Maria Clara Pires Oliveira é atleta de vôlei de praia que também participou na Corrida, por influência da sua treinadora física, Flavia da Silva Santos, que é adventista da Igreja Adventista de Guadalupe I e profissional de educação física. “A Flavia me convidou para participar por que nesta semana eu terei uma viagem e a corrida será excelente para o meu treino”, relata Maria, que gostou de participar da corrida e elogiou a organização do evento.

Flavia trabalhou por 4 anos e meio com o Programa de Incorporação de Atletas de Alto Rendimento, criado em 2004 pelo Ministério da Defesa em parceria com o Ministério dos Esportes. No Centro de Treinamento da Barra da Tijuca ela conheceu a Maria e desde junho tem feito seu acompanhamento físico.

Histórias de superação

Manu dormiu praticamente todo o percurso. Talvez por causa do sol que batia no pequeno e delicado rosto, ou a brisa gostosa da manhã de domingo ou mesmo o balanço de seu triciclo adaptado para a corrida. Peterson Rodrigues de Oliveira, seu pai, é técnico de telecomunicações e já participou de 7 corridas neste ano. A primeira foi em março, e de lá para cá, seu filho Emanuel(3), a quem ele chama carinhosamente de Manu, tem sido sua melhor companhia para o atletismo.

Manu teve problemas durante seu nascimento o que ocasionou uma paralisia cerebral e microcefalia. Mas isso não o limita dentro de casa, garante o pai. Peterson já perdeu quase 20 quilos desde o início deste ano e diz que cada corrida é um momento único entre pai e filho. “Eu corro mas é ele quem me leva. Cada corrida me motiva a trazer novas experiências para ele. Costumo dizer que diagnóstico não é destino e que temos de trazer o amor de Deus através da inclusão”, finaliza o pai.

Ítalo e seu filho Ruan (4) e Peterson com o filho Manu (3). Juntos pela inclusão social dos filhos.

Ítalo e seu filho Ruan (4), Peterson com o filho Manu (3). Juntos pela inclusão social dos filhos.

Ítalo Santos de Souza é o pai do Ruan Davi Ferreira de Souza, de 4 anos, que também tem deficiência física. Ele conheceu uma voluntária durante os jogos olímpicos, que passou o contato do Peterson. Ítalo já está planejando sua primeira corrida para dezembro com o filho Ruan(3).

Famílias marcaram presença na corrida

Jeferson Fontana aderiu ao ritmo esportivo que o Rio de Janeiro vive com o clima das Olimpíadas, pois fez questão de inscrever a esposa, Marilene e as filhas, Laryssa(15) e Lisie (10). A família realiza várias atividades juntos: academia, passeios esportivos, caminhadas, cultos religiosos, entre outros. Para o casal é fundamental fazer programas assim. “Isso fortalece nosso laço familiar, ficamos mais unidos, com mais tempo para conversar. A gente cria a oportunidade de estar mais perto das meninas e com isso a conversa sobre os diversos assuntos flui mais facilmente”, comentam os pais.

Gabriel Andrade Carvalho tem apenas 4 anos de idade, e correu a primeira parte do percurso ao lado do pai, Daniel Carvalho. Sua mãe Sheini Carvalho ficou em primeiro lugar no ranking feminino e dedicou o troféu ao filho, que com um ano e sete meses sofreu um afogamento e quase veio a falecer. “Esta vitória eu dedico a Deus e ao meu filho. Que todos nós possamos correr também para a eternidade”, descreve Sheini após receber seu troféu.

Além da competição que é um ponto alto para quem participa de corridas assim, muitos procuram estes eventos para buscar desenvolver hábitos saudáveis. Renata Almeida por exemplo, deixou de lado a ideia de fazer uma cirurgia bariátrica e tem mudado seu estilo de vida. “Esta corrida para mim é um marco para grandes conquistas. Estou muito feliz pois tenho conseguido mudar meus hábitos alimentares, estou praticando exercícios físicos e hoje foi minha primeira corrida, que completei com muito esforço e superação”, destaca Renata.

E para provar que idade não atrapalha em nada, Senedir da Silva Rocha (83) fez a caminhada mas duplicou o percurso para 6km. Ela é adventista da Igreja de Nilópolis e esbanja saúde. “Amei participar. Caminho todos os dias, isso é um hábito que cultivo há muitos anos”, relata Senedir.

Ao final da entrega dos prêmios foi sorteada uma viagem com direito a um acompanhante num Hotel em Cabo Frio, praia da região dos Lagos no estado do Rio. A vencedora foi Veridiane de Paiva Silva que é carioca de Queimados e está participando neste ano do projeto Um Ano em Missão, aqui no sul do Rio de Janeiro.

Para o organizador do evento, pastor Alex da Fonseca o saldo foi positivo. “Sonhamos muito com este evento, que foi o primeiro realizado na região sul do Rio. Foi muito gratificante e acho que tudo colaborou, até mesmo o sol forte que brilhou e nos deixou mais alegres, foi ‘vitamina D’ natural para todos. Dou graças a Deus e já estou sonhando com a próxima corrida!”, finaliza Fonseca.

A parceria com a Prefeitura de Nilópolis possibilitou a presença de uma ambulância do SAMU durante a corrida e toda infraestrutura do local. O secretário do Meio Ambiente de Nilópolis Luiz Carlos Ramalho esteve presente com o médico João Moreira e ambos destaram a importância de eventos assim no local. “O Parque do Gericinó vem crescendo cada dia e tanto aos moradores do município quanto pessoas de outras localidades têm frequentado com mais tranquilidade. O prefeito Alessandro Calazans tem investido bastante, pois antes este era um local perigoso, mas hoje famílias podem realizar piqueniques, crianças soltam pipas e famílias até realizam aniversários”, diz Ramalho. “Ficamos muito felizes com a realização desta corrida no parque, que ajuda a divulgar o local e incentiva muitos a frequentá-lo”, fala Moreira.

[Equipe ASN, Fabiana Lopes]

Veja Também


Comentários

WordPress Image Lightbox