Notícias Adventistas

ADRA promove reinserção familiar após 20 anos no Espírito Santo

Parceria entre a agência e a Prefeitura de Vitória reintegra matriarca. ADRA do Espírito Santo foi até a capital mineira garantir continuidade do tratamento

Já no aeroporto de Vitória, com destino à Belo Horizonte, a equipe técnica da ADRA acompanha a dona Lenira até a sua nova moradia

Vitória, ES… [ASN] Aos 72 anos a senhora Lenira começou uma nova fase de sua vida. No dia 3 de maio ela foi para Belo Horizonte, em Minas Gerais, para morar com a filha com quem não convivia há mais de vinte anos. Dona Lenira é atendida pela rede sócio assistencial do município de Vitória desde 2000, quando foi acolhida pelo serviço de abordagem social realizado com pessoas em situação de rua na capital. Por possuir transtornos mentais ela foi encaminhada para a Casa Lar, um serviço especializado oferecido pelo município e administrado em parceria com a Agência Adventista de Desenvolvimento e Recursos Assistenciais (ADRA Brasil), que busca dar melhores condições de vida e autonomia aos atendidos.

“Depois de ter vivido em situação de rua e com um diagnóstico de transtorno mental a dona Lenira chegou à Casa Lar desorientada e com a sua saúde mental bastante comprometida. Então, na época, a equipe começou a buscar tratamento psiquiátrico e demais profissionais de saúde afim de estabilizar o quadro emocional e reestabelecer a sua saúde mental”, explica a psicóloga Ana Claudia Sanches.

Com o tempo, já em tratamento e apresentando melhoras, a equipe psicossocial da ADRA começou a desenvolver um trabalho de busca pela identidade de dona Lenira e de sua família. “Depois de estabilizada, a dona Lenira começou a contar que tinha filhos na capital mineira. Ela se lembrava do nome dos filhos e até do endereço de uma delas. Com essas informações em 2009 conseguimos fazer o contato com a família e uma de suas filhas, Ednéia, veio à Casa Lar visitá-la. A partir deste primeiro contato, começou-se a trabalhar o estreitamento e o fortalecimento do vínculo familiar”, conta a assistente social Rigleia Ribeiro.

Desde a primeira visita, Ednéia manteve contato constante com a mãe e com a equipe psicossocial da ADRA e, aos poucos, a relação mãe e filha foi se tornando mais e mais forte. Dona Lenira viu fotos da neta e da bisneta e, mesmo diante a tantos desafios, a esperança de retorno à esta família perdida há tantos anos, se tornou uma realidade.

“Esta é uma situação desafiadora, pois são muitos os fatores a serem superados. A dona Lenira é uma idosa, com transtorno mental, em 2013 ela sofreu um AVC (Acidente Vascular Cerebral), que lhe limitou os movimentos e hoje ela necessita de uma cadeira de rodas para se locomover, além da falta do vínculo familiar. Então todos esses fatores fazem com que o retorno da dona Lenira à sua família biológica ser uma grande vitória para ela”, relata a coordenadora da Casa Lar, Adneia Santos.

Interesse público

A história de sucesso da dona Lenira chegou até a imprensa capixaba e uma equipe de TV Tribuna, afiliada do SBT, foi até a Casa Lar para fazer a reportagem do retorno da dona Lenira para a sua família. “Por se tratar o histórico das pessoas acolhidas aqui, a situação de rua e o transtorno mental, é muito bom ver que aqui, além delas serem bem tratadas e terem a oportunidade de uma vida com mais dignidade, a equipe busca reintegrá-las à família. Histórias assim dá gosto de cobrir”, afirma o repórter da TV Tribuna, Raphael Schuller.

“O nosso trabalho aqui na ADRA é proporcionar oportunidades para pessoas e famílias que estejam em vulnerabilidade social, auxiliando na retomada de sua autonomia e contribuindo para uma mudança positiva em suas vidas e na sociedade. E a gente faz isso com todo carinho, dedicação e profissionalismo”, salienta o diretor regional da ADRA Brasil, pastor Fábio Salles.

A Casa Lar é um equipamento de assistência social oferecido pela Prefeitura de Vitória e administrado em parceria com a ADRA Brasil, no Espírito Santo. Na capital capixaba há duas casas localizadas nos bairros Jardim Camburi e Ilha de Santa Maria, que atendem 30 pessoas em situação de rua e que possuem transtorno mental. Desde sua fundação, em 1999, a Casa Lar já reintegrou três de seus usuários às famílias, graças ao empenho e dedicação dos funcionários da ADRA. [Equipe ASN, Carla Ferraz].

Veja Também


Comentários

WordPress Image Lightbox