Notícias Adventistas

Quebrando o Silêncio relaciona álcool à violência

O álcool é considerado uma porta de entrada para abusos e agressões

 

Crianças participaram da ação a fim de "Quebrar o Silêncio"

Crianças participaram da ação a fim de “Quebrar o Silêncio”

Aracaju,SE…[ASN] Para muitos, o uso de bebidas alcoólicas é apontado como inofensivo. Mas o que ninguém sabe, é que ele pode ser uma das portas de entrada para o abuso e agressões.

Em 2012, 4.607 pessoas foram escutadas pelo Levantamento Nacional de Álcool e Drogas (Lenad). O resultado, quase um terço dos homens com menos de 30 anos, beberam e logo após se envolveram em brigas. Ainda tem mais, 50% dos casos de violência doméstica registrados em 2012, constataram que os agressores estavam alcoolizados.

Leia também: 

Pensando nestes dados, no último sábado, 13 de agosto, os membros da Igreja Adventista de todo o estado de Sergipe, estiveram engajados no Projeto Quebrando o Silêncio que tem como intuito principal, alertar e prevenir sobre o abuso e a violência doméstica. Este projeto foi criado em 2002 e desde então, a Igreja Adventista do Sétimo Dia realiza campanhas diferenciadas para a conscientização de temas específicos.

Na cidade de Lagarto, os membros participaram de um sábado onde o foco foi alertar aos moradores sobre os malefícios do álcool. A mobilização foi tão grande, que as pessoas foram até as ruas com banners, cartazes e folhetos para mostrar à população quais são os efeitos negativos que o álcool pode trazer para a vida de quem o ingere.

Ruth Fontes é a líder do ministério da mulher para o estado de Sergipe e de acordo com ela, o projeto Quebrando Silêncio é importante para mostrar a Igreja Adventista, fora de um prédio físico. “O Projeto Quebrando Silêncio é muito importante pois vai até as ruas e mostra para a sociedade uma igreja fora das paredes que se preocupa com as mulheres, crianças e os idosos em um contexto social. Então a igreja sai e mostra que Deus não se preocupa apenas com a vida espiritual mas sim com o ser humano de uma forma completa,” enfatiza Ruth.

Crianças, jovens e adultos participaram da ação. O clube de desbravadores participou da passeata com a fanfarra, o que fez com que chamasse ainda mais a atenção da população. “O clube sempre participa dos projetos da igreja. Eles se mobilizaram, fizeram questão de participar conosco para mostrar que crianças precisam ser protegidas da violência” declarou Anne Santana, uma das distritais de mulheres da cidade de Lagarto.

Médicos voluntários auxiliaram na feira de saúde

Médicos voluntários auxiliaram na feira de saúde

Ao final da passeata, em uma praça, os membros prepararam uma feira de saúde onde os moradores puderam aferir a pressão, realizar testes glicêmicos e conversar com psicólogos e advogados. “Nossa missão é atender a comunidade, principalmente nesta questão da saúde, pois precisamos de fato cuidar dela. Por isso, a feira foi um complemento neste dia especial” finaliza Anne. [Equipe ASN, Emilly Martins/ Fotos: Elias Ramos]

Veja Também


Comentários

WordPress Image Lightbox