Notícias Adventistas

População de Paranavaí é alertada contra a violência e o alcoolismo

Campanha Quebrando o Silêncio ofereceu palestras de conscientização

WP_20160827_10_01_52_Pro

População de Paranavaí conheceu a campanha Quebrando o Silêncio

Paranavaí, PR… [ASN] De acordo com dados da Polícia Civil, de 80 a 85% dos casos de agressão à mulher são de companheiros alcoolizados que garantem beber apenas moderada ou socialmente. O dado alarmante foi proferido pela investigadora da Delegacia da Mulher Simone Velso Cassiano Magalhães, acompanhada da escrivã Adelina Pedrosa Tomiello, durante a campanha Quebrando o Silêncio em Paranavaí. O evento foi realizado na manhã do dia 27 de agosto na comunidade do bairro Jardim São Jorge.

O objetivo do evento, realizado no Centro Comunitário do bairro, na região sudoeste da cidade, foi de conscientizar a população para a responsabilidade de colaborar para diminuir os elevados índices de violência familiar provocados pelo alcoolismo.

O programa teve início às 9 horas, com apresentação de ordem unida realizada pelos clubes de Desbravadores da cidade. Em seguida, o pastor Sidnei Constante apresentou o projeto. O Senac disponibilizou uma equipe de técnicos de enfermagem que realizaram aferições de pressão arterial, testes de glicemia e orientações gerais sobre cuidados com a saúde e o bem-estar.

A juíza da vara da infância e da juventude Eveline Soares Marra ministrou uma palestra contra o consumo de bebidas alcoólicas. Segundo ela, o álcool não deveria ser tratado da forma irresponsável como tem sido e a sociedade está sofrendo duras penas por consequência desse hábito social. Ela destacou ainda que a justiça pouco pode fazer, uma vez que muitas vidas inocentes têm sido ceifadas precocemente.

Também prestigiaram o evento representantes do Conselho Tutelar de Paranavaí, a coordenadora Suelene Carvalho Duarte e a vice coordenadora Matilde Vitório de Jesus Vieira. A conselheira tutelar apelou às famílias presentes que não deixem de denunciar qualquer situação de maus tratos, abuso e violência. O público foi se espantou quando ela citou dados de que a grande maioria das meninas menores de 13 anos, de famílias de baixa renda, aliciadas para a prostituição são incentivadas pelas próprias mães.

“Valeu a pena todo o esforço. Sinto-me realizada, com o senso de missão cumprida”, avaliou Nilsa Rodrigues dos Santos, idealizadora e coordenadora geral do evento. “Em 2017 faremos mais e melhor”, encerrou.

A primeira Expo Saúde da cidade aconteceu simultaneamente. A Igreja Adventista ainda oferecerá gratuitamente o programa “Como Deixar de Fumar em 5 Dias” que terá início em breve.

A todos que prestigiaram ao programa, ficou a mensagem de que a Igreja Adventista do Sétimo Dia é uma comunidade religiosa diferenciada por se preocupar com questões que vão além da temática religiosa. “Vocês realmente se preocupam com o nosso bem estar e com a nossa saúde e isso é muito gratificante para nós”, destacou emocionado um dos moradores locais que visitou a exposição. [Equipe ASN, Gustavo Cidral, com colaboração de Eber Weber Cordeiro]

Veja Também


Comentários

WordPress Image Lightbox