Notícias Adventistas

Jovens adventistas realizam Vigília com três mil pessoas

Programação foi toda organizada por voluntários missionários da região centro sul de SC

Auditório esteve lotado de pessoas dispostas a terem uma madrugada de comunhão com Deus

Governador Celso Ramos, SC… [ASN] Sábado, 17 de junho, 22 horas. Horário que começam as atividades nas principais casas noturnas da grande Florianópolis. Mas, neste mesmo horário, cerca de três mil jovens cristãos iam na contramão dos costumes da maioria, para adorarem a Deus. Eles estiveram na vigília Adoradores, realizada pelo Ministério Jovem da Igreja Adventista do Sétimo Dia no centro sul de Santa Catarina.

O sol já havia nascido quando encerrou a vigília, às 6 da manhã de domingo (18). Horário que as baladas terminam suas atividades e as pessoas vão para casa esgotadas. Entretanto, para os jovens cristãos o resultado foi diferente: “Me senti repleto, preenchido, em paz. E o melhor é saber que existe final feliz quando se escolhe Deus para guiar o nosso caminho”, comenta Israel Metzker, morador da cidade de Tubarão. Foram oito horas de louvores, testemunhos, pregações e muita oração.

“Assim como Davi foi ousado, que esses jovens sejam corajosos para enfrentar os obstáculos que surgirem à frente deles”, comenta o pastor Apolo Abrasio, líder da Igreja Adventista para o centro sul de Santa Catarina.

Um dos pontos de maior destaque foi o envolvimento voluntário dos jovens adventistas na realização do programa. “Estamos felizes que todas as 120 pessoas que ajudaram na vigília foram voluntários. Vejo uma geração comprometida na missão de Cristo. Líderes que contagiam os jovens no envolvimento em suas igrejas”, explica o pastor Otacílio Porfírio, líder do Ministério Jovem para esta região.

Márcio testemunho sobre sua missão na África

A vigília teve a participação de convidados especiais, como os grupos Expressão Vocal e Vocal Livre e o pastor Elmar Borges, líder jovem no Sul do Brasil. Entretanto os grandes momentos foram dos próprios jovens louvando junto com o público e contanto seus testemunhos. É o caso de Márcio Barros, da cidade de Criciúma. Em 2015 ele se separou, ficou depressivo e tentou tirar sua vida duas vezes. Apesar de ser adventista, foi somente em 2016 que encontrou algo a mais em sua vida. “Decidi passar um ano em Moçambique ensinando música para aquelas crianças”, explica Márcio.

Ele trabalhou no Colégio Adventista de Munguluni e lá sua vida mudou. “Aprendi a olhar para o próximo e não para mim. Mas a África também foi a oportunidade de eu receber cura. Hoje tenho no coração o desejo de servir sempre a Deus. Isso deu sentido a minha vida”, acrescenta Márcio, que em breve pretende voltar ao país para continuar seu trabalho missionário. “É tempo de pregar o evangelho. Jovem, não é fácil largar seu conforto, mas Deus tem algo a mais para você, uma vida de entrega. Não tenha medo, Ele sempre estará contigo”, apelou ao final o missionário.

Lorena é recém batizada, mas isso não foi problema para criar uma classe jovem em São Joaquim

Lorena Nunes Valério, da cidade de São Joaquim foi outra jovem que testemunhou na vigília. Recém batizada, ela foi no congresso jovem em 2016, intitulado Save One, sem saber muito sobre o Ministério Jovem. “Lá no evento vi que o Ministério Jovem tem muitas coisas interessantes e queria aplicar tudo em minha igreja. A nossa classe praticamente não tinha nenhuma programação e quase nenhum jovem realmente envolvido”, relatou Lorena na vigília.

Mesmo estando no início de sua vida missionária na igreja, Lorena começou a realizar diversas atividades e convidar os jovens para participar. “Eu orava a Deus para aparecer jovens na igreja, já que a maioria da congregação é formada por pessoas mais experientes. Para minha alegria vi jovens se convertendo e outros sendo reavivados”, acrescenta. Hoje, a classe jovem da igreja Adventista de São Joaquim tem 22 participantes. “Agora, por exemplo iniciamos um estudo bíblico com os próprios jovens, para eles estarem fortalecidos em Jesus. Tudo que tiver disponível eu irei fazer”, finaliza.

A noite se findou, mas a experiência de algo novo ficou marcada. “Durante alguns anos, era comum eu passar a noite toda em festas eletrônicas. Foram várias as vezes em que o domingo amanheceu e eu estava drogada. Essa foi a minha primeira noite passada adorando a Deus. Foi a melhor noite da minha vida”, comentou ao final uma pessoa que preferiu não de identificar. [Equipe ASN – Daniel Gonçalves / Fotos: Daniel Gonçalves e Letícia Zabel]

Veja Também


Comentários

WordPress Image Lightbox