Notícias Adventistas

Desbravadores recebem condecorações na segunda noite do Campori em Santa Helena-PR

Cerimônia reconhece jovens que se destacaram por contribuições ao longo do tempo ou cumprimento de requisitos.

12108270_898348696887493_3094211023311600497_nSanta Helena, PR… [ASN] Não é todo dia que alguém recebe um reconhecimento público sobre algum feito, ainda mais quando este público é, nada mais, nada menos do que uma multidão de 20 mil pessoas. Jobson Santos, de Joinville (SC), pôde sentir a emoção deste momento na segunda noite do 10º Campori de Desbravadores da União Sul Brasileira (USB), junto a colegas catarinenses, gaúchos e paranaenses. Para ele, a condecoração teve um significado ainda mais especial por ocorrer na data de seu aniversário. “Minha família toda veio aqui para assistir a esse dia. Eu agradeço a Deus por ter me colocado neste lugar, pois eu não me vejo fazendo outra coisa vinculada a igreja. Várias coisas, como o esforço, as lutas, a dúvida se seria aprovado ou não, tudo isso, quando eu subi no palco, me fez pensar, ‘valeu a pena’“, declara o desbravador, que recebeu a condecoração de líder Máster Avançado. Ele atua como auxiliar da direção da agremiação para as regiões norte e oeste de Santa Catarina.

Veja também:

Saiba quem são os desbravadores e o quais são as suas atividades

Fique por dentro de tudo o que acontece no Campori USB na página oficial do Facebook

Acesse o site oficial para assistir ao vivo ou rever momentos do Campori USB “Coração de Rei”

A celebração da investidura em liderança é um tradicional acontecimento ocorrido em grandes acampamentos desta natureza. Aqueles que atuam a mais tempo com os clubes foram condecorados com novos lenços e distintivos em seu uniforme, que representam os diferentes níveis de liderança – os líderes, os líderes Máster e os líderes Máster Avançado. O líder dos desbravadores do Sul do Brasil, pastor Elmar Borges, explica que este procedimento não se trata, apenas, de um reconhecimento público, mas também, de inspiração para os mais novos. “Ela [a investidura] é o ápice de um trabalho, de muito esforço e quando você recebe essa condecoração no campori perante os seus desbravadores liderados, é um momento em que você é investido de autoridade e ao mesmo tempo, de inspiração às pessoas. Você recebe por aquilo que você fez, mas ao mesmo tempo, você inspira quem faz o processo”, explica.

Quem foi contemplado pela investidura, reconhece que este é um trabalho que não é realizado sozinho. É o caso de Brenda Ludwig, que atua na função de secretária de desbravadores para algumas cidades do centro do Rio Grande do Sul. “É bom ver seus desbravadores crescendo e também ver seus colegas, que ajudaram você a cumprir os requisitos do cartão de líder, gente que você encontrou nos acampamentos, que te ajudaram você a montar uma barraca ou ensinaram uma coisa que você não sabia”, ressalta.

Outra condecoração dada na noite foi a comenda Claudio Belz, que é dada a desbravadores que se destacaram por suas contribuições em um longo período. O nome é uma referência ao pioneiro, que foi o primeiro a vestir o uniforme da agremiação no Brasil. Um dos líderes que a receberam, Gilnei Belíssimo, agradece ao apoio da família pela conquista. “Atribuo isso ao meu irmão, Renato, que me incentivava muito quando estava fazendo requisitos das classes e também à minha mãe, que me levava para as reuniões do clube me arrastando, pois no início, eu nem gostava – não era da igreja e queria só fazer folia – mas ela sabia que eu teria um futuro bem melhor através do clube e que haveria uma luz na minha vida. Essa luz brilhou quando eu recebi a comenda. Hoje, eu gostaria que ela estivesse aqui para ver”, expressa Belíssimo, que contribui com os desbravadores há 35 anos, no Rio Grande do Sul. Ele também atua como coordenador da equipe de Salvamento e Resgate, vinculada ao departamento que atende jovens adventistas da região central do Estado.

Reflexão da noite

Na mesma noite, o pastor Odailson Fonseca, que responde pelo departamento de Comunicação da Igreja Adventista para o Estado de São Paulo prosseguiu a série de reflexões enfatizando questões em torno das escolhas. Em sua fala, reforçou a mensagem de que o desbravador não deve abrir mão dos princípios de Deus e ceder as pressões da vida social, do trabalho ou do estudo.

No fim, após uma cerimônia de batismos, Fonseca apelou aos desbravadores que tivessem a condição espiritual abalada para que se dirigissem próximo ao palco. Uma das moças que aceitaram a decisão, Angiely Toaldo, se sentiu fortalecida após a mensagem. “Hoje, eu levo sabedoria daqui, porque eu estou aprendendo muito neste campori e espero aprender ainda mais sobre tudo o que ele [Odailson] falou. Eu sinto mesmo a presença de Deus e sinto que posso confiar em tudo aquilo que me fortalece”, conta a desbravadora do clube Desmond Doss, de Guaraniaçu (PR).

Edições anteriores

A cidade de Santa Helena já está acostumada a receber camporis de desbravadores. Em 2005, 20 mil adolescentes e jovens de países da América do Sul se reuniram em outra edição. Já em 2010, um evento da mesma natureza, mas restrito a quem pertencia a região Sul do Brasil, teve 10 mil participantes.

É possível acompanhar imagens e informações a todo o momento na página oficial do evento no Facebook e, ainda, assistir à programação da noite, ao vivo, pelo site www.camporiusb.com.br. Além deles, a página Adventistas Sul no Facebook e o perfil no Instagram com o mesmo nome têm publicado informações complementares. [Equipe ASN, Willian Vieira]

Assista, na íntegra, a cerimônia de investidura do 10º Campori de Desbravadores da USB:

Confira a galeria de imagens da segunda noite de acampamento:

Veja Também


Comentários

WordPress Image Lightbox