Notícias Adventistas

Contra o alcoolismo, projeto Quebrando o Silêncio impacta cidades gaúchas

Em Santa Maria mais de 200 pessoas foram as ruas para falar dos problemas causados pelo álcool.

A passeata percorreu as principais ruas do centro de Santa Maria, RS.

A passeata percorreu as principais ruas do centro de Santa Maria, RS.

Santa Maria, RS… [ASN] O último sábado de agosto foi um dia de atividades intensas para as pessoas que estiveram envolvidas com o projeto Quebrando o Silêncio na cidade de Santa Maria, no noroeste do Rio Grande do Sul. Isso porque os fiéis da Igreja Adventista do Sétimo Dia (IASD) central da cidade, Desbravadores, Aventureiros e alunos da Educação Adventista uniram forças e realizaram uma passeata que percorreu as ruas do centro alertando a população relação do consumo de álcool e os índices de violência doméstica.

Leia também:

Como apoio de um carro de som e a banda de fanfarra composta por Desbravadores, a passeata teve início na rua do Colégio Adventista e foi encerrada na praça Saldanha Marinho, um dos lugares mais frequentados de Santa Maria. No trajeto os participantes entregaram revistas, folders e folhetos contendo informações a respeito dos riscos que envolvem o consumo de álcool e a maneira certa de denunciar casos de abuso e violência. “O consumo de bebidas alcoólicas leva as pessoas a não terem consciência dos seus atos naquele determinado momento, fazendo com que elas cometam atos de violência dentro da família”, afirma Silvana Pedroso, organizadora da passeata em Santa Maria.

A líder do ministério da Criança da IASD nesta região, Mírian Jacinto, explica também que para diminuir os índices de agressões dentro das famílias é preciso mostrar como o alcoolismo se torna um caminho para a violência doméstica e para os outros problemas que o Quebrando o Silêncio abordou nas edições anteriores. “A gente nota que a violência tem crescido assustadoramente no nosso país. Boa parte por causa do álcool, pois ele tem disseminado a violência de uma maneira geral na sociedade”, argumenta a líder. Ela também explica que outro motivo para o projeto abordar o alcoolismo foi justamente porque, segundo dados, as maiores vítimas da violência gerada pela bebida são mulheres, juntamente com as crianças e os idosos. Três grupos que sempre foram o foco do combate ao abuso promovido pelo Quebrando o Silêncio em edições anteriores.  A campanha que chamou a atenção das pessoas que transitaram pelo centro de Santa Maria teve início semanas antes em outros municípios gaúchos. Em Cruz Alta, por exemplo, as líderes do Ministério da Criança, juntamente com fiéis da IASD central, estiveram presentes nas escolas para apresentar o projeto de uma forma diferente. Em cada sala de aula foi exibido um vídeo na qual um personagem de desenho animado

Dados

De acordo com o centro de informações sobre saúde e álcool (CISA) 48% dos jovens brasileiros que têm entre 12 e 17 anos já fizeram uso de bebidas alcoólicas. Já entre os jovens mais adultos, que possuem entre 18 e 24 anos, 73% deles já estão fazendo uso de bebidas alcoolizadas. Um alto consumo precoce que, segundo a líder do ministério da Criança, tem explicação no fato da sociedade em geral ainda não encarar o álcool como sendo um entorpecente. Portanto, mudar esse tipo de visão sobre a substância tem sido um dos objetivos do Quebrando o Silêncio neste ano. “A campanha está aí para que as famílias se conscientizem de que o álcool é de fato uma droga, mesmo que seu consumo não seja proibido, que faz mal para a saúde, para a família e a sociedade como um todo”, explica Míriam. [Equipe ASN, Douglas Pessoa]

 

Veja Também


Comentários

WordPress Image Lightbox