Notícias Adventistas

Projeto aborda tema polêmico sobre gravidez na adolescência

Intitulado “Piudacinho de Mim”, projeto consiste em fazer alunos vivenciarem de forma prática, os desafios de se tornarem pais na adolescência.

Aluno do oitavo ano, Roger Borges tem se desdobrado para cuidar do pintinho

Ponta Grossa, PR… [ASN] Atualmente meninos e meninas têm entrado na adolescência cada dia mais cedo, e com isso a necessidade de trabalhar temas conhecidos como tabus, tem sido muito importante, tanto para pais, quanto para professores em sala de aula.No entanto, falar sobre sexualidade e responsabilidades da gravidez na adolescência nem sempre é uma tarefa fácil.

Com intuito de trazer esses problemas sociais para a realidade dos alunos do Colégio Adventista de Ponta Grossa, a professora Nayara Oliveira, implantou em sala de aula um projeto interdisciplinar bastante inusitado. Intitulado Piudacinho de Mim, a iniciativa consiste em fazer os alunos vivenciarem de forma prática os desafios de se tornarem pais na adolescência. Para isso, cada aluno recebeu um pintinho, que por duas semanas deveria ser cuidado como se fosse seu filho.

“Você tem que ter muita responsabilidade para cuidar dele, porque é um bichinho muito frágil, que nem um filho de verdade, a gente tem que sempre ficar perto dele, deixar na creche, fazer tudo certinho”, comenta o aluno Roger Borges.

Em sala de aula a professora Nayara encontrou uma forma diferente de falar sobre sexualidade e gravidez na adolescência

De acordo com a professora Nayara, a ideia em trabalhar o assunto surgiu devido o comportamento dos alunos em relação aos relacionamentos precoces. “O que me chamou a atenção foi a questão da sexualidade muito aflorada no oitavo ano, a questão de namoro, na questão até mais avançada de alguns namoros, que me preocupavam um pouco como professora de ensino religioso. No ano passado, nós começamos esse projeto como piloto, para ver se dava certo e foi um sucesso, e esse ano nós resolvemos implantá-lo novamente”, relata.

Mas o Piudacinho de Mim, vai além das salas de aulas, e é em casa que a aluna Ana Flavia Araujo, sente o peso das responsabilidades diárias com o pintinho. “Você tem que acordar de noite, quando eles acordam, toda manhã tem que levantar mais cedo do horário normal, para limpar a caixa, limpar a sujeira, de noite você não sabe que horas eles vão dormir, então tem que esperar até eles dormirem”, explica Ana Flavia.

Ana Flavia tenta conciliar suas prioridades com a responsabilidade de cuidar do pintinho

Para a mãe da aluna, Rejane Araujo, a sexualidade e a gravidez na adolescência são assuntos importantes na idade em que os alunos estão. Segundo ela, o projeto trouxe para a realidade as apreensões e responsabilidades que se tem ao cuidar de uma vida. “São várias preocupações que trazem para o adolescente uma forma de refletir como que é a realidade de você estar ali cuidando de uma vida. Teve alguns momentos que o pintinho estava meio tristinho e ela ficou preocupada, e a gente teve que levar no veterinário. O projeto abrange várias coisas, traz a sensibilidade, cuidado, achei válido e muito importante”, enfatiza Rejane.

Ao término do projeto os animais serão doados para uma chácara, porém, os alunos que tiverem interesse, poderão permanecer com os pintinhos. E a lição que fica será levada para a vida. “A gravidez na adolescência não é uma coisa boa, e um filho é muito difícil de cuidar, porque além de atrapalhar meus estudos, talvez eu tenha que deixar de fazer uma faculdade mais para frente, talvez eu tenha que parar de estudar, isso é muito prejudicial. Então se acontecer alguma coisa, eu já vou estar ciente que um filho não é muito fácil cuidar”, conclui Isabella Ferreira. [Equipe ASN, Luciene Bonfim]

Veja Também


Comentários

WordPress Image Lightbox