Noticias Adventistas

Líderes da educação adventista planejam faculdade de medicina

Líderes da educação adventista estudam a implantação de uma faculdade de medicina

Lisa Beardsley, líder mundial da Educação Adventista

Belém, PA…[ASN] No último domingo, dia 09 de junho, o Hospital Adventista de Belém recebeu a visita de líderes Sul-Americanos e Mundiais da Igreja Adventista do Sétimo Dia nas áreas de Educação e Saúde, com o objetivo de estudar as possibilidades para a implantação de uma faculdade de medicina no Norte do Brasil. Segundo Lisa Beardsley, líder mundial de Educação, a Igreja Adventista precisa de uma faculdade de medicina para atender os países que falam a língua portuguesa, “e nós esperamos que essa faculdade seja inaugurada aqui”.
Na ocasião, doutor Luiz Schulz, diretor associado de Educação da Conferência Geral, parabenizou os líderes da União Norte Brasileira (UNB), do Hospital Adventista de Belém (HAB) e da Faculdade Adventista da Amazônia (FAAMA) pela parceria e interesse em investir na educação médica. A despeito dos desafios que o projeto representa, doutor Schulz mostrou-se otimista: “com a bênção de Deus creio que é possível vencer as dificuldades.”
No encontro foram relembrados alguns fatos históricos da Educação Adventista no mundo, em seguida foi aberto um espaço para discussões, foi quando doutor Fábio Basílio, que trabalha no Hospital Adventista de Belém, destacou a alegria de ver a possibilidade da implantação de uma faculdade de medicina na região metropolitana de Belém. “Eu nasci neste hospital e fiz parte do grupo de médicos que se formou dentro desta instituição, por isso, é com grande alegria que recebemos esses líderes para darmos esse primeiro passo para realização desse sonho”. Quem também compartilha desse sonho é o doutor Edgard Botti, que formou-se na região e trabalha há aproximadamente trinta anos no hospital. “Foi o HAB que me deu condições de realizar o meu sonho. Vale a pena termos uma instituição de ensino com este nome e em nossa região. Este é um pequeno passo que representa um grande salto para a nossa história”.
Em seguida os líderes visitaram os setores do hospital e ficaram encantados com a estrutura que deve dar suporte às aulas práticas. Segundo Lisa, a visita representou uma espécie de pré-avaliação. “Esta é uma espécie de investigação preliminar com a Igreja Adventista na América do Sul e os Ministérios de Saúde e Educação. A partir de então será feito um relatório com o estudo das possibilidades que vai avaliar aspectos clínicos e recursos humanos, dentre outros. Este estudo será enviado para um comitê internacional e depois será avaliado por um grupo maior que vai impor condições para a formação da escola médica”, explicou Lisa após informar que o processo de aprovação pode durar entre três e seis anos.
Para Edgard Luz, líder sul-americano da educação adventista, “um projeto bem elaborado também economiza tempo e, se for bem articulado, se estivermos unidos e se for da vontade de Deus, o que cremos que é, teremos a realização desse processo em três anos”, comentou. Os líderes das instituições adventistas no norte do Brasil também apostam na realização do projeto. “Esse sonho não é uma utopia, mas como a Igreja trabalha com planejamento, seriedade e consistência, vamos alcançar um passo de cada vez, com segurança e fé de que é mais um projeto para cumprir a missão”, destacou Leonino Santiago, líder da Igreja Adventista na região. “Antes de tudo precisamos de três aspectos: confiança plena no poder de Deus, compromisso com a causa do mestre e profundo senso de missão, completou Valdimiro Laurindo, diretor da FAAMA. Para Markus Barcellos, diretor técnico do HAB, “a Igreja Adventista precisa realizar seu ministério de cura através de médicos-missionários, e essa faculdade vai formar esses profissionais pro Brasil e pro mundo”. [Equipe ASN, Alínic Teles]

Notícias Relacionadas