Notícias Adventistas

Estudantes do Rio de Janeiro realizam campanha contra o cigarro

“Troque a nicotina por uma vitamina”, com esse tema os alunos realizaram uma passeata no Rio de Janeiro.Rio de Janeiro, RJ…[ASN] Para marcar o dia mundial sem tabaco, 31 de maio, os estudantes do Colégio Adventista do Rio de Janeiro (CARJ) realizaram uma passeata e através de faixas, cartazes e panfletos alertavam a comunidade sobre os males que o cigarro causa à saúde. A ação aconteceu nesta quinta-feira e terminou na estação de metrô Afonso Pena.

 

Nem a  chuva desmotivou os alunos para o trabalho de conscientização. Além de distribuírem folhetos educativos, eles entregavam aos fumantes uma fruta e em troca pediam o cigarro.

 

Para a aluna Juliana Mirela, ajudar ao próximo através dessa campanha é inesquecível. “Estou voltando pra casa, me sentindo melhor, porque conheci algumas pessoas fumantes durante a passeata e pude alertar que o cigarro pode até levar a morte. E algumas delas me prometeram que irão deixar o vício”, comentou Mirela.

 

Como foi o caso de dona Maria José, fumante há mais de 10 anos, que já tentou deixar o cigarro por algumas vezes mas infelizmente não conseguiu. “Ver essas crianças com cartazes alertando sobre as causas do cigarro, e me convencendo a trocar o meu cigarro por uma vitamina, isso com certeza me chamou a atenção e de agora em diante vou tentar deixar o cigarro e fazer um tratamento”, destacou.

 

“É emocionante ver essas crianças com essa campanha na cidade. Sempre fui fumante, há 20 nos deixei o vício, hoje eu me sinto um jovem, pude renascer e me tornar uma nova pessoa”, disse o aposentado Samuel Mantilha.

 

O consumo de cigarros, cachimbos, charutos e cigarros de palha matam no Brasil cerca de 80 mil pessoas a cada ano.

 

De acordo com o Ministério da Saúde, no Brasil, existem 25 milhões de fumantes. O tabagismo está relacionado ao surgimento de mais de 50 doenças. Estes são apenas alguns dos dados correlacionados ao tabaco, planta da qual é extraída a nicotina, principal elemento do cigarro. Mesmo com o mau cheiro exalado pelo produto, muitas pessoas não conseguem livrar-se do hábito. Com o objetivo de reiterar os malefícios causados pela substância e evitar o aumento do número de fumantes e mortes.

 

Segundo o Instituto Nacional do Câncer (INCA), 23 pessoas morrem por hora no País em razão do hábito de fumar. Os homens ainda são maioria entre os fumantes, porém, as mulheres com idade entre 18 e 24 anos vêm equiparando-se nas estatísticas. Aos 50 anos de idade, mesmo que uma mulher tenha fumado a mesma quantidade de cigarros que um homem, ela apresenta 25% a mais de chance de desenvolver um problema cardiovascular. Embora a medicina desconheça porque o sexo feminino sofre mais impacto com os efeitos do cigarro, é importante frisar que o cigarro faz mal para ambos os sexos. [Equipe ASN, Dina Karla Miranda]

 

Notícias Relacionadas


Comentários

WordPress Image Lightbox